Como é voar na Qatar, a melhor companhia aérea do mundo?

voar na Qatar

Essa semana a Qatar Airways recebeu o título de melhor companhia aérea do mundo em 2015, de acordo com o respeitável ranking da Skytrax. No ano passado eu voei de São Paulo a Buenos Aires com eles. Indo de Business e voltando de econômica.

Eu comprei as passagens em uma promoção que apareceu no Melhores Destinos, inicialmente de econômica, mas ganhei um sonhado upgrade para a Business. Daquelas boas surpresas da vida.

A Qatar opera vôos entre São Paulo e Doha e São Paulo e Buenos Aires. É um vôo que vem do Qatar e faz um prolongamento até a Argentina. A empresa opera no novo Terminal 3 do aeroporto de Guarulhos.


Como é voar na Qatar Airways


A aeronave chega de Doha no fim da tarde

Como é voar na Qatar: a aeronave chega de Doha no fim da tarde

A aeronave

A aeronave usada na rota é um moderníssimo Boeing 777-200 LR (long range), nas duas primeiras seções ficam a classe executiva na configuração 2-2-2 e nas duas últimas a econômica, na configuração 3-3-3. Só para comparar o espaço, os Boeings 777 da maioria das empresas (KLM, Air France, TAM, etc) estão configurados em 3-4-3 poltronas por fileiras.

Embarque

O embarque é feito por prioridades e em seguida os passageiros da business. Ao entrar no avião, o chefe de cabine nos recebe, acomoda nossa bagagem de mão e serve uma taça de espumante com um mix de nozes como boas vindas.

A tripulação merece um capítulo a parte. Sempre impecáveis e atenciosos, eles recebem os passageiros de uma maneira que não estamos acostumados a ver em muitas empresas tradicionais que voam para Europa e Estados Unidos. No meu vôo tinham dois comissários brasileiros, um na business e outro na econômica. Todos os avisos são feitos em árabe e em inglês.

As poltronas que viram cama

Como é voar na Qatar: As poltronas que viram cama

A poltrona full-flat-bed, reclina 180 graus e permite uma série de ajustes. Eu fiquei uns 15 minutos testando todas as possibilidade da poltrona. Pena ser um vôo curto até a Argentina, imagino que voar por 15 horas nela não deve ser nenhum sacrifício.

Voo e serviço de bordo

Após a decolagem a tripulação entrega travesseiros de ótima qualidade, cobertores, fones de ouvido com noise-cancelling e ganhamos um kit de amenidades + pijama, que normalmente não é distribuído nessa rota, por ser mais curta. Mas olha que maravilha:

Kit super completo

Kit super completo

Pijama (calça e camisa), chinelos, meias, máscara de dormir e uma necessaire de couro com produtos Salvatore Ferragamo (hidratante para lábios e corpo), pente, protetor auricular e escova e creme dental. Fantástico, né?

Após a decolagem eles entregam um cardápio com as opções do jantar, mesmo na classe econômica, o jantar completo é servido. Diferente da Gol que serve um sanduíche dormido e cobra preços por algumas vezes, mais caros que a Qatar. Optei por um belo filé com legumes grelhados, sorvete de frutas vermelhas e vinho tinto para acompanhar. Se pode repetir? Quantas vezes quiser!

Jantar da Business Class

Jantar da Business Class

O sistema de entretenimento deles é o Oryx e tem uma infinidade de filmes, documentários, programas de tv e notícias, além de mapas e informações de vôo. No cardápio de filmes, tinham muitos títulos que ainda estavam nos cinemas no Brasil, todos tinham legendas em diversos idiomas, inclusive o português. Os monitores são todos touch-screen de 17 polegadas, mas também tem um controle remoto escondido em um dos compartimentos da poltrona.

O vôo foi extremamente tranquilo e confortável, foi o tempo de jantar, ver um filme e já estávamos nos preparando para pousar em Ezeiza.

Sobre voar na Qatar? Um sonho, é super merecido o título de melhor empresa aérea de 2015.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar