Como levar o seu animal de estimação em viagens de avião

animal de estimação em viagens de avião

Levar seu animal de estimação em viagens de avião dentro do Brasil é fácil e tranquilo, já para viagens internacionais a regra muda completamente. Muitos países proíbem a entrada deles ou pedem zilhões de documentos, certificados e vacinas. Países como a Austrália, por exemplo, deixam o bicho isolado e em quarentena até que se comprove que ele não representa nenhum risco de pragas e doenças para a fauna local.

O melhor a fazer é deixar o bicho em casa, se for um cães-guia, cão ouvinte e cão-assistente acompanhados de uma pessoa com deficiência visual, também vale verificar as regras de cada país e das companhias aéreas.

Para voos domésticos, tem empresas que só permitem cães e gatos, outras aceitam gatos, cães, coelhos e algumas espécies de pássaros domésticos de pequeno porte.


Como levar seu animal de estimação em viagens avião


Voos domésticos com animais na cabine

Cão-guia, cão ouvinte ou cão-assistente que estejam acompanhando uma pessoa com deficiência pode viajar na cabine, além disso, você pode levar seu cão ou gato de pequeno porte com você nos voos. Mas tem algumas regrinhas:

– Apenas cães e gatos são permitidos dentro das caixas de transporte embaixo do assento da frente e de preferência na poltrona da janela;

– A idade mínima é de 4 meses, o bichinho precisa estar limpo, saudável e sem odor desagradável; Só é permitido um animal por passageiro, e um por fileira de assentos sendo o máximo quatro animais por voo;

– A empresa aérea precisa ser comunicada com no mínimo 3h de antecedência

– Animal mais a caixa de transporte deve pesar até 10kg, acima deste peso o animal deverá ser despachado;

– Apresentar o comprovante de vacina contra a raiva, aplicada há mais de 30 dias e menos de um ano da data do embarque;

– Atestado de Saúde do animal: deve ter validade de 10 dias após a data de emissão;

Animais de estimação no avião: fique atento às regras

animal de estimação em viagens de avião: fique atento às regras

Voos doméstico com animais no porão de cargas

Animais que pesam até 30kgs pode ser despachado no porão de cargas, mas em uma seção especial da aeronave que tem a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros. O animal pode ser sedado para se manter mais calmo, mas o o laudo do veterinário informando o tipo de sedativo, a data e a hora da aplicação, além do tempo de efeito do produto deve ser apresentado. O tamanho da caixa deve permitir que o animal fique de pé e consiga girar dentro da caixa.

Filhotes de uma da mesma ninhada de raças de pequeno porte, com idade máxima de 5 meses e pertencentes ao mesmo passageiro, podem estar na mesma caixa de transporte.

Nem todas as raças podem ser despachadas, como os bichinhos que tem o focinho achatado: Buldogue Americano (American Bully) , Boston Terrier, Boxer, Griffon de Bruxelas, Pug, Chow Chow, Buldogue Francês, entre outros.

A regra também vale para os gatos com focinho mais achatado, como os Persa, Burmês, Exótico, Himalaio, entre outros.

Esses animais tem alguns problemas respiratórios que podem ser agravados durante uma viagem de avião, é por pura segurança deles mesmo.

As empresas cobram de formas diferente por esse serviço, vale verificar com eles antes de comprar a passagem.

Imagem de capa: Shutterstock

banner_site_2

 


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar