Ainda é seguro viajar para Mianmar, no sudeste asiático?

Bagan

Eu tenho recebido muitas perguntas ultimamente sobre a questão da segurança no país asiático e se ainda é seguro viajar para Mianmar. O país vem passando por uma crise de violência que já causou o êxodo de mais de 400.000 pessoas para Bangladesh. Se você não sabia, é perfeitamente compreensível já que a mídia brasileira e internacional não vem dando atenção ao caso.

Para tentar resumir a situação em Mianmar, vamos entender que o país é de maioria budista e uma parcela da população é muçulmana, uma etnia conhecida como Rohingyas. Eles vivem em Mianmar há gerações, desde a época em que o território se chamava Birmânia, ou República Socialista da União da Birmânia no nome oficial, que foi integrante do Império Britânico até 1948.

Desde que o país se tornou independente, o governo nunca reconheceu os Rohingyas como cidadãos birmaneses, sendo confinados em um estado a oeste do país e sem direito a qualquer benefício que os cidadãos normais teriam.

Desde então, sempre houveram conflitos entre os birmaneses e os Rohingyas, mas desde agosto desse ano a coisa azedou de vez. E o exército de Mianmar vem promovendo uma matança sem precedentes dos Rohingyas.

Por isso eles estão fugindo de Mianmar para Bangladesh. Os que sobrevivem a longa jornada, estão levando uma vida miserável em um país onde a miséria já faz parte da vida da população.

Áreas de conflito em laranja e áreas visitadas em vermelho

Os Rohingyas vivem no estado de Rakhine, no extremo oeste do país, junto ao Oceano Índico, no lado oposto a Tailândia. Dá uma olhada no mapa ao lado para você entender onde acontecem os conflitos e onde ficam os lugares mais visitados do país.

O Foreign and Commonwealth Office do Governo Britânico (que ainda chama o país de Birmânia) liberou uma nota alertando a seus cidadãos e demais estrangeiros sobre áreas de conflito que devem ser evitadas a todo custo. São essas em laranja no mapa e inclui o estado de Rakhine e o norte do país.

Além disso, os britânicos alertam sobre o risco de atentados terroristas, aconselha evitar grandes aglomerações, não fotografar ou fazer vídeos da polícia, exército e instalações militares. Cuidado com o roubo de passaportes e cartões de crédito.

Leia o informe completo aqui

As regiões mais visitadas como Mandalay (a capital), Rangum e Bagan estão fora dessas áreas de conflitos. Apesar disso, eu não ficaria tranquilo visitando Mianmar neste momento.

Se por um lado a violência é direcionado a um alvo específico, eu não ficaria confortável em estar visitando um país que trata seus habitantes dessa forma.

Uma pena, pois Mianmar vinha se abrindo e estava sendo uma excelente opção de turismo no sudeste asiático. Eu fui a Mianmar em 2016 e realmente queria voltar, até agora.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

4 Comentários

  • Responder outubro 14, 2017

    Pedro Henrique

    Boa tarde Fabricio, tudo bem?
    Estou planejando minha viagem para Asia, incluindo Yangon. Você acha que essa cidade vale a pena visitar? Dado o conflito atual estou em dúvida.

    • mm
      Responder outubro 16, 2017

      Fabricio Moura

      Yangon é classificada como segura, mas eu evitaria ir para o Mianmar agora, enquanto a situação geral lá não melhorar.

  • Responder novembro 9, 2019

    Marcela Carvalho

    Olá Fabrício, tudo bem? Estou programando meu retorno para Sudeste Asiático agora no final do ano. Gostaria de incluir Mianmar. Acha que está mais seguro para ir? Obrigada!

    • mm
      Responder novembro 12, 2019

      Fabricio Moura

      Oi Marcela, então, está mais tranquilo sim. Só evitar o lado leste e norte do país, especialmente próximo da fronteira com Bangladesh e China.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.