Como é voar dentro da europa com a KLM Cityhopper

KLM

A KLM Cityhopper é o braço regional da KLM Royal Dutch Airlines e opera exclusivamente as rotas de curta distância dentro da Europa usando aeronaves de pequeno porte Embraer 170 e 190 e Fokker 70.

Eu voei de Amsterdã (Schippol) a Londres (Heathrow) com a empresa. Basicamente é um vôo KLM, o que muda mesmo é o tipo e avião e o serviço de bordo que é bem simplório.

Checkin e embarque
Como eu estava vindo do Brasil, já fiz o checkin aqui no aeroporto de Guarulhos e quando pousei em Amsterdã, já tinha o boarding pass da KLM na mão. Os embarques em Amsterdã foram feito em posição remota. Embarcamos em um ônibus e ele nos levou até a aeronave.

Todo speach é feito em inglês e holandês, a tripulação é bem jovem e simpática. Uma característica desses vôos regionais, já a tripulação mais experiente voam nas rotas intercontinentais.

O embarque remoto é feito no piso inferior de Schiphol

O embarque remoto é feito no piso inferior de Schiphol

O avião
O mais legal dessa viagem foi a aeronave, um velho Fokker 70 com mais de 20 anos de uso e em estado impecável de conservação. A aeronave acomoda 80 passageiros na configuração 2×3 com poltronas de couro, com as primeiras filas para uma “executiva” regional sem muitos atrativos.

O espaço entre as poltronas era bem apertadinho, eu tive certa dificuldade de me acomodar, sorte que o vôo tinha apenas 1 hora de duração. O avião também é bem barulhento, quem já voou nos Fokker 100 da TAM ou Avianca sabe do que eu estou falando.

O pequeno valente Fokker 70

O pequeno valente Fokker 70

Serviço de bordo
O serviço de bordo é bem simples, apenas um café ou chá e um biscoitinho. Também, é um vôo super curto em uma aeronave muito pequena. O Fokker 70 não tem sistema de entretenimento, só a revista da KLM, a Holland Herald. No meu vôo de volta a Amsterdã com a KLM tinham jornais a disposição na porta da aeronave, e este foi feito com um novíssimo Boeing 737-900, o maior da família 737.

Simples e apertadinho

Simples e apertadinho

No geral o vôo transcorreu sem problemas, o serviço é muito semelhante ao que temos nas rotas domésticas de empresas como a TAM e Gol.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar