O lado ruim para quem viaja muito

viaja muito

Passar longos períodos viajando para todos os cantos do mundo, um novo destino a cada mês pode parecer o sonho de qualquer apaixonado por viagens, não é mesmo? Viajar é realmente maravilhoso e poder fazer isso trabalhando é melhor ainda.

No ano passado eu fiz 10 viagens, só em dezembro passado foram 3 viagens e eu pouco parei em casa. Manter o blog atualizado diariamente é o meu maior desafio, mas eu viajo justamente para isso, para poder trazer novidades para vocês. O Vou na Janela é o meu trabalho e o melhor trabalho do mundo, amém!

Mas tem algo que muitos blogueiros ou travel writers que viajam muito não comentam, é o lado ruim de estar sempre fora de casa. Sim, por mais apaixonado que sejamos, tem seu lado negativo.

Para começo de conversa, manter um relacionamento não é fácil. Vai ser sempre um namoro com períodos à distância, vai exigir uma dose extra de boa vontade e confiança de ambas as partes para fazer a coisa dar certo. Em um cenário perfeito, o casal viajaria junto pelo mundo mas a gente sabe que isso é quase uma utopia.

As vezes, bate uma saudade de casa, do sofá da sala, do cheiro da casa. Vontade de abrir o armário e escolher o que vestir e não ficar só restrito as mesmas peças que estão na mala, por mais que eu ame viajar só com a malinha de bordo e vocês sabem disso.

Um amigo me disse que eu estou em um momento em que tiro férias em casa, tamanha é a inversão dos papéis. Louco isso né?

Nem as plantas aguentam tamanha solidão e quando eu chego em casa elas estão agonizando num estágio de quase morte. Já comprei até um daqueles irrigadores mas não funcionou. Nem os temperos sobrevivem, que dó.

E o sonho de ter um animal de estimação? Totalmente fora de cogitação. Sou louco para ter um pug para chamar de meu e eu seria daqueles donos bobões que compram fantasias pros bichos e criam contas no Instagram para colocar o amigo de quatro patas em situações hilárias. Se fossem poucas viagens, até daria para um amigo tomar conta vez ou outra, mas  ainda assim é muito cruel deixar o bicho sozinho.

Gatos são mais independentes, mas ainda assim eu nunca ficaria tranquilo deixando o bichano relativamente sozinho por 10, 15 dias ou talvez mais.

Outro ponto é que a gente acaba pagando por serviços que não usa, como a TV por assinatura e a internet que independente de ter alguém usando ou não, a conta sempre vai chegar no fim do mês.

Como eu pretendo viajar cada vez mais, inclusive por vários meses sem voltar em casa, tenho pensado em alugar meu apartamento via Airbnb por períodos mais longos. É uma boa alternativa para ajudar a dividir as despesas que não são poucas, morar sozinho tem seu lado ruim, ô se tem.

Para quem gosta de viajar e pretende fazer como eu, precisa abrir mão de muitas coisas. Estar ciente das escolhas e das trocas, é um estilo de vida que não serve para todo mundo e é muito de momento.

Como podem ver, por maior que seja um sonho de viajar mais e mais, tem seu lado negativo. Mas mesmo assim, é tão bom e eu amo tanto tudo isso que qualquer obstáculo ou concessão, eu abro mão para continuar voando por aí.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar