Roteiro das Sete cidades e Lagoa do Fogo no Arquipélago dos Açores

Sete Cidades

O primeiro tour que eu fiz no Arquipélago dos Açores com a FUNtastic Azores foi um dos que eu mais estava esperando, a visita às lagoas das Sete Cidades na cratera de um vulcão onde duas lagoas, a azul e a verde ajudam a criar uma das paisagens naturais mais espetaculares que eu já vi. Depois seguimos pelo oeste e depois contornando a costa sul em direção a Lagoa do Fogo.

Nós saímos do hotel onde eu estava hospedado por volta das 9h da manhã, esse tour dura um dia inteiro, o passeio é todo feito em uma van bem confortável.

Primeiro seguimos em direção a noroeste e depois começamos a subir as montanhas que situam-se no lado oeste da ilha. A primeira parada é no mirante do Pico do Carvão, de onde a gente já consegue ter uma ótima vista dos lados norte e sul da ilha.

Pico do Carvão

Pico do Carvão

Daqui também conseguimos avistar a distância o Vulcão do Fogo onde fica a lagoa de mesmo nome e o Pico da Vara, um dos pontos mais altos da ilha de São Miguel.

É um bom lugar para entender a formação da ilha. Há milhares de anos atrás eram duas ilhas que se uniram após constantes erupções vulcânicas.

Depois seguimos em direção a Sete Cidades e o que fica mais nítido é a mudança da paisagem, nas partes mais altas, com mais umidade e clima frio, a vegetação é mais densa e com árvores que lembram pinheiros e quilômetros de hortências que rodeiam as estradas.

Lagoa das Empadadas

Lagoa das Empadadas

A parada seguinte foi na Lagoa das Empadadas e depois subimos ainda mais até o começo de uma pequena trilha até o mirante da Lagoa do Canário, e logo a seguir caminhámos um pouco para visitar o mirante da Grota do Inferno de onde temos uma das melhores vistas da ilha e certamente, a paisagem que mais me encantou em toda viagem.

Eu já tinha visto várias imagens desse mirante durante as minhas pesquisas, mas estar lá, na borda do vulcão, vendo as lagoas abaixo, é realmente um privilégio e algo inesquecível.

Daqui, além das lagoas azul e verde, vemos também a Lagoa Rasa e a de Santiago. Também vemos Sete Cidades logo abaixo ao lado das lagoas e onde almoçaríamos mais tarde.

Grota do Inferno

Grota do Inferno

Deste ponto voltamos para uma estrada secundária que contorna a cratera do vulcão e que revela paisagens a cada curva. O próximo destino é o mirante da Vista do Rei, mas fizemos uma parada um pouco antes que tem uma vista ainda melhor das lagoas azul e verde. Detalhes como esses que só o guia conhece.

O mirante da Vista do Rei é um dos mais famosos cartões postais dos Açores, ao lado dele fica um hotel abandonado, que foi o primeiro hotel 5 estrelas da ilha e que fechou cerca de 1 ano após a abertura no começo dos anos 90. Parece um hotel fantasma, entramos nele e subimos até o terraço onde tivemos outra vista sensacional de Sete Cidades.

Vista de cima do hotel abadonado

Vista de cima do hotel abadonado

Uma curiosidade é que o mirante da Vista do Rei tem esse nome pois o rei de Portugal D.Carlos I quando visitou a ilha afirmou que a vista era digna de um rei, e olha, é mesmo.

As lagoas tem mais de 4,0 km de comprimento e 2,0 km de largura. A profundidade máxima é de 33 metros. Apesar de estarem unidas, a diferença das cores se devem em razão da profundidade e a concentração de algas que acabam por refletir o céu ou revelar a cor das algas.

As lagoas azul e verde

As lagoas azul e verde

Existem muitas lendas sobre estas duas lagoas, incluindo a da princesa e do pastor, que diz que as lagoas teriam sido formadas pelas lágrimas de ambos por viverem um amor proibido.

Deste ponto voltamos pela mesma estrada e pegamos uma outra via para descer até Sete Cidades, sempre por estradas sinuosas e repletas de hortências ao redor. Fico imaginando o quão floridas ficam no verão.

Atravessamos a ponte que separa as lagoas e entramos na pequena cidade onde almoçamos em um restaurante no centro. A Freguesia das Sete Cidades fica em torno das lagoas, bem no centro da cratera do vulcão adormecido, é uma sensação incrível estar no centro da cratera de um vulcão adormecido.

Após o almoço voltamos a subir pelas paredes do vulcão em direção ao Mirante do Escalvado, que tem esse nome em razão da força do vento que vai escavando a passagem na borda da cratera. Aqui a paisagem já é outra e vemos a Freguesia dos Mosteiros que tem esse nome em razão de uma rocha no meio do mar que lembra um mosteiro, ou um casarão.

Do alto da cratera descemos até a Ponta da Ferraria, onde existe uma piscina natural no mar que é aquecida pela água que vem das profundesas do vulcão de Sete Cidades.

Ponta da Ferraria

Ponta da Ferraria

Eu não entrei na água, mas algumas pessoas estavam lá e não pareciam se queixar. Esse foi o primeiro contato que eu tive na ilha com lugares onde existem atividades vulcânicas. Viriam outros nos dias seguintes.

O lugar tem uma boa estrutura para turismo, como um restaurante e uma área com vestiários e para entrar na água, não paga nada.

Piscina natural e aquecida

Piscina natural e aquecida

Até este ponto, o passeio pode ser feito em meio dia e no site da FUNtastic Azores tem mais informações. Clique aqui.

Retornamos em direção a Ponta Delgada por uma estrada secundária que vai na beira mar, passamos por outras pequenas freguesias, cortamos por fora de Ponta Delgada pela nova Via Rápida, obra que facilitou muito a locomoção ao longo da Ilha de São Miguel e fomos em direção ao Vulcão do Fogo.

Subimos até o Pico da Barrosa, um dos pontos mais altos da ilha de São Miguel e tivemos uma vista incrível da Lagoa do Fogo. Nesse ponto o clima na ilha já era outro, se lá atrás na Ponta da Ferraria fazia até um pouco de calor, aqui o frio e o vento já era grande.

Lagoa do Fogo

Lagoa do Fogo

Lá de cima temos uma excelente vista de vários pontos da Ilha de São Miguel, é imperdível.

Depois descemos um pouco até o mirante da Lagoa do Fogo. Devido a dificuldade de acesso e pela sua importância como abastecimento de água potável, ela é a lagoa mais intocada da ilha e mais um cartão postal encantador.

Lagoa do Fogo

Lagoa do Fogo

A visita a Lagoa do Fogo está inclusa nesse roteiro da FUNTastic Azores: clique aqui.

Antes de finalizar o dia, fomos visitar uma plantação de Ananás, esse primo do nosso abacaxi é produzido na ilha dentro de estufas com um processo super particular de produção. A fruta é uma das mais tradicionais sobremesas da ilha.

Plantação de Ananás

Plantação de Ananás

Encerramos o dia por volta das 17 horas, uma experiência sensacional que certamente me mostrou um dos mais belos e intocáveis lugares do mundo.

As imagens são lindas, mas honestamente eles não representam nada do que é ver tudo isso com os próprios olhos.

Mais informações sobre esses e outros passeios, no site deles: funtasticazores.com


Leia também:
Roteiro pela região de Furnas na Ilha de São Miguel nos Açores


Em novembro de 2016 eu viajei para o Arquipélago dos Açores e contei com o apoio da EasyJet, FUNtastic Azores e Platano Hotels. O Vou na Janela só faz parcerias com empresas em que recomenda seus serviços.

Imagem de capa: FUNTastic Azores


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

3 Comentários

  • Responder novembro 30, 2016

    Paula Silva Monteiro

    Não sabia que pudesse existir lugar tão bonito como esse e de tão fácil acesso. Certamente vou considerar para as férias do ano que vem.

  • Responder novembro 30, 2016

    Fernando

    Fabricio, tudo bem? Seu site é o melhor do Brasil, parabéns!

    Tentei entrar em contato com a Funtastic Azores pelo site deles mas o formulário de contato dá um erro e a mensagem não vai. Vou tentar mandar pra um email que tem lá, mas queria saber sobre pacotes pra família e datas. Você tem algum outro contato deles?

    Obrigado

  • Responder dezembro 1, 2016

    Eder

    Meu conhecimento desse lugar foi no Globo Repórter, fiquei admirado com tanta beleza! O texto do blog somou ainda mais minha vontade de conhecer!

Deixe uma resposta