Como é voar no novíssimo Airbus A350 da TAM (LATAM Airlines)

A350 da Tam

Sabe aquela sensação gostosa de andar de carro novo? Tudo impecável e brilhando? Essa foi a minha primeira reação ao entrar no novíssimo Airbus A350 da TAM, a primeira companhia aérea das Américas a receber e colocar em operação o lançamento da Airbus.

A TAM encomendou 27 dessas aeronaves para substituir os atuais Airbus A330 e os Boeing 777 até 2021, mas somente as três primeiras unidades virão com a pintura da TAM, a partir da quarta, já será LATAM, a fusão da TAM com a LAN.

O A350 entrou em serviço no fim do mês passado (Janeiro de 2016) na rota entre o Aeroporto de Guarulhos em São Paulo e Manaus. E eu tive a oportunidade de testar o modelo poucos dias após ele começar a voar.

O A350 ficará nessa rota até abril, como forma de testes e treinamento de equipe, depois ele vai cobrir as rotas de Miami e Madri. Num segundo momento os novos A350 voarão para Orlando e Nova York.

Nesse review, vai ser meio difícil não comparar o A350 com seu concorrente direto, o Boeing 787 Dreamliner, no qual eu já viajei duas vezes. Natural, depois de tanta expectativa gerada pela Airbus em cima do novo modelo, a gente quer saber se ele é tudo isso mesmo.


Como é voar no A350 da TAM


O avião

O A350 é considerado o avião do futuro, ele consegue ser até 25% mais econômico que outros modelos da mesma categoria, como o Boeing 777 e segundo a Airbus, ele é 8% mais eficiente que o 787 da Boeing, tornando o A350 o avião mais econômico da atualidade.

Asa e o winglet característico

Asa e o winglet do A350 da TAM

Parte dessa eficiência é explicada pelo uso de materiais compostos, cerca de 70% do avião é feito desse tipo de material e que apesar de leve, é tão resistente quanto os demais.

O design do A350 é arrojado, caracterizado pela máscara preta nas janelas do cock-pit e pela ponta das asas curvadas, substituindo os winglets, melhorando a aerodinâmica e diminuindo o arrasto.

Primeira impressão

Ao entrar no A350 a primeira impressão é muito boa, ele é mais espaçoso que o A330, por exemplo, tem o teto mais alto e corredores mais largos, principalmente na área entre os banheiros e galleys. O que dá uma sensação de amplitude ao entrar no avião.

Cabine ampla

Interior da classe econômica do A350 da TAM

O interior dele já leva as cores da LATAM, as poltronas da econômica estão dispostas na configuração 3-3-3, onde a seção do meio tem poltronas vermelhas e as laterais azuis.

Conforto

Eu achei as poltronas bem confortáveis para uma econômica da TAM, bem mais em comparação aos A330 e os Boeing 777. Apesar de serem bem finas, elas tem uma espuma macia, o que garante 2,5 centímetros a mais de espaço. Os mais altos agradecem.

As poltronas tem um bom espaço

As poltronas do A350 da TAM tem um bom espaço entre elas

Também achei o reclino da poltrona bom, os apoios de cabeça são móveis e ajudam na hora de dormir. As poltronas também tem apoio para os pés, mas por serem flexíveis, não funcionam muito bem.

Apoio para os pés e tomada

Apoio para os pés e tomada

Todas as poltronas tem uma TV individual com tela de 9 polegadas com o novo sistema de entretenimento da LATAM, aqui chamado de TAM Entertainment. As poltronas também estão equipadas com porta USB e tomada elétrica, ótimo para recarregar o celular ou computador.

Janelas maiores

A350 da TAM: Janelas maiores

As janelas do A350 são bem maiores que as de outros modelos, mas menores que a do 787 e aqui fica muito nítida a diferença entre eles, pois enquanto o modelo da Boeing tem um sistema eletrônico que escurece as janelas, o A350 tem as tradicionais persianas que já estão agarrando na hora de abrir ou fechar.

O A350 vem também com um sistema de renovação do ar semelhante ao do 787, que evita que o ar na cabine fique muito seco. Funciona, mas achei o do 787 ligeiramente melhor.

O avião também tem um sistema de iluminação muito agradável, semelhante ao Sky Interior da Boeing, que ajuda a reduzir o cansaço durante os vôos, além de deixar a cabine muito bonita.

Detalhe do banheiro

Detalhe do banheiro

Os banheiros continuam pequenos, porém, com iluminação melhor e controle digital da temperatura da água da pia.

Sistema de entretenimento

Como eu comentei no tópico acima, todas as poltronas tem telas touch-screen de 9 polegadas com o novo sistema TAM Entertainment, inspirado na navegabilidade do iOS da Apple. No geral, tem uma boa quantidade de filmes, séries e programas de TV.

TAM Entertainment

TAM Entertainment embarcado no novo A350 da TAM

Uma novidade é o novo conjunto de mapas de navegação, agora a gente consegue escolher até 3 tipos de mapas e ampliar a imagem para ver com detalhes por onde o avião está passando (veja o vídeo abaixo) e além disso, o avião vem com uma câmera na barriga, por onde a gente consegue acompanhar todo o vôo.

O voo e serviço de bordo

Após o embarque, a tripulação passou oferecendo as tradicionais balinhas e fones de ouvido para quem desejasse. Os fones agora são mais simples e podem ser reutilizados, a qualidade dele não é das piores.

Fones de ouvido e Revista da TAM

Fones de ouvido e Revista da TAM

O vôo decolou do Aeroporto de Guarulhos com 20 minutos de atraso, não sei se foi em razão do peso, mas notei nos dois vôos que eu fiz no A350 que ele precisa de mais pista para decolar.

Após a decolagem já deu para avaliar uma promessa da Airbus, de que o A350 seria o mais silencioso da categoria, ele é realmente mais silencioso que outros jatos, mas o 787 ainda é o avião com o menor ruído interno que eu já viajei.

Lanchinho

Lanchinho

A viagem até Manaus dura 3h40 minutos e a TAM serviu um lanchinho. Um sanduíche frio com as tradicionais opções de bebida. Para um vôo dessa duração, a TAM peca nesse tipo de serviço.

Durante o vôo de volta pegamos muita turbulência sobrevoando a amazônia e próximo a Brasília e mais uma vez deu para notar que o A350 perde para o 787 nesse ponto. O modelo da Boeing teve as asas desenhadas também ajudar a reduzir os impactos das turbulências e no A350 foi sofrível aquele sacolejo todo.

Vale a pena?

Voar no A350 é uma boa experiência, em comparação aos Airbus A330 e até o Boeing 777, é uma grande evolução que trouxe mais conforto para o passageiro, mas deixou a desejar em relação ao seu principal concorrente.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

6 Comentários

  • Responder fevereiro 23, 2016

    eder

    Tem tomadas na base das poltronas, que máximo!
    Achei bem bacana o espaço dentro da aeronave, agora um detalhe: você sentiu que ele precisa de mais pista pra poder decolar…já deu medo, rs.

    • mm
      Responder fevereiro 23, 2016

      Fabricio Moura

      Simmmm! Eu gravei toda a decolagem, é algo que eu faço em quase todos os vôos pra poder ter material pra video. Comparando com o Boeing 767, um avião mais antigo, o 767 decolou em 31 segundos depois de começar a correr na pista, o A350 demorou 47 segundos.

  • Responder fevereiro 23, 2016

    MUCIO BRETAS

    Parabens pelo vídeo, achei muito bacana o sistema de entretenimento, percebi que os assentos são muito confortável.

  • Responder junho 7, 2017

    Michel

    Legal a matéria. Sou piloto e apaixonado por aviação, e se você me permitir eu queria fazer alguns comentátios. Por favor não leve a mal, é apenas um complemento ao que você escreveu! 🙂

    – A distância necessária à decolagem varia em função do peso e das condições meteorológicas. Além disso, os pilotos na maioria das vezes irão configurar parâmetros que farão com que o avião use a maior distância de pista disponível (de forma segura, obviamente) afim de economizar combustível e exigir menos dos motores. Ou seja, se eles puderem evitar de decolar com potência máxima de forma segura, eles o farão. Tudo isso é calculado pelos computadores de bordo. Outro fato interessante é que a relação potência / peso máximo de decolagem do A350 é ligeiramente superior à do 787. Portanto, o fato do A350 ter decolado mais “comprido” é certamente apenas uma questão de otimização da performance, e não uma falta de desempenho.

    – Turbulências são fenômenos um tanto quanto complexos, e apesar de você poder distinguir uma forte turbulência de uma fraca, não tem como você medir uma turbulência e dizer que, numa escala de 0 a 10, essa turbulência é exatamente igual àquela, ou 10% menor que outra. A não ser que dois aviões viajem um ao lado do outro nas mesmas condiões de vôo (velocidade, peso, centro de massa, …), não é possível dizer que um avião passou por exatamente as mesmas turbulências que o outro. Por isso, eu acho que, ao se comparar dois aviões moderníssimos de última geração, não dá para concluir que um avião encare turbulências melhor que o outro baseado em condições de vôos diferentes. No mesmo trajeto, já voei aviões antigos que não mexeram nada, enquanto que outros de última geração tiveram muita turbulência. Portanto, eu diria que para aviões da mesma categoria e da mesma geração, é muito difícil, se não for impossível, estabelecer um ranking de conforto em turbulências.

    E que fique claro: não sou necessariamente fã da Airbus – para mim nada melhor que um 777-300 com o GE90. 🙂

    Valeu, abraço, e boas viagens!

    • mm
      Responder junho 7, 2017

      Fabricio Moura

      Oi Michel,tudo bem? Obrigado pelos esclarecimentos. Nada como alguém da área para dar uma clareada nesse céu. Também não sou fã de Boeing ou Airbus, gosto de avião e ponto. Já tive experiências de voo incríveis no A380 (acho que meus melhores voos foram com ele) mas adoro ouvir a GE90 em rotate, enfim, a paixão vai além da marca A ou B. Super obrigado pelos comentários.

  • Responder julho 12, 2017

    LENICE

    Uauu, obrigada Fabrício, obrigada Michel, fico muito feliz em ler esta matéria esclarecedora

Deixe uma resposta