Cerro San Cristóbal: mais um lugar para ver Santiago de cima

Cerro San Cristóbal

Pelo tamanho da fila já dava para perceber que o Cerro San Cristóbal em Santiago é um dos lugares mais visitados da cidade. Eu já estive na capital chilena algumas vezes e subi o Cerro San Cristóbal em duas ocasiões, a primeira vez foi na véspera do Natal de 2014 e estava realmente muito cheio, na segunda vez não foi em nenhuma data comemorativa, mas estava igualmente concorrido.

Vale dizer que para quem não está familiarizado com o espanhol, “cerro” quer dizer “morro” em português e o Cerro San Cristóbal é um dos pontos mais altos da cidade, na verdade, é o ponto mais alto dentro de Santiago, os outros ficam na Cordilheira dos Andes.

Vista durante a subida

Vista durante a subida

O Cerro San Cristóbal faz parte do Parque Metropolitano de Santiago, o maior do Chile e tem um zoológico e também várias áreas para trilhas e um complexo com piscinas públicas.

Para subir o cerro existem duas maneiras: pela estrada de carro ou pelo funicular, que é um trenzinho que sobe o morro em ângulo inclinado, semelhante aos que funcionam em Lisboa e Valparaíso, também no Chile. Existe um teleférico, mas está fechado desde 2011 e não existe nenhuma previsão de retorno.

O bacana é subir pelo funicular, os trenzinhos partem da Estação Pio Nono, que fica na base do morro, no fim da Rua Pio Nono (Calle em espanhol) com a Rua Manuel Mackenna. O bilhete ida e volta custa 2mil pesos chilenos e o embarque é por ordem de chegada.

Funicular de Santiago

Funicular de Santiago

santiago9

Quando um trem cruza com o outro

santiago1

Logo no começo a subida

No meio do caminho fica o Zoológico, a entrada dele custa 3mil pesos. A subida demora uns 5 minutos, são dois veículos que fazem o trajeto e eles se cruzam no meio do caminho.

O funicular nos leva até um mirante, que é onde chega também a estrada e fica o estacionamento dos veículos que sobem o morro. Dali a gente já tem uma ótima vista da cidade e de parte da Cordinheira dos Andes. Neste lugar também funciona como praça de alimentação e tem algumas lojas de souvenir.

Daqui até o ponto mais alto do morro, onde fica a imagem da Virgem Maria é a pé, por um caminho de pedras e empoeirado. No segundo mirante ficam dezenas de bancos, altares e uma escadaria que vai até a imagem da santa com seus 36 metros de altura. O que faz a gente lembrar de um detalhe que passa despercebido por todo mundo: esse é um lugar religioso.

A santa

A santa

Subindo a última escadaria e gente chega aos pés da Santa, a vista vai longe e alcança além do Aeroporto de Santiago, além do horizonte empoeirado do Chile a caminho do mar. Apesar de estar sempre cheio, é um lugar calmo e de paz. Nem preciso dizer que o pôr do sol aqui é incrível.

A vista de Santiago só não é perfeita pois em razão da posição do Cerro San Cristóbal a gente não tem uma visão panorâmica da Cordilheira dos Andes. Dá pra ver, mas o Cerro Santa Lucía, menor e no centro da cidade e o Sky Costanera do Shopping Costanera Center são lugares que proporcionam uma visão melhor da cordilheira.

santiago12

Cerro Santa Lucía logo a frente

santiago11

Vista do ponto mais alto, nos pés da santa

santiago10

Vista de um dos mirantes

santiago7

Mais uma da santa

santiago6

A capela no alto do Cerro

santiago5

Santiago de cima


Como chegar ao Cerro San Cristóbal


Ele fica no Bairro da Bela Vista, na Rua Pio Nono. A entrada é gratuita, a gente só paga para subir pelo Funicular.

 

Funcionamento:

No inverno: Terça a Domingo das 10h às 18h45 e as Segundas das 13h às 18h45;
No verão: Terça a Domingo das 10h às 19h45 e as Segundas das 13h às 19h45.
Na primeira Segunda-feira de cada mês o funicular não funciona.

Valor:

Somente ida: 1.500 pesos ou 1.950 nos finais de semana e feriados;
Ida e volta: 2.000 pesos ou 2.600 nos finais de semana e feriados;


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar