O Castelo de São Jorge, uma viagem de mais de 8 séculos em Lisboa

Castelo de São Jorge

O Castelo de São Jorge foi a primeira imagem que eu tive de Lisboa na minha primeira viagem a Portugal. Da janela do avião, às 6h da manhã de um dia de março de 2014, pouco antes do pouso no Aeroporto Internacional de Lisboa. Ele estava lá, brilhando com a luz dos primeiros raios da manhã. E ele segue assim, há mais de 8 séculos sendo um dos pontos mais marcantes da capital portuguesa. Desde então eu voltei inúmeras vezes a Lisboa e nunca deixei de admirar a beleza do Castelo de São Jorge.

***

Um dos lugares mais visitados de Lisboa, o Castelo de São Jorge foi construído para proteger a cidade dos invasores romanos quando Coimbra ainda era a capital do reino português. Quando Lisboa passou a ser a capital em 1255, o castelo ganhou mais importância como Paço Real, Palácio dos Bispos e claro forte militar. Foi lá que Vasco da Gama foi recebido ao descobrir o caminho para as Índias. 

Leia mais:
Onde ficar em Lisboa
Os 10 melhores hostels de Lisboa
Quanto custa viajar para Portugal
Dicas de Portugal para a sua primeira viagem

Castelo de São Jorge
Entrada do Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge
A belíssima vista de Lisboa
Castelo de São Jorge
Praça do Comércio

Mas tudo mudou em 1755, com o grande terremoto que devastou Lisboa. A residência real desceu as colinas de Alfama rumo ao Ribeira e assim, o Castelo de São Jorge foi caindo no abandono. E acreditem, só em 1990 que ele foi totalmente restaurado e aberto aos visitantes.

Hoje podemos vislumbrar toda sua força, basta atravessar o imponente Arco do Castelo na Rua Chão de Freira para adentrar em um universo de mais de 800 anos. O imenso pátio onde outrora soldados vigiavam o Tejo, hoje brinda os visitantes com a melhor vista de Lisboa.

Castelo de São Jorge
As imponentes muralhas do castelo
Castelo de São Jorge
Acesso a parte medieval do Castelo

A visita ao castelo


No Miradouro do Castelo de São Jorge vemos toda a Baixa, o Bairro Alto, Praça do Comércio, a Ponte 25 de Abril e se os olhos forçarem um pouco, conseguimos ver até Belém. Definitivamente é a melhor vista da capital portuguesa e se você ainda não se apaixonou pela cidade das 7 colinas, a hora é essa.

Mais adiante, atravessamos o Arco de São Jorge e entramos na fortaleza de pedra. Um enorme complexo de muralhas medievais, torres, pátios e salas que guardavam os tesouros de Portugal e coloque nessa lista o ouro do Brasil. Suba até a torre mais alta, a 110 metros de altura era lá que ficavam as jóias da Coroa Portuguesa. Por ser o ponto mais alto do castelo e o mais inacessível para os invasores.

Castelo de São Jorge
Passeio pelas muralhas
Este passeio é uma das partes mais bacanas da visita
Castelo de São Jorge
E a vista é linda

No centro do castelo, um grupo de atores encenam uma batalha medieval, todos vestidos a caráter, claro. O passeio pelas muralhas é o ponto alto da visita e em cada canto uma vista mais bela. Olhe pelas frestas de pedra que já foram alvos de ataques muçulmanos que devastaram Lisboa entre 1179 e 1183, muito antes dos portugueses chegarem ao Brasil.

Castelo de São Jorge
Igreja de São Vicente de Fora
Castelo de São Jorge
Lá de cima conseguimos ver Lisboa de todos os lados
Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge

Se bater uma fome, dentro das muralhas do castelo tem um ótimo restaurante, o Casa do Leão, a comida é boa e os drinks são melhores ainda. O preço? Bom, como é de se esperar, mais salgado que bacalhau cru! Vale pela experiência de jantar dentro de um castelo já que a comida das várias tascas viela abaixo são bem melhores.

Castelo de São Jorge
Parte baixa do castelo

Como chegar ao Castelo de São Jorge


Não existe um caminho exato para chegar até lá e eu acho que é nessa imprecisão que está o melhor do passeio. Você pode pegar um táxi, um Uber ou tuk-tuk para te levar pelas vielas, mas qual a graça?

O ponto de partida é a Rua da Madalena, dela começam várias pequenas vielas, uma mais bonita, colorida e até misteriosa que a outra. Mas não tem muito mistério, para o alto e sempre. Se perder por essas vielas também é um encontro com o passado, andar por ruas mais antigas que o descobrimento do Brasil, se deslumbrar com os azulejos que cobrem todas as fachadas e ser observado o tempo inteiro pelas senhorinhas nas suas janelas.

Siga pela Costa do Castelo até a Rua Bartolomeu de Gusmão, vire na Rua Chão de Freira e pronto, você chegou ao Castelo de São Jorge


Quando visitar o Castelo


O Castelo de São Jorge fica aberto todos os dias das 10h às 20h (primavera e verão) e das 9h às 18h (outono e inverno). Sendo que a última entrada acontece 30 minutos antes da hora de encerramento. A entrada custa 10 Euros e pode ser comprada no site oficial.

***


Confira o nosso post super detalhado explicando as melhores áreas para se hospedar em Lisboa e também lugares para serem evitados, clique aqui.

Eu acho que a melhor região para ficar em Lisboa é nas proximidades da Avenida Liberdade. Nessa região eu me hospedei no Hotel Dom Carlos Park e no Ever City Center. Ambos são ótimos e com bom café da manhã. Ficam pertinho do centro e com fácil acesso ao metrô e trem.

Não distante dali eu já fiquei também no Ibis Saldanha, pois Ibis não tem muito o que errar né? Falando nessa rede, eu também me hospedei duas vezes no Ibis Jose Malhoa. Tem metrô na porta e fácil acesso ao aeroporto.

E para finalizar, também já me hospedei no Hotel Miraparque, em frente ao Parque Eduardo VII, recomendo muito.

Veja também a minha lista com 10 hostels em Lisboa.


Como é passar pela imigração em Lisboa
Como usar o transporte público de Lisboa
Como usar os bondes de Lisboa
Dicas de Portugal para a sua primeira viagem
Quanto custa viajar para Portugal


O que fazer em Lisboa
O que fazer em Lisboa em uma conexão
Belém: como chegar e o que fazer
Bate volta de 1 dia até Sintra
Roteiro em Portugal: do Porto a Lisboa










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.

Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.