Roteiro pela região de Furnas na Ilha de São Miguel nos Açores

Furnas

Este foi o segundo roteiro que eu fiz no Arquipélago dos Açores e foi de fato a primeira vez que eu vi a força das atividades vulcânicas ainda presentes na ilha, almocei o tradicional cozido das Furnas e terminei o dia nas piscinas termais de água quente que vem das profundesas da terra.

Mas vamos por partes, ok? O passeio durou um dia inteiro, saímos do hotel na região central de Ponta Delgada por volta das 9hrs da manhã e fomos em direção a costa norte da ilha.

A primeira parada foi em um mirante, mas o tempo estava ruim e não demoramos muito para seguir em frente. Uma coisa que me deixou tranquilo na viagem ao Arquipélago dos Açores é que se o tempo está ruim agora, tudo pode mudar em 5 minutos. O clima vai da chuva ao sol, do nevoeiro ao tempo limpo em questão de minutos.

Tempo cinzento que melhorou pouco depois

Tempo cinzento que melhorou pouco depois

A parada seguinte foi em uma das duas fábricas de chá da Ilha, a Porto Formoso que ao lado da Gorreana são as únicas produtoras de chá da Europa, que cultivam e produzem o chá. Para quem não sabe, todo o chá vendido na Europa e em boa parte do mundo é cultivado na Ásia.

A visita é bacana, a fábrica é linda e super antiga, foi fundada nos anos 1920, funcionou até os anos 80 e depois reabriu no final dos anos 90. Dá para fazer degustação e comprar o chá por um preço bem baixinho, 2.50 euros a caixinha.

Fábrica de chá Porto Formoso

Fábrica de chá Porto Formoso

Hora do chá

Hora do chá

Daqui seguimos pela estrada e como eu disse acima, o tempo já tinha mudado de novo e estava um sol lindo. Assim, fomos por uma estrada no interior da ilha em direção ao Pico do Ferro. Um ponto onde podemos ver toda a cratera da região de Furnas, a imensa lagoa verde, a Freguesia de Furnas lá embaixo e daqui já conseguimos ver também as primeiras manifestações vulcânicas.

azz3

Vista do Pico do Ferro

Saindo do Pico do Ferro, passamos por mais campos incrivelmente verdes que parecem aquela clássica imagem do Windows XP e muitas, mas muitas hortências, mas não estavam mais floridas como no verão.

De um lado ou de outro as sempre presentes vaquinhas. Quer uma curiosidade? A ilha produz cerca de 40% de todo o leite que é consumido em Portugal inteiro, é muita coisa tendo em conta que os Açores cobrem apenas 2,5% do território Português.

No centro da Freguesia de Furnas fica a região com maior manifestação vulcânica da ilha e contém a maior hidrópole em todo mundo. Uma região com várias caldeiras com água borbulhando, muita fumaça e o forte cheiro de enxofre.

azz6

A cidadezinha de Furnas

Diz a história que quando os primeiros exploradores chegaram aqui e testemunharam a imagem da fumaça saindo das cavernas, ficaram assustados achando que tinham descoberto a porta do inferno. Especialmente na Caldeira de Pero Botelho, que ainda emite um som bem particular, parece um zumbido ou um coração batendo.

Caldeira Pero Botelho ou porta do inferno

Caldeira Pero Botelho ou porta do inferno

Nas fotos vocês conseguem ver que são várias caldeiras e como é uma área vulcânica bem dinâmica, as manifestações podem aparecer em qualquer lugar, dizem que já começou sair fumaça até dentro de uma casa.

Perto das caldeiras também tem algumas fontes de água, algumas de água escaldante, outra de água gasosa e rica em ferro.

azz11

Cara a cara com as manifestações vulcânicas

azz10

Caldeiras de água fervendo

azz9

Caldeiras

azz8

Fonte de água rica em ferro

No centro da Freguesia de Furnas, vale passar numa das fábricas de Bolo Lêvedo e comprar alguns, são bolos (que na verdade parecem pães) bem tradicionais nas ilhas. Em frente a região das caldeiras tem também uma lojinha de souvenir que vendem os tradicionais licores da Ilha de São Miguel, vale provar todos os 9 e comprar alguns. A garrafinha pequena custa apenas 2 euros.

Tem que provar da água

Tem que provar da água

Perto do meio dia fomos até uma região na margem da lagoa onde é preparado o tradicional Cozido das Furnas. Funciona assim: bem cedo os vários restaurantes de Furnas levam grandes panelas até essa região com atividade vulcânica e enterram as panelas na terra e elas ficam lá por 7 horas cozinhando no vapor.

Por volta do meio dia, a hora mais esperada. Os responsáveis pelos restaurantes vão até lá desenterrar as panelas e levar até os estabelecimentos que irão servir a comida.

Nosso almoço

Nosso almoço

A imagem é bem curiosa e diferente para a quem não mora nos Açores, prova disso é a quantidade de turistas no lugar.

Na panela tem carne de boi, porco, frango, batatas, cenouras, inhame, chouriço e morcelas, que é o chouriço de sangue como é chamado em Portugal. Antes que você me pergunte, a comida não fica com sabor ou cheiro do enxofre.

Retirando da terra

Retirando da terra

azz14

Taí

Fomos comer a iguaria no Restaurante Banhos Férreos, que funciona onde até pouco tempo existia uma casa de banhos termais, mas que teve que ser desativada pois uma bactéria contaminou a sua água e hoje funciona como um agradável restaurante.

De entrada tinham um mix queijos tradicionais, como o de São Jorge o novíssimo Queijo de Furnas, eu amei.

Taí o famoso cozido

Taí o famoso cozido

Posso dizer que o cozido é muito bom, superou as minhas expectativas. Não é a comida mais bonita do mundo, mas é muito bom. Como sobremesa não deixe de pedir uma fatia generosa de ananás ou uma das tradicionais queijadas da ilha, como a queijada de Vila Franca do Campo. Preço do almoço: 12,5 euros com bebidas (duas cervejas) e sobremesa, mas esse preço especial só para quem vai com a FUNtastic Azores. Anota essa dica!

Queijada premiada

Queijada premiada

Depois de comer, fui conhecer as tradicionais piscinas termais de Furnas. São dois lugares para o banho, um fica no Parque Terra Nostra e a Poça da Dona Beija, que tem esse nome por causa de uma novela brasileira.

E lá fomos nós, eu e o Paulo, o guia da FUNtastic Azores. O complexo tem 5 piscinas de água corrente, a temperatura nas mais quentes é de 39 graus e 28 graus na mais fria. A entrada custa 4 euros, tem uma área para troca de roupa e depois é só aproveitar as piscinas.

Uma das piscinas termais

Uma das piscinas termais

A água é muuuito quente, demora até um pouco pro corpo se acostumar, mas depois, é talvez uma das sensações mais relaxantes que você irá sentir.

A água contém muito ferro, então não use roupas brancas. A concentração de ferro é tão grande que as bordas, o fundo das piscinas e o riacho por onde escoa a água é laranja.

Outra piscina

Outra piscina

Uma dica importante para quem tem hipertensão é fazer intervalos de alguns minutos entre um banho e outro.

Na volta para Ponta Delgada pelo lado sul da ilha, passamos próximo a Freguesia de Vila Franca do Campo, que foi a primeira capital da Ilha e de onde conseguimos ver o Ilhéu da Vila, uma formação vulcânica de formato circular no oceano e que estava lindo naquele fim de tarde.

Fim de um dia abençoado

Fim de um dia abençoado

Viajar pela Ilha de São Miguel no Arquipélago dos Açores é uma surpresa nova a cada curva, um lugar realmente mágico e especial.

Os detalhes desse roteiro você encontra aqui.


Leia mais:
Roteiro das Sete cidades e Lagoa do Fogo no Arquipélago dos Açores


Em novembro de 2016 eu viajei para o Arquipélago dos Açores e contei com o apoio da EasyJetFUNtastic Azores e Platano Hotels. O Vou na Janela só faz parcerias com empresas em que recomenda seus serviços.

Imagem de capa: FUNtastic Azores


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar