Palácio de Nymphenburg em Munique

Munique

Na minha última viagem a Alemanha eu tive uma overdose de palácios e castelos, cada um mais incrível e majestoso que o outro. Em Munique eu também fui visitar o Schloss Nymphenburg, o nome não é nada fácil de pronunciar e também não é dos lugares mais fáceis de chegar.

Na Europa a gente fica mal acostumado com metrô ou trem na porta de todos os pontos turísticos, mas no Nymphenburg o metrô mais próximo fica a uns 2 quilômetros de distância, algumas linhas de ônibus passam por lá, mas é um rolê tão maluco que eu preferi (e recomendo) ir a pé.

Foto tradicional

Foto tradicional

A partir da estação Gern, linha U1 do U-Bahn, siga pela Waisenhausstraße por duas quadras até a Nördliche Auffahrtsallee e lá você já vai ver o começo do longo canal e o palácio lá ao fundo.

Aproveite a caminhada para apreciar as casas mais lindas desse pecadinho de Munique, é uma região bem residencial e pelo fato do palácio não ter um acesso direto, você não vai encontrar multidões de turistas.

Uma área verde gigantesca

Uma área verde gigantesca

O palácio foi construído em estilo barroco no século 17, como um presente do príncipe da Bavária para sua amada. Desde então, o lugar passou a ser a residência de verão oficial da monarquia da Bavária e no século 19 o Rei Ludwig I mandou reformar e ampliar os imensos jardins do palácio, e assim eles seguem até hoje.

A visita ao prédio do palácio é paga, custa 11,50 euros (entre 1 de abril e 15 de outubro) ou 8,50 euros (entre 16 de outubro e 31 de março). Lá dentro e encontramos um rico acervo da então monarquia alemã, com nada menos que muito ouro, jóias e objetos históricos.

Inspiração grega por todos os cantos

Inspiração grega por todos os cantos

A visita começa pelo Grande Salão, a única parte do edifício que não sofreu nenhuma alteração desde a construção, todo carregado de referências gregas e da monarquia. A visita toda pode ser feita sem guia, mas você pode pegar um audio-guide para facilitar a compreensão das peças e salões. Eu não me empolguei tanto, tinha visita do Residenz de Munique no dia anterior e nada mais me surpreendeu.

A visita ao gigantesco parque atrás do palácio é gratuita e sem dúvida não pode deixar de ser feita. O lugar é tão grande e tão bonito que é preciso reservar uma tarde inteira no roteiro para poder conhecer tudo. São mais de 200 hectares de área verde.

São dezenas de caminhos, pontes, lagos e canais. Entre uma trilha e outra no meio das árvores, uma casa de campo do Rei Ludwig, ou um monóptero grego. Vale também uma visita ao arge Parterre, Amalienburg, Badenburg e o lago, Pagodenburg e o Magdalenenklause. Dica: pegue um mapa na entrada.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar