O túnel do amor existe e fica na Ucrânia

túnel do amor

É bem provável que você já tenha visto alguma foto desse lugar e ficou se perguntando se ele realmente existe ou se trata de alguma montagem. Sim, ele existe, o túnel do amor fica na cidade de Kleven na Ucrânia, perto da fronteira com a Polônia.

O túnel natural tem cerca de 7 quilômetros de extensão e vai da cidade até uma fábrica de móveis e foi apelidado dessa forma por moradores de Kleven, pois uma lenda local diz que se o casal atravessar todo túnel de mãos dadas, em alguns dias ficará provado que o amor deles é verdadeiro e para sempre.

O túnel do amor parece que saiu realmente de algum conto de fadas, é um caminho emoldurado por vegetação bem próxima dos trilhos e curva, o que dá esse aspecto de túnel.

Apesar de parecer intocado, passam trens até três vezes por dia no túnel do amor, levando madeira da cidade de Kleven até a fábrica de móveis nos arredores.

tunel1

No verão é quando a vegetação fica mais exuberante

tunel2

Lá vem o trem

tunel3

E os casais

Como visitar o túnel do amor?

Não é todo dia que você decide ir a Ucrânia, não é mesmo? Mas se mesmo assim você pensar na idea, a forma mais fácil de chegar até Kleven é partindo da capital, Kiev. Existem um trem que sai diariamente de Kiev às 21h46 com destino a cidade de Kovel e passa por Kleven, a viagem dura cerca de 6h30.

Como o túnel fica em área pública, não é cobrado nenhuma entrada e ele fica a apenas 1 quilômetro da estação de trens de Kleven.

A melhor época para visitar é no verão, quando as temperaturas estão mais amenas e a vegetação que forma o túnel fica mais exuberante. No comecinho do outono também é uma boa época, pois fica tudo em tons de amarelo e vermelho.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

Deixe uma resposta