Precisamos falar sobre o preconceito com brasileiros em Portugal

preconceito com brasileiros em Portugal

Eu comecei a escrever este post há exatamente 1 ano, quando eu estive em Lisboa em agosto de 2018. Desde então, volta e meia tenho me debruçado sobre este texto. Não é algo simples de escrever, é preciso ter responsabilidade com esse tipo de tema. A cada parágrafo ou testemunho, eu precisava respirar e refletir para ser justo e parcial.

Falar sobre o preconceito com brasileiros em Portugal é algo que eu gostaria de abordar aqui no blog há um bom tempo.  É um assunto necessário e importante que precisamos tratar. Esse post não é baseado apenas em experiências que eu vivi, mas principalmente por outros leitores do Vou na Janela.

Tudo começou quando eu chamei um carro pelo aplicativo do Uber para ir do hotel em Lisboa para o aeroporto. O carro chegou e a motorista me atendeu muito bem. Quando ela percebeu que eu era brasileiro, se sentiu à vontade para conversar. A motorista se chama Helena, uma carioca na faixa dos quarenta e que havia se mudado para Lisboa com o marido há cerca de 10 anos.

Na breve corrida até o aeroporto surgiu a questão do preconceito com brasileiros em Portugal. Ela compartilhou comigo as piores situações vividas. Por ser brasileira, mulher, carioca e estar dirigindo um Uber. Na visão dos portugueses que cruzaram o caminho dela, Helena era uma intrusa que estava ali para tirar o trabalho de um português. Na visão de outras mulheres, ela estava ali para tirar o marido delas.

Helena diz que a sua vida só melhorou depois que ela cortou os  cabelos bem curtos e deixou a vaidade de lado. Nunca mais usou maquiagem para trabalhar e passou a vestir roupas que escondiam o seu corpo.

“Tive que fazer, para que me dessem paz. Uma vez eu peguei uma jornalista famosa de um canal de televisão aqui de Lisboa e quando ela percebeu que eu era brasileira começou a me insultar, dizendo que eu deveria ir embora.”

Aqueles vinte e poucos minutos de conversa foram densos, cheios de mágoas e ressentimentos e me despertou a necessidade de trazer esse assunto para o blog. Quem me acompanha, sabe que eu meio português e meio espanhol, mas acima de tudo, brasileiro. Sabe que eu amo Portugal, não só por conta das minhas raízes, mas por ser um lugar que sempre me acolheu muito bem. 

Mas existe sempre os dois lados da moeda, estar em outro país a turismo, colocando dinheiro naquela economia é diferente de viver lá e eu nunca morei em Portugal.

Depois dessa conversa eu fiz um post no Instagram abordando o assunto. Na publicação eu perguntei aos seguidores se eles já tinham sentido algum tipo de preconceito e eu recebi vários depoimentos. Apesar dos comentários serem públicos, aqui eu reproduzo alguns trechos, sem citar quem escreveu, para garantir um pouco de privacidade.

Portugal se tornou um dos destinos mais procurados por brasileiros no exterior. Seja pelo idioma, clima ameno e pela grande oferta de voos partindo do Brasil. São facilidades que seduzem especialmente para quem procura um destino para sua primeira viagem internacional. Quarto país mais visitado por brasileiros em 2017 – ficando atrás apenas dos Estados Unidos, Argentina e França – o país também é muito procurado por estudantes. 

Atualmente são mais de 14 mil estudantes brasileiros em Portugal, sendo aproximadamente 2.500 na famosa Universidade de Coimbra. E se existe preconceito com o visitante, no meio acadêmico não seria diferente. E toda a questão da xenofobia veio a tona em 2014 quando alguns alunos se juntaram para fazer uma campanha pelo Facebook expondo de forma anônima os comentários preconceituosos que recebiam.

A campanha ganhou atenção e foi reproduzida em diversos meios de imprensa, como vocês podem ver nessa matéria do Jornal O Globo.

preconceito com brasileiros em Portugal

Campanha pelo Facebook

E falando de situações de preconceito e inferiorização, tanto no meio acadêmico quanto na vida social, entre os comentários que eu recebi no post do Instagram, este abaixo chamou a minha atenção:

Moro e estudo em Portugal e é perceptível um preconceito velado, discreto. Seja na hora de arrendar um apartamento (precisei ouvir diversas recomendações que os portugueses ou demais europeus não ouviram, já que “o brasileiro é bagunceiro”, “gosta de farra”, “é desonesto”) ou mesmo na academia, onde nossas opiniões (nos trabalhos cotidianos mesmo), propostas e arguições são frequentemente desacreditados, já que “o brasileiro é menos inteligente”, “o Brasil é um país de educação inexistente” ou que “o brasileiro é intrometido e fala quando não é chamado”. Um leão por dia; nos resta trabalhar duas, dez, cem vezes mais pra provar que temos valor. Mas a gente nunca desiste.

E as dificuldades para quem está entrando no mercado de trabalho português, ou está procurando trabalho são ainda mais evidentes.

O preconceito existe sim, claro que existem casos e casos, mas existe, estou morando aqui faz 3 meses e trabalho em restaurante, foi o que consegui por ainda não ter permissão de residência, faço o meu trabalho da melhor maneira possível, claro, preciso dele para me regularizar, mas já aconteceram algumas situações de ser maltratada por clientes pelo fato de ser brasileira e eles não me entenderem, e pedirem para ser atendidos por outra pessoa que falasse um “melhor português”….sou formada em comunicação, e tenho certeza que meu português é bem entendível… fora alguns maus atendimentos em diversos serviços, claramente pelo fato de ser brasileira, pois o atendimento aos locais era claramente diferenciado, mas enfim, temos que provar mais uma vez ao mundo que não se pode generalizar um povo por conta de maus exemplos… viemos pra ficar e fazer a diferença! Com tudo isso declaro meu amor a esse país!

Algumas pessoas já sentem a diferença de tratamento já na chegada, durante os procedimentos de imigração no aeroporto.

Sim! Fui sozinha à Portugal e isso fez toda a diferença ( fiquei sabendo disso ao conversar com brasileiros que trabalham em uma Cafeteria, próxima ao local onde estava hospedada). Sofri discriminação já na chegada ao aeroporto, com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. A questão é puramente preconceituosa e para além de ter “boa formação, saber se articular e se impor”. Mulheres brasileiras, se quiserem viajar sozinhas à Portugal, podem esquecer a falácia “países irmãos”.

O que a leitora diz tem fundamento,  de acordo com pesquisadora Beatriz Padilla, publicado em uma ampla matéria da Gazeta do Povo,  “Há preconceitos contra brasileiros no geral, mas as brasileiras estão ainda mais expostas à discriminação”. 

E ela reforça que é verdadeira a visão de que os homens brasileiros são vistos como “malandros e preguiçosos” e as mulheres como “fáceis”. “Ou seja, é a velha história da brasileira como garota de programa. Afinal, Portugal é também um país muito machista.” 

Eu já estive em Portugal pelo menos uma dúzia de vezes e na minha primeira viagem eu tive uma entrada bem traumática, eu já contei essa história aqui em um dos primeiros posts do blog. Eu me senti mal, moralmente e fisicamente. Foi sem dúvidas a pior experiência que eu tive, não só em Portugal, mas em qualquer lugar do mundo.

Infelizmente quando falamos de preconceito, não ficamos restritos a um país ou outro. Vivemos em um crescente movimento de atos de intolerância e xenofobia em diversos cantos do mundo, uma onda perigosa de preconceito e discriminação. Seja contra latinos e muçulmanos nos Estados Unidos, imigrantes na Europa ou até mesmo aqui dentro de casa.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

14 Comentários

  • Responder agosto 10, 2019

    Paulo Sousa

    Texto certamente com um temática difícil, mas cabível e necessária. Eu nem tinha ideia que Portugal, com tantos laços com o Brasil, mantinha essa imagem do brasileiro. Isso porque sempre nutri na minha mente que os países mais “arianos”, como por exemplo, a Alemanha, um brasileiro teria dificuldades (sou negro e confesso meu receio de pisar em solo alemão, por motivos óbvios, né?). Mas creio que em cada nação deva haver certa dose de desconfiança com turistas. Uma vez vi em Búzios um cara admoestar alguns argentinos, achei aquilo extremamente grosseiro e desumano, afinal os portenhos estavam trabalhando num restaurante. Mas é claro que esse tipo de comportamento, em qualquer país, é execrável.

  • Responder novembro 19, 2019

    Horácio E. Francis

    Parece simples a matéria, mas não é bem assim, se tivesse que voltar no tempo, certamente não teria escolhido Portugal para viver com minha família, olha que não dependo de portugueses para nada, tenho minha própria empresa , com três filiais e que está muito bem obrigado, emprego portugueses e brasileiros, muitos, minha família é do Brasil e todos temos cidadania adquirida por tempo de residência , aqui o preconceito é velado, se consideram superiores, nos acham menos, ignorantes , e conheço quem tenha cidadania, que sofrem preconceito na mesma, eu já passei por muitas situações desagradáveis, não foram poucas não, de ter que me impor mesmo, no grito mesmo, aqui se VC não se impõe eles montam mesmo, conheço brasileiros brancos de olhos azuis que são mal tratados pelo simples fato de abrirem a boca e mostrarem ser do Brasil! Vivendo por mais de 10 anos em Portugal, minha conclusão é a seguinte: portugueses têm inveja de nós brasileiros, e não é inveja de posses, beleza e etc não , é inveja da nossa luz, do nosso brilho, da nossa presença,porque nós brasileiros somos queridos em vários lugares do mundo , e eles não suportam lidar com essa verdade, o que já vi de gringo afirmar que preferem o brasileiro do que portugueses, que amam o nosso sotaque e que acham feio o dos portugueses, que adoram o jeito que o brasileiro tem de se comunica, somos pessoas felizes apesar dos pesares! Conselho: não se levem pelos rótulos não, porque a razão dos maus tratos e amargura contra nós, é muito mais simples e tem nome: INVEJA!

    • mm
      Responder novembro 19, 2019

      Fabricio Moura

      Oi Horácio, obrigado pelo seu testemunho, acho importante falarmos desse assunto sempre.

      • Responder dezembro 8, 2019

        oskar

        Olá
        Se está bem financeiramente, recomendo que volte para o Brasil.
        Não temos inveja e nem necessitamos de pessoas que cá não estejam satisfeitas.
        Se não depende de portugueses para nada, o que está cá a fazer?
        Com certeza poderá desfrutar da cultura e da inteligencia dos brasileiros ao morar no Brasil.
        Faça uma boa viagem.

        • Responder dezembro 22, 2019

          Marcelo Beso

          Olas, desculpe me intrometer mas parece que o Sr. Horacio acima está em Portugal sem “depender” de portugueses porque “seu” país, caro Oskar, não pertence e não é constituído apenas por quem nasce em solo português. Se conhece um pouco da história das civilizações ocidentais, ao menos nos últimos 500 anos (para estipular uma data conhecida pelas colonizações responsáveis pelo destino de tantas “democracias” atuais) quase todos os países europeus e americanos são o que são hoje porque constituídos de autóctones e estrangeiros, o que nunca foi um problema, e sim a solução para a humanidade se desenvolver de forma mais “democrática” possível. Não acredito nas democracias liberais em tempos de globalização, e nem sou um ativista ou militante de “nações” que nos jogam uns contr os outros, mas me parece que você não sabe onde vive, nem no país nem no mundo que habita, entende? Por isso está aí a desabafar sua “razão” nacional ao invés de nos ajudar a ponderar ideias diferentes, amortecer os preconceitos e buscar saídas saudáveis para nós “humanos” num mundo pós-humano (Zizek). Ou você não sabe que todos nós, independentes da nacionalidade, estamos sendo controlados pelo mercado (dinheiro) que controla os governos (política) e por isso o planeta está fadado ao colapso total. Não é uma questão de cultura ou inteligência (pelo visto, das “brasileiras” você não conheceu nada ainda, mas nunca é tarde…), nem uma questão de viagem (afinal, quem começou com essa ideia, segundo o humilde brasileiro aqui, foi Portugal). É uma questão de falta de liberdade, de não-independência, de às vezes não haver escolha na vida – apenas acreditar nela, entende? É essa a verdade por detrás da “inveja”, um sentimento torto, como a dor esta “falta de harmonia” (para usar uma expressão do poeta português Camilo Pessanha, que passou a vida “infeliz” em Macau). E seu post só pareceu confirmar a teoria do Sr. Horacio. Mas será que sabes disso? Obrigado Fabricio!

          • julho 24, 2020

            Bob

            Os Brasileiros, nada têm em comum com os Portugueses. Alguns dos seus costumes, que até foram levados pelos Portugueses, como o Carnaval e adaptado, eles até desconhecem Muitos dos problemas de xenofobia que têm vindo a acontecer em Portugal, em muito se deve ao comportamento dos Brasileiros, claro não todos. Ao contrário do que possam pensar, eles bem o sabem não são bem vindos, na Inglaterra, Irlanda, EUA, etc, etc. Uma boa percentagem de Brasileiros, é racista, é racista até com o seu próprio povo. Fora uma pequena percentagem que tem avós ou pais Portugueses, o Brasileiro desconhece as suas origens, não respeita a cultura Portuguesa e alguns deles, num país que não é deles, mas que lhes abriu a porta de casa, eles dizem mal… É um problema até de educação. Quando vamos a casa de alguém, não vimos de lá a dizer mal. Tudo isto, provoca descontentamento por parte de Portugueses, que naturalmente, incentivam grupos contra a emigração Brasileira. Ao muito me engano, mas irá mudar, por causa desta minoria de gente que não se sabe comportar. Muitos são os relatos de Portugueses que de férias no rio, tiveram muitas situações embaraçosas, nunca vi, nenhum fazer campanhas na internet contra Brasileiros, que aliás na cabeça deles, Portugal vivia de padarias. Acredito que nenhum Português queira ser Brasileiro, porque o Português na sua democracia, tem lutado por tudo o que o Brasileiro não aprecia. E nem vou perder tempo a especificar. Para o Português comum, principalmente os mais jovens, não têm qualquer relação com o Brasil, para além de alguma música que possam conhecer. Fora isso, os nossos jovens, não sentem qualquer relação estreita com o Brasil, nem se identificam. Temos que os condenar por isso? – Não, uma vez que a única coisa que têm em comum é a língua e mesmo isso, outros países também de língua Portuguesa, têm um Português muito mais semelhante: cabo verde , Moçambique, Angola e até Macau…Outros povos têm vindo para cá, pedem nacionalidade Portuguesa, mas não têm a pretensão, de querer mandar, num país que não é deles. Temos Africanos, holandeses, ucranianos, Inglesas. A comunidade Brasileira, alguma ñ tem limites, se acha, como dizem os próprios Brasileiros… Façam a experiência e vão para a Alemanha, Irlanda, Inglaterra, França,EUA e verão como serão tratados. Nalguns destes países nem entram. Faço apenas uma Pergunta: Porque ficam cá se são mal tratados? – PORTUGAL recebe bem, quem vem por bem. Outra coisa que muitos Portugueses acham do Brasileiro : É falso e linguarudo e racista. Não gosta por exemplo, que países africanos, antigas colônias tenham nacionalidade Portuguesa. E haveria muito mais para dizer… Não são todos os Brasileiros assim, mas por essa parcela, a opinião de alguns Portugueses sobre os Brasileiros, mudou muito nos últimos anos. Só o facto de pensarem, que o Português, tem inveja do Brasileiro, já diz muito da sua mentalidade. É verdade alguns, também são bem homofobicos e moralistas. A ideia antiga do Brasileiro, solto e sem preconceito que antigamente os Portugueses tinham, é errada.

        • Responder fevereiro 22, 2020

          Murilo Azevedo

          Oskar, para mim os portugueses e brasileiros devem ser irmãos. Já fomos Portugal também quando a família real fugiu de Napoleão Bonaparte e se instalou no Rio de Janeiro. A si eu desejo o melhor. Que Deus abençoe a sua vida e é sempre bom lembrar que nascença não é sentença.

        • Responder março 30, 2020

          Lucas Borelli Cabral

          Senhor Oskar,
          ele tem todo o direito de se manisfestar querendo permanecer no país, quer queira quer não.
          O preconceito foi o relatado, e não a cultura, os modos, a estrutura oferecida pelo seu país.

          Tenha sensibilidade, compaixão.

          Os brasileiros gostam de fazer novos amigos…novos laços, mas, devido a cultura de vocês, não dão “abertura” para uma nova amizade. Posso até estar errada, mas é o que percebe-se. E, aliado a isto vem o tão falado preconceito velado.

          Por quê o respondeu desta forma tão rude? Pareceu-me então que ele está certo, desculpe mas é o que penso.

          Eu achava que portugueses almejavam um dia voltar a ter algum tipo de influência sobre sobre a cultura dos brasileiros, que hoje é dominada pelos Estados Unidos.

          O entretenimento brasileiro poderia expandir a cultura portuguesa. A produção e criatividade artística do Brasil não me deixa mentir. Isto aumentaria muito a relevância do país no cenário mundial mesmo não estando entre os dez mais ricos do mundo. Talvez, ao final das contas quem sai perdendo são vocês nos odiando tanto.

          No meu estado nunca tivemos o hábito de contar piadas de portugueses. A gente sabe que isto é coisa de carioca e paulista.
          Hoje, há uma enxurrada de sul-coreanos em meu estado, em comércios majoritariamente, e são muito grosseiros, não nos entendem, mas, não há uma piada ou anedota se quer em jornais, revistas publicadas por aqui.
          O quê quero dizer com isto? Que os brasileiros não são todos iguais.

          Sabotar, escrachar, humilhar, negar oportunidades aos imigrantes, acaba leva-os a viver a margem da sociedade são assaltos, furtos, prostituição. A criminalidade aumenta vertiginosamente.
          Neste ano o governador do meu estado aceitou receber do governo federal venezuelanos que precisavam de trabalho, e em rede estadual de televisão ele se pronunciou e nos explicou tudo o que mencionei anteriormente.
          Até hoje não foi noticiado denúncias de xenofobia por parte dos venezuelanos EM MEU ESTADO contra os nativos.
          Parece ser mais inteligente agir assim, do quê falar para voltar ao país de origem -na minha opinião.

    • Responder março 1, 2020

      Adriano

      Talvez o problema seja mais a falta de humildade de pessoas como você. Talvez os Portugueses não gostem de pessoas que vão para o país deles e se acham a última bolacha do pacote, ou que não respeitem a cultura do país e que vão para lá vangloriar-se que só o que é Brasileiro é que presta. De um lado você tem um país que se interessa pelo seu… Um país que sempre deu enorme destaque à cultura do seu. Do seu lado está um povo que na sua grande maioria tem zero interesse na cultura Portuguesa, não consome o produto dela e que só se lembra da existência na hora de fazer piada… É irónico e altamente hipócrita ver que quem reclama é exatamente o povo Brasileiro. Afinal vocês têm um sentido de humor mesmo apurado. Isso só pode ser brincadeira mesmo! 😁

  • Responder março 11, 2020

    Naty

    O assunto é controverso e bastante polêmico, não dá para generalizar nenhum povo, não existem as expressões “todo brasileiro é isso” ou “todo português é aquilo”, mas infelizmente o preconceito em Portugal em relação aos brasileiros é uma triste realidade. Infelizmente tenho vívido esse preconceito na pele, vim passar um ano próximo a região de Lisboa, ja fazem seis meses que estou aqui e já tenho muitas histórias pra contar, infelizmente a maior parte é ruim. Tenho um bom conhecimento sobre história e cultura, conheço muito da história portuguesa e queria conhecer mais da cultura e pelo que tenho visto aqui dos imigrantes que existem no país a maioria dos brasileiros não se fecham dentro de comunidades, existem brasileiros em varias regiões, e eles tentam sim interagir com a cultura do pais, comer as comidas tipicas e aprender as expressões cotidianas para ter uma boa comunicação com os portugueses, tenho varios amigos que ja incorporaram em seus vocabulários expressões como “se calhar”, “eu percebi” entre outros. Então sinceramente minha experiência tem me mostrado que tem muito brasileiro aqui que tenta sim conhecer e se integrar a cultura, que tem educação e respeito, que toma pancada de português e continua sorrindo, mas existe momentos em que até as pessoas mais resistentes cansam de serem mal tratadas e começam a se defender. Eu mesma já aguentei cada desaforo, por exemplo quando fui alugar apartamento, mesmo com toda a documentação comprovando que estava legalmente, tive muita dificuldade em se quer marcar visita aos apartamentos, muitos fingiam que o apartamento estava alugado assim que percebiam pelo meu sotaque que eu era brasileira, outros diziam sem o menor pudor que não alugavam para brasileiros porque não gostavam de brasileiros, outros exigiam cauções absurdas, teve até uma pessoa que me disse que não importava se eu estava com toda a documentação ou se eu tivesse até mesmo um fiador português, ele não iria aceitar um tipo brasileiro em seu apartamento, nesse dia foi horrível, pois do jeito que ele falou parecia que eu era suja. Em resumo portugueses são tudos preconceituosos? Não. Mas pra quem vier esteja preparado, pois os que são preconceituosos não medem esforços em sua missão de “expulsar” os brasileiros, e o seu principal argumento é “se não está bom vai embora então “, mas infelizmente pros português, brasileiros são muito resistentes e persistentes, quando queremos algo lutamos com tudo o que temos, essa é a história do povo brasileiro, uma história de luta, nos nascemos e crescemos aprendendo a lutar e não desistir.

    • mm
      Responder março 11, 2020

      Fabricio Moura

      Que triste isso, Naty! Muita força pra você aí, perseverança sempre!

    • Responder abril 13, 2020

      José Henrique

      Olá, Fabrício. Vou deixar aqui o meu testemunho para este debate tão importante.

      Sou brasileiro e vivo em Portugal há 6 anos. Vim fazer um mestrado na Universidade do Porto e, após concluir o curso, recebi oferta de trabalho para trabalhar na minha área de atuação e desde então estou aqui. Vivo no Porto e me relaciono exclusivamente com portugueses no meu dia-a-dia, não por evitar brasileiros, mas simplesmente porque este é o meu círculo de amizade que formei com a minha namorada portuguesa. Por isso, acredito que sei do que estou falando quando se trata de preconceitos contra brasileiros.

      O termo principal aqui é mesmo “velado”, como você disse. Os portugueses, em sua grande maioria (99%) desde SEMPRE consumiram cultura brasileira, principalmente novelas nas décadas passadas. Nos dias atuais, não conheci um único português sequer que não tivesse uma opinião sobre o Brasil/brasileiros/português falado no Brasil. Ouvem músicas brasileiros, conhecem os artistas brasileiros, acompanham o futebol, etc. O que quase todos os portugueses comentam é que somos alegres, festivos e simpáticos. Mas isso esconde o outro lado da moeda: 99% dos portugueses acham que o Brasil é 3° mundo e, como tal, é atrasado, violento e vive uma lei da selva. Sabemos que a violência é um flagelo no Brasil, mas é incorreto generalizar. Há cidades brasileiras em que a qualidade de vida é extremamente superior à grande maioria das cidades portuguesas.

      Eu, por namorar uma portuguesa (que conheci durante o mestrado) já passei por muitas situações desconfortáveis. A família dela é muito tradicional e demoraram muito a me aceitar (até hoje, acho que nunca aceitaram). Apesar disso recebo convites para passar a Páscoa, Natal e essas datas festivas na casa deles. Mas sempre acontece algo curioso: quando os parentes ligam para a minha sogra, ela menciona todos que vieram, exceto eu. Já aconteceu várias vezes e eu me queixei à minha namorada: é como se eles tivessem vergonha em dizer que a filha namorada um brasileiro. A fama que os brasileiros têm é de “estragar as portuguesas”. Eu tenho 33 anos e maturidade suficiente para saber filtrar esses comportamentos, mas isso se repete a todo momento: “Ah, mas se vocês casarem, ele vai conseguir o passaporte, que ótimo”.

      O preconceito só sente quem passa por ele. Não importa o que os portugueses que vivem em Portugal dizem: eles não sabem o sentimento. É preciso perguntar aos portugueses que emigraram para Suíça, França, Alemanha, etc. Esses sim sofreram com preconceito, como nós brasileiros sofremos em Portugal.

      Eu sou branco, de cabelos lisos e tenho olhos azuis (de herança genética do Sul do Brasil), e com isso não quero dizer que sou melhor nem pior do que ninguém, mas apenas que podia passar por um típico europeu: mas no entanto, quando abro a boca para falar em Portugal, o comportamento das pessoas muda drasticamente. Eu me adaptei 100% à Portugal: falo como eles, com sotaque português, uso as gírias e consumo diariamente a cultura de Portugal: televisão, filmes, música etc., porque gosto e me interesso. Mas nunca fui/nem vou ser aceito como um igual, porque acham que sai do Brasil fugido para encontrar uma esposa em Portugal. Nem me dou ao trabalho de dizer que no Brasil eu tinha um apartamento de 4 quartos em área nobre de Porto Alegre, com carro do ano e ganhando mais de R$ 20 mil mensais. Vim para Portugal para estudar e, durante o tempo, me apaixonei pelo país e por uma portuguesa e por isso fiquei, mas não foi para evitar o Brasil, que amo incondicionalmente.

      Para resumir: Portugal hoje está com uma boa economia, principalmente devido ao turismo, mas esse país já esteve entregue às moscas há não muito tempo atrás. Nas décadas passadas, centenas de milhares emigravam, inclusive muitos deles para o Brasil. Agora que as coisas mudaram de lado, vemos mais brasileiros em Portugal. Acho uma dinâmica justa e temos todos que entender de uma vez por todas: ninguém sabe o dia de amanhã.

      • Responder julho 26, 2020

        Bob

        Uma sugestão : Vão a páginas Portugueses, sobre história Portuguesa e vejam os comentários Brasileiros! – É de tal forma, que episódios de história, que Portugueses gostam de assistir, como por exemplo, os episódios do Professor Hermano Saraiva, não têm comentários, são apagados. Os que têm, provocam discussões de xenofobia… Os episódios, já são antigos, são da RTP, já estão na internet há imenso tempo, mas não são poucas as situações desagradáveis, nestes e noutros sites ou páginas de história Portuguesa. O mais incrível é o Europeu, um descendente de colonizador, e o Brasileiro não. O Europeu, escravagista, o Brasileiro, não… Tudo bem estranho… Também não percebo, para que vão para essas paginas destilar ódio. .Claro que não acontece com todos, alguns Brasileiros, também apreciam, mas o que fica é sempre a experiência negativa, não?!

  • Responder julho 26, 2020

    Bob

    Uma sugestão : Vão a páginas Portugueses, sobre história Portuguesa e vejam os comentários Brasileiros! – É de tal forma, que episódios de história, que Portugueses gostam de assistir, como por exemplo, os episódios do Professor Hermano Saraiva, não têm comentários, são apagados. Os que têm, provocam discussões de xenofobia… Os episódios, já são antigos, são da RTP, já estão na internet há imenso tempo, mas não são poucas as situações desagradáveis, nestes e noutros sites ou páginas de história Portuguesa. O mais incrível é o Europeu, um descendente de colonizador, e o Brasileiro não. O Europeu, escravagista, o Brasileiro, não… Tudo bem estranho… Também não percebo, para que vão para essas paginas destilar ódio. .Claro que não acontece com todos, alguns Brasileiros, também apreciam, mas o que fica é sempre a experiência negativa, não?!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.