Viajar sozinho não é sinônimo de solidão

viajar sozinho

Eu sempre fui uma pessoa um pouco introvertida, por mais que meus amigos duvidem disso, mas para fazer amizades e me sentir confortável no meio de estranhos não é tão fácil para mim como para os mais soltinhos.

As vezes, gosto de estar sozinho. Sentar num café e ler meu livro. Eu sempre achei que essa “solidão” forçada ajuda a organizar as ideias, projetos e objetivos. Condicionar uma boa viagem a fazer pencas de amigos é um erro.

Mas também, conhecer novas pessoas, criar laços e ver uma amizade surgir é bacana. Um dos melhores frutos que a gente pode colher numa viagem. É legal essa troca de experiência com pessoas de outros lugares, um morador local sempre vai conhecer os melhores restaurantes, bares e ele sempre vai ter as melhores dicas. E um dia, quem sabe você poderá retribuir a hospitalidade?!

Nas minhas últimas viagens, conheci pessoas que guardo com carinho e mantenho contato até hoje. Como um bando de espanhois malucos que eu encontrei em Amsterdã, uma família do Porto, Portugal que me tratou como família em seu restaurante, uma turma de chilenos que eu conheci em um bar de Santiago e que fui parar na casa de um deles para um almoço de Natal.

Se você tem essa dificuldade de conhecer novas pessoas e socializar no hall do hotel ou no hostel pode ser um pesadelo, mas a internet está aí para nos ajudar. Sabe o Couchsurfing? Aquela plataforma colaborativa onde os viajantes conseguem hospedagem grátis? Então, ele é bem mais que isso.

O Couchsurfing é uma ótima ferramenta para conhecer pessoas, mesmo que você não queira se hospedar de graça na casa de ninguém ou oferecer a sua. O site tem as seções “eventos” e “grupos”, que nos ajudam a conhecer pessoas com os mesmos objetivos. Você pode fazer uma busca por cidades e ver o quais eventos estão rolando, o que as pessoas estão dizendo e fazer contato com elas.

Você também pode criar uma “viagem pública”, colocar seu roteiro e as pessoas daquele lugar vão te procurar para oferecer dicas e troca de ideias.

Outra forma bacana são os grupos de viajantes no Facebook. Tenho conversado com um pessoal sensacional de Berlim.

Viajar sozinho, não precisa ser sinônimo de solidão, a não ser que você queira isso.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

4 Comentários

  • Responder agosto 13, 2015

    Cris

    Não poderia concordar mais. Há alturas que é muito bom viajar de companhia para dividir experiências, memórias … mas outras só é positivo nos encontrarmos connosco mesmos e ter a nossa agenda de viagem.

  • […] “Eu sempre fui uma pessoa um pouco introvertida, por mais que meus amigos duvidem disso, mas para fazer amizades e me sentir confortável no meio de estranhos não é tão fácil para mim como para os mais soltinhos. […]” Leia mais >> […]

  • Responder outubro 22, 2015

    Fernanda

    Adorei o Blog! Parabéns!

    • mm
      Responder outubro 22, 2015

      Fabricio Moura

      Obrigado, Fernanda.

Deixe uma resposta