Como é voar com a Copa Airlines em classe econômica

Em outubro de 2016 eu tive a oportunidade de voar pela primeira vez com a Copa Airlines, companhia aérea do Panamá que tem uma excelente rede de destinos conectados a partir do seu hub na Cidade do Panamá, no Aeroporto Internacional Tocumen.

A minha viagem foi uma press trip a convite do Hard Rock Hotel & Casino Punta Cana e da Copa Airlines. Voei os trechos entre São Paulo e o Panamá em classe econômica e do Panamá a Punta Cana na República Dominicana de classe executiva e nesse post vou falar sobre como é voar com a Copa Airlines na classe econômica.


Como é voar com a Copa Airlines


Nesse post eu vou falar tanto da ida, quanto da volta, já que houveram diferenças entre eles. A volta foi uma enorme decepção que eu explico abaixo.

Compra das passagens

Como foi uma press trip, as passagens foram emitidas diretamente pela Copa, mas com o código da reserva em mãos eu consegui reservar minha poltrona, mas não era possível fazer nenhum pedido especial, como uma refeição específica.

Checkin

Eu cheguei no Terminal 2 do Aeroporto Internacional de Guarulhos aproximadamente 3 horas antes da partida. Naquela noite a Copa operaria duas frequências do Brasil ao Panamá, um voo a 1h25 da madrugada que era o meu e outro às 3h25.

Fila enorme e demorada

Como é voar com a Copa Airlines: Fila enorme e demorada

Quando cheguei no checkin para despachar a minha mala a fila já estava enorme, mesmo para quem já tinha feito o checkin online. O tempo de atendimento, tanto para quem já tinha feito o checkin, quanto para quem ainda não tinha feito foi o mesmo, por tanto, não entendi a “vantagem” de já ter adiantado o procedimento ainda em casa.

Eu demorei aproximadamente 1 hora para ser atendido, um tempo muito além do normal, já que se trata de um voo operado com uma aeronave pequena e eles tinham pelo menos 6 funcionários fazendo a operação.

A aeronave

A frota da Copa Airlines é composta basicamente de Boeings 737 da série -800 e -700, além de algumas aeronaves Embraer 190 para voos de menor densidade e de curto alcance a partir da Cidade do Panamá.

Nosso voo foi operado com um Boeing 737-800 dos mais novos, com sky interior (um sistema de iluminação que simula os momentos do dia e reduz o cansaço das viagens), sistema de entretenimento individual e algumas melhorias que a Boeing fez nessas aeronaves depois do lançamento do Boeing 787 Dreamliner.

Interior do 737-800 (Imagem: Airlines.net)

Como é voar com a Copa Airlines: Interior do 737-800 (Imagem: Airlines.net)

Os 737 são equipados com 16 poltronas na classe executiva e 138 ou 144 na classe econômica, dependendo da versão e como em todas as aeronaves desse modelo, o layout das poltronas é na configuração 3-3.

As poltronas tem exatamente a mesma distância das poltronas dos Boeings 737 da Gol, para servir de comparação. Ou seja, é bem apertadinho.

Embarque

Nosso embarque começou na hora marcada, primeiramente as prioridades, seguido dos passageiros voando na classe executiva e seguido do embarque da econômica organizado por grupos.

A tripulação da Copa é formada basicamente por panamenhos, eles não falam português, mas entendem bem quem tem dificuldades com inglês ou espanhol. Para minha surpresa, o comandante era brasileiro e fez o speech em português, inglês e espanhol.

Voo e serviço de bordo

O voo de São Paulo ao Panamá dura aproximadamente 7 horas, eu particularmente acho um trecho muito longo para um Boeing 737, considerando ainda o espaço apertado das poltronas, uma dificuldade maior para quem é mais alto.

Logo após a decolagem a tripulação baixou as luzes da cabine e começou o serviço de bordo. Como opções tinha um pacotinho de mini Oreos e mini batatinhas e só. Ou seja, coma antes de embarcar para não ficar com fome, ou leve alguma coisa na bolsa.

Café da manhã estranho

Café da manhã estranho

Faltando duas horas para o pouso no Panamá a tripulação começou a servir o café da manhã, que foi uma refeição de verdade perto do lanchinho da madrugada.

Só tinha uma opção, que era uma mini salsicha, uma espécie de omelete e uma tortinha que parecia ser de queijo e ovo que até agora eu não sei exatamente o que era. Mas tinha uma consistência estranha e muito óleo. Também tinha um pãozinho com manteiga, uma saladinha de frutas e um Danoninho. As opções de bebidas eram sucos, café e água.

Os talheres são de plástico, daqueles que se quebram na primeira tentativa de cortar o pão.

Honestamente, comida de avião nunca é das melhores e considerando a fome nervosa da madrugada, até que desceu bem sem saber exatamente o que eu estava comendo.

Entretenimento e conforto

Na poltrona tinha apenas uma manta, não tinham travesseiros. Após a decolagem a tripulação distribuiu os fones de ouvido, mas eram bem ruins e se você puder, leve os seus.

Como eu disse acima, as poltronas são bem apertadas, eu que tenho 1.77m já fiquei desconfortável, quem for mais alto deve ser ainda pior.

copa4

Como é voar com a Copa Airlines: Sistema de entretenimento

copa3

Como é voar com a Copa Airlines: Mapa de navegação

Um ponto positivo da frota da Copa é o sistema de entretenimento individual, as telas tem uma ótima resolução, mas o catálogo de filmes é pequeno. Não espere muitos lançamentos e um ou dois episódios de algumas séries de TV mais famosas.

Além disso, o sistema tem alguns documentários curtos, jogos, música e os tradicionais mapas de navegação. Para um voo de 7 horas, é satisfatório.

Nas poltronas tem também uma porta USB ótima para recarregar o celular, não testei para assistir meus conteúdos na tela do sistema, como funciona em alguns casos.

O pouso na Cidade do Panamá foi tranquilo, e a conexão no Aeroporto Tocumen é simples, o conceito de hub da Copa funciona bem, a gente basicamente sai de um avião e já entra no outro.

Conexão no Panamá

Como é voar com a Copa Airlines: Conexão no Panamá


E a volta desastrosa…


Como vocês leram acima, o voo de ida de São Paulo ao Panamá não foi nada excepcional, eu esperava mais da Copa, mas a volta conseguiu ser ainda pior.

Nosso voo estava marcado para partir às 21hs mas só começamos embarcar por volta das 22h20. Ao embarcar, notei que a aeronave estava suja, minha poltrona tinha restos de comida e os corredores estavam cheios de migalhas do meio do avião para trás.

Ficamos dentro da aeronave em solo por mais 1 hora e nesse meio tempo ainda houve uma emergência médica e um passageiro precisou ser desembarcado. Nosso voo saiu com quase 3 horas de atraso.

Após a decolagem a tripulação começou a servir o jantar, entre as opções eram carne ou frango. Se você é vegetariano, ficaria com fome. Eu escolhi a carne e veio com arroz, saladinha de entrada, pão com geleia e um pacotinho de mini Oreos de sobremesa. Para beber tinham sucos, água, cervejas e vinho.

Jantar na volta

Como é voar com a Copa Airlines: Jantar na volta

A comida estava boa, bem melhor do que o café da manhã estranho da ida, mas… faltou comida! Provavelmente por um erro de logística, não tinha comida para as duas últimas fileiras de assentos.

Para piorar ainda mais a experiência, não tinham cobertores para todos os passageiros, os que estavam sentados do meio do avião para trás (incluindo eu) sofreram com aquele ar condicionado gélido durante as 7 horas de viagem.

Antes do pouso em São Paulo foi servido o “café da manhã” que era aquele pacotinho de mini Oreos de novo e um café puro ou com aquele leite em pó de avião.

Para mim, voar com a Copa foi meio traumático, mas também preciso ser justo. Este voo aconteceu uns 5 dias após a passagem do furacão Matthew pelo Caribe e eu notei que diversos voos estavam atrasados naquela noite. Não sei se por conta disso, a nossa aeronave não pode ser preparada adequadamente para o voo ou se foi uma falha da Copa.


Vale a pena?


Independente da volta traumática, eu só voltaria a voar com eles se não houvesse opção e é justamente o que aconteceu depois. Eu tenho um voo agendado com a Copa para o fim do ano, era a única opção e olha, eu tentei todas as companhias aéreas que cobrem a rota, sem sucesso. Ou os preços eram (mais) astronômicos ou os horários eram inviáveis.

Desejem-me muita sorte!

Atualização:
Conforme comentado acima, eu voei com a Copa de São Paulo a Havana no dia 31 de dezembro de 2016 e retornei a São Paulo no dia 9 de janeiro de 2017. Nesses voos ocorreu tudo bem, nenhuma anormalidade. As refeições continuam as mesmas, mas em um dos voos eu percebi que os cobertores não foram higienizados, um comissário pegou um saco plástico com todos eles e distribuiu um a um e tinham fios de cabelo nos cobertores. Bom, nem tudo é perfeito.

Dica matadora: Dependendo da tarifa, a Copa não cobra para marcar as saídas de emergência, desde que você seja um passageiro qualificado (não seja gestante, idoso, deficiente físico ou viajando com crianças), marque as poltronas da fileira 18 nos Boeing 737-800, elas tem um espaço enorme e reclinam, diferente das fileiras 17 (também saída de emergência) e 16 que não reclinam.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

22 Comentários

  • Responder novembro 3, 2016

    Amanda Santos

    Nossa, Fabricio, que experiência horrível. Meu marido e eu vamos pra Cancun em março e estávamos pensando em viajar com a Copa, a diferença de preços para a Avianca era até pequena, mas não vale mesmo a pena pagar menos e viajar dessa forma. Obrigada pela sinceridade.

  • Responder novembro 3, 2016

    Fernando Alvarez

    Estou abismado com o descaso. Por mais que tivesse um furacão, um pedido de desculpas era o mínimo. Avião já não é o lugar mais limpo do mundo, sujo então?! É quando o barato sai caro, eu já não simpatizava com a ideia de um voo tão logo em 737, agora então…

  • Responder novembro 3, 2016

    Paula Silva Monteiro

    E voei com eles uma vez para Miami, o preço era bom, mas o voo sim é pavoroso. Pior que o avião do Panamá aos EUA era velho e não tinha as TVs atrás das poltronas. A comida tinha gosto de nada. Copa nunca mais.

    • mm
      Responder novembro 3, 2016

      Fabricio Moura

      Pelo menos no seu voo ainda tinha comida hahhahah

  • Responder novembro 3, 2016

    Ronaldo

    Tá louco, prefiro pagar mais na Avianca, na LAN, que seja…

    • mm
      Responder novembro 3, 2016

      Fabricio Moura

      Pior que vou voar com eles de novo no fim do ano, mas seja o que Deus quiser.

  • Responder novembro 3, 2016

    Antonio Palatino

    Show de horrores, heim?! Aposto que nessas horas você fica lembrando de como é voar com a Emirates. Ok, nada se compara com a Emirates, mas faltar comida e cobertor, além do avião imundo é demais. Acho que nem na África deve ser assim.

    • mm
      Responder novembro 3, 2016

      Fabricio Moura

      Comparar com a Emirates e Qatar é judiação hahaha, mas olha, foi sofrível.

  • Responder novembro 3, 2016

    Antonio Palatino

    Rapazzzz, imagina na Copa! hhahahah piada antiga mas tá valendo.

  • Responder novembro 3, 2016

    Marcelo

    Gente, eu fiz essa mesma rota com a Avianca e recomendo. Foi tudo de bom, serviço TOP. Até pensei em ir de Copa na viagem de San Andres, mas depois dessa, nunca mais.

  • Responder novembro 3, 2016

    Bruno Calixto

    A ida até que foi bem de boa né? Eu já viajei com eles pro Mexico uma vez, foi tudo bem mas realmente a comida é uma desgraça e a minha mesinha tinha café seco de semanas ali.

  • Responder novembro 4, 2016

    Juliana Trevisan

    Por isso eu amo alguns blogueiros, mesmo ganhando a viagem, falou a verdade e não enganou os leitores. Ainda acredito nas pessoas #ForaCopa

  • Responder novembro 19, 2016

    Emmanuel Schurmann

    Nossa!!!
    Entre ficar chocado com tudo isso numa viagem e rindo, eu me imaginei ficando estressado com tudo isso também. Muita sorte aí no final do ano!

    • mm
      Responder novembro 20, 2016

      Fabricio Moura

      Eu fiquei mais chocado do que estressado, hahaha

      • Responder fevereiro 20, 2017

        Caroline Medeiros

        Oi Fabricio, como foi a sua viagem no final do ano com a Copa? Mudou alguma coisa?

        • mm
          Responder fevereiro 20, 2017

          Fabricio Moura

          Oi Caroline, tudo bem?

          Bom, no voo da ida tinha o mesmo mini Óreo de “refeição” e o café da manhã continua estranho. Na ida não tinha cobertor pra ninguém. Na volta serviram um jantar que estava até bom e tinha pra todo mundo, na volta também tinham cobertores mas eles não estavam higienizados, o comissário passou com eles dentro de um saco de lixo distribuindo para os passageiros. Nesses voos eu consegui reservar a saída de emergência e foi muito bom, porque o espaço era ótimo.

          Honestamente? Só viajaria de novo se o preço fosse MUITOOOOO inferior ao das outras empresas.

  • Responder fevereiro 19, 2017

    Kharen

    Olá, Fabrício! E o outro voo no fim do ano, como foi? Faltou comida e coberta, além da sujeira na aeronave? Estou com muita dúvida se me arrisco a voar de Copa…

    • mm
      Responder fevereiro 20, 2017

      Fabricio Moura

      Oi Karen, tudo bem? Dessa vez os aviões estavam limpos. No voo da ida tinha o mesmo mini Óreo de “refeição” e o café da manhã continua estranho. Na ida não tinha cobertor pra ninguém. Na volta serviram um jantar que estava até bom e tinha pra todo mundo, na volta também tinham cobertores mas eles não estavam higienizados, o comissário passou com eles dentro de um saco de lixo distribuindo para os passageiros. Nesses voos eu consegui reservar a saída de emergência e foi muito bom, porque o espaço era ótimo.
      Honestamente? Só viajaria de novo se o preço fosse MUITOOOOO inferior ao das outras empresas.

  • Responder julho 24, 2017

    Celso

    Fabricio, que experiência chata vc teve com a Copa hein… vou pra NY em outubro, ida e volta COPA, justamente por causa do preço, e tb por causa da conexão que eu curti a idéia de ficar algumas horas (quase 10h) pra ser mais exato na Cidade do Panama, da pra dar uma conhecida né… espero nao ter essa experiência que vc teve… mas ta valendo…abraço

    • mm
      Responder julho 24, 2017

      Fabricio Moura

      Oi Celso, realmente foi péssimo voar com eles. Eu voltei a voar uns 3 meses depois de São Paulo a Havana e pelo menos não faltou comida a bordo, mas eu só voltaria a voar com a Copa em último caso.

  • Responder setembro 30, 2017

    Gabriele de Azevedo Cunha

    Nunca mais em toda a minha vida eu viajo com a Copa Airlines.
    Em 18/09/2017 houve um apagão no aeroporto do Panamá e mesmo após o retorno da luz, a Copa não nos deu suporte algum. Nada de informações, comida, água ou hospedagem. Depois de filas intermináveis com muita confusão, conseguimos um voo para a Cidade do México. Resumindo, ficamos 20 horas presos no aeroporto do Panamá.
    E agora na volta de Cancun para o Rio de Janeiro, não consigo realizar o meu web check in. Recebi um email dizendo que não conseguiram localizar a minha reserva.
    E pronto!
    Definitivamente um lixo de companhia!

    • mm
      Responder outubro 4, 2017

      Fabricio Moura

      Gabriele, eu só voltaria a voar com eles se fossem a única opção, caso contrário, Copa, nunca mais.

Deixe uma resposta