Como é voar na classe executiva da AeroMéxico (B 737-800)

classe executiva da AeroMéxico

Para quem tem curiosidade de saber como é voar na classe executiva da AeroMéxico em voos de curta e média duração, esse post vai responder as suas perguntas.

Durante o meu giro pelo México eu tive a oportunidade de fazer alguns voos internos com a AeroMéxico e um deles foi da Cidade do México até Tijuana, coladinha em San Diego nos Estados Unidos.

A AeroMéxico é a principal companhia aérea do México e opera uma enorme rede doméstica e internacional, chegando até na China, e claro, voa direto da Cidade do México até São Paulo diariamente.

A frota de longa distância deles é formada pelos Boeings 777-200 (em fase se aposentadoria), Boeings 787-8 e -9. Além dos Boeings 737-700 e -800 para voos domésticos e de curta e média distância. A companhia também opera voos regionais com a AeroMéxico Connect, antiga AeroLitoral com uma frota de Embraer 170 e 190.

imigração no México

Boeing 737-800 da AeroMéxico


Como é voar na classe executiva da AeroMéxico


Compra da passagem

Eu emiti a passagem pelo Smiles, que tem parceria com a AeroMéxico tanto para acúmulo de milhas, quanto para resgates. Essa passagem custa normalmente em torno de R$ 1.500 reais e eu consegui com 20 mil milhas. Um bom negócio.

O processo foi rápido e em questão de minutos eu já tinha a confirmação no meu e-mail. Mas não consegui marcar a poltrona, porém, o sistema atribuiu automaticamente o assento 4F para mim, uma janela, e tudo bem.

Check-in

O Check-in da AeroMéxico pode ser feito pelo site deles, aplicativos ou da forma tradicional, no balcão. A empresa opera seus voos no Terminal 2 do Aeroporto Internacional Benito Juarez na Cidade do México e tem uma área inteira destinada ao check-in de passageiros voando na Classe Premier, a executiva deles.

Eu não demorei para ser atendido, achei o pessoal bem cordial e ligeiro. Em questão de minutos eu já estava com o cartão de embarque nas mãos.

Checkin da AeroMéxico

Sala vip

Passageiros voando na classe executiva da AeroMéxico podem usar a sala vip deles, o Salón Premier, que fica no mezanino logo depois do raio-x. A sala era pequena, tinha dois ambientes, um deles com um café e no outro um bar e uma balcão de buffet.

Para comer não tinha quase nada, apenas alguns mini-sanduíches, um monte de alface e alguns molhos. Perguntei se tinha sobremesas e o garçom me disse que não, pedi um espumante e… não. Mas no geral, a oferta de bebidas era razoável. Mas fiquei bastante decepcionado com a sala vip, a principal deles, que deixou muito a desejar.

Só que, não tinha comida

O único balcão de comidas e bebidas

Um panorama da sala vip

Embarque

O embarque começou com 10 minutos de atraso e os passageiros voando na classe executiva embarcaram primeiro. Não priorizaram nenhum outro tipo de passageiro, como acontece no Brasil. Fomos recebidos na porta pela chefe de cabine, deu as boas vindas e não acompanhou os passageiros até suas poltronas, como é de praxe quando voamos em classes superiores.

Sala de embarque do aeroporto da Cidade do México

Embarcamos no portão 59

Prioridade de embarque

A aeronave

O voo AM184 foi operado por um Boeing 737-800 com 11 anos de uso, mas estava bem conservado e limpo.

A classe executiva dele está configurada com 16 poltronas no layout 2-2 e a econômica com 144 poltronas no tradicional formato 3-3.

As poltronas da classe executiva da AeroMéxico são de couro e bem espaçosas, mas não possuem muitas opções de regulagens de reclino. Na verdade ela reclina bem pouco e o que garante um conforto melhor é o apoio para as pernas e o encosto de cabeça regulável. É uma classe executiva já das antigas, bem antiquada.

Todas as poltronas tem uma tela de LCD de 9 polegadas touch-screen, mas ainda contam com um controle remoto embutido no braço da poltrona.

Poltronas da classe executiva da AeroMéxico

Conforto

A poltrona em si é confortável, adequado para voos de curta e média distância, mas não espere uma flat-bed ou algo parecido para longas horas de voo. A AeroMéxico usa essas aeronaves para voos do México a Nova York e Toronto, por exemplo, eu evitaria se fosse você.

Cobertor e travesseiro

Fones de ouvido dos piores

Na minha poltrona tinha um cobertor, o mesmo da classe econômica e um travesseirinho bem tímido, mas de boa qualidade e fronha de algodão. Logo após o embarque a tripulação distribuiu fones de ouvido. Nada de noise reduction, os fones eram bem ruins e a minha dica é levar o seu.

Também não distribuíram nenhum tipo de amenity, uma simples máscara de dormir teria ajudado, já que foi um voo noturno de mais de 3 horas, mas em geral as empresas não fazem esse tipo de cortesia em viagens consideradas curtas.

Nada de especial no banheiro

Voo e serviço de bordo

Logo após o embarque eles serviram um drink de boas vindas, que era água ou suco de laranja, alguns passageiros pediram nozes também.

Drink de boas vindas

O voo partiu no horário e cerca de uma hora depois da decolagem eles começaram o serviço de bordo.

Não tinha opção, veio um sanduíche quente no pão tipo croissant com tomates gratinados e com uma saladinha de entrada. De sobremesa uma espécie de iogurte com arroz doce. Pode parecer estranho, mas estava gostoso.

O serviço veio todo de uma vez e para beber tinham sucos, água, refrigerantes, cerveja, vinho branco e tinto. Eu fiquei na água e no vinho tinto. As louças eram de porcelana, copos de vidro e talheres de metal.

Refeição servida na classe executiva da AeroMéxico

O conjunto de porcelana agrada

A tal sobremesa

Não teve repeteco na bebida e logo depois eu fui explorar o sistema de entretenimento de bordo. O sistema está disponível em vários idiomas, inclusive o português. Tinha uma quantidade boa de filmes, considerando duração da viagem. Achei bacana pois tinham muitos filmes mexicanos da atualidade, muito bons por sinal.

Algumas séries, opções para crianças, um mapa de voo e só. Eu acho que nos Boeings 737 o sistema de bordo deve ser mais enxuto quando comparado com os Boeing 787 Dreamliner. Mas deu pra matar o tempo.

Sistema de entretenimento em português

Catálogo de filmes

Mapa de voo

Controle remoto e ajustes da poltrona

No bolsão da poltrona tinham duas revistas da AeroMexico, a Aire e a Accent, além do catálogo do Duty Free.

O voo foi bem tranquilo, até me arrisquei a dormir um pouco e cerca de 3 horas depois de decolar da Cidade do México já estávamos pousando em Tijuana, na Baja Califórnia.

Conclusão

Honestamente, eu acho que pagar caro pela classe executiva da AeroMéxico no Boeing 737 ou até mesmo nos antigos Boeings 777 não vale a pena. A entrega é bem pequena perto do preço que eles vendem a passagem. No geral o serviço é bem mediano e eu não pagaria ou usaria milhas pra voar de novo na classe executiva da AeroMexico nessas aeronaves.

Imagem de capa: divulgação


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

1 Comentário

  • Responder outubro 12, 2017

    Diego Araújo

    Que horror!

Deixe uma resposta