Como é o passeio na famosa London Eye, a roda gigante de Londres

London Eye

A London Eye é um dos pontos turísticos mais novos de Londres e em pouco tempo se tornou um passeio obrigatório para vem vai visitar a cidade. Ela foi inaugurada em 2000 como comemoração pela chegada do novo milênio, e foi batizada de “Millennium Wheel”, ou Roda do Milênio mas ficou famosa mesmo pelo nome London Eye.


London Eye


London Eye

London Eye

Por conta da fama e por oferecer, sem dúvidas, a melhor vista de Londres, eu a coloquei no roteiro da minha primeira visita a cidade, em dezembro de 2012.

Um dos 32 casulos

Um dos 32 casulos

Eu comprei o ingresso pela internet e optei por retirar na bilheteria que fica pertinho da roda gigante. O processo de compra e retirada foi super simples, na época custavam 17 libras, hoje o ingresso mais barato é vendido por 28,35 libras, cerca de R$138,00 no câmbio de hoje (setembro de 2015). Eu acho bem salgado, ainda mais com a super valorização da Libra frente ao nosso pobre Real. Mas vai por mim, vale a pena.

Chovia, muito!

Chovia, muito!

Quando eu fui, era um dia chuvoso de inverno, Londres estava vazia para os parâmetros da cidade que está sempre fervilhando. Por conta disso, não tinha filas para entrar na London Eye. Algo bem diferente em outros meses, no verão as filas costumam durar horas. Uma dica importante, nos meses de inverno, como anoitece bem cedo (às 16h já está escurinho), faça o passeio mais cedo.

Um dos tablets para acesso a informações turísticas

Um dos tablets para acesso a informações turísticas

Depois de uma revista bem minuciosa, padrão 11 de setembro, a gente entra no casulo da roda gigante. Ela nunca para, a gente embarca com ela em movimento, mas nada de correria, já que ela se move bem devagar. Na verdade, o passeio só dá uma volta e demora exatamente 30 minutos para completar o ciclo.

E a chuva continuava...

E a chuva continuava…

Londres tem um clima tão maluco, quando eu entrei no casulo estava chovendo e quando ela atingiu a parte mais alta, o tempo já estava firme. São ao todo 32 dessas cápsulas e embarcam até 25 pessoas em cada uma. Lá dentro tem alguns lugares para sentar, mas o legal é ficar andando, procurando o melhor ângulo da cidade. Dentro do casulo tem também alguns tablets, com acesso a informações turísticas da cidade.

E lá em cima, parou de chover

E lá em cima, parou de chover

E a vista é essa =)

E a vista é essa =)

Lá de cima a gente tem a melhor vista do Parlamento e a torre do Big Ben. Dá para ver a Abadia de Westminster, o Palácio de Buckingham e o Hide Park um pouco mais distante. Dá para ver também o Shard, o edifício mais alto da Europa, a Catedral de St.Paul e até a London Bridge. Além, claro, do Rio Tâmisa serpenteando por Londres.

Já descendo

Já descendo

A London Eye tem 135 metros de altura e já foi a maior do mundo, hoje a maior é a High Roller em Las Vegas com 167 metros, seguido da Estrela de Nanchang, na China, com 160 metros. Mas nenhuma quebra de recorde tira o brilho da London Eye. Vale a pena a visita, ao menos uma vez.

E uma noturna pra você se apaixonar pela London Eye

E uma noturna pra você se apaixonar pela London Eye


Onde ficar em Londres


Aqui no Vou na Janela tem um post super completo com dicas de onde ficar em Londres e onde evitar. Clique aqui.

Olha a nossa lista de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso.
Veja aqui a relação completa de hotéis em Londres



Booking.com



Onde ficar em Londres
Como usar o metrô de Londres
Imigração no aeroporto de Heathrow
10 dicas para iniciantes em Londres
Como chegar a Stonehenge


O que fazer em Londres (roteiro de 4 ou 5 dias)
O que fazer em Londres sem gastar nada
30 coisas para fazer em Londres
7 parques e jardins em Londres para conhecer
Um passeio por Canden Town
Como andar nos ônibus de 2 andares de Londres
Londres e a Agulha de Cleópatra
Como é o passeio pela London Eye
Um passeio pelos subterrâneos de Londres
5 lugares para ver Londres de cima
Troca da guarda no Palácio de Buckingham










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.