Como é passar pela temida imigração em Madri na Espanha

Imigração em Madri

Nos últimos anos as notícias de brasileiros sendo barrados na Espanha tomou conta dos noticiários e fez crescer o medo de quem precisa passar pela imigração em Madri. O Aeroporto de Barajas recebe diariamente quatro voos vindos de São Paulo (Latam Airlines, Iberia, Air Europe e Air China) além de voos do Rio de Janeiro e Salvador, por tanto, é um dos aeroportos mais procurados por brasileiros quando fazem conexão com algum outro destino europeu e até fora da Europa.

Eu passei pela imigração em Madri em um momento muito tenso. No fim do ano passado eu peguei uma promoção de milhas na Iberia e fui passar o ano novo na Espanha, menos de 2 meses depois da série de atentados em Paris que vitimou mais de uma centena de pessoas.

A empolgação pela viagem foi tão grande que eu só me dei conta de que iria enfrentar uma das imigrações mais difíceis do mundo (talvez a mais difícil, realmente) quando pisei naquele antigo Airbus A340 da Ibéria.


Passando pela imigração em Madri


Chegando em Madri, desembarcamos no Terminal 4S, já na porta da aeronave os oficiais ficam verificando se todos os passageiros estão com seus passaportes, eles não conferem nada, só se certificam que todo mundo esteja em posse do documento. Se você chegar em Madri pela Iberia ou Latam, seu desembarque será no Terminal 4S. Se seu voo for pela Air Europe ou Air China, o desembarque ocorre no Terminal 1.

A340 no gate to Terminal 4S

A340 no gate to Terminal 4S

Barajas, como é conhecido o Aeroporto Adolfo Suarez é enorme, como todos os principais aeroportos do mundo, é todo muito bem sinalizado mas ele não é tão prático como outros aeroportos e você vai entender daqui a pouco porque eu estou dizendo isso.

Seguimos por longos corredores até chegar a uma bifucação: De um lado seguem os passageiros que farão conexão para algum país fora do Espaço Schengen, exemplo Reino Unido ou Irlanda. Esses passageiros passarão novamente pelo raio-x e entrarão de volta na sala de embarque para seguir até seu destino final. Do outro lado seguem os passageiros que ficarão em Madri ou seguirão para algum outro país que faça parte do Espaço Schengen, por isso, terão que fazer a imigração em Madri.

Mapa do Aeroporto

Mapa do Aeroporto

Descemos uma escada rolante e passamos por dentro do free-shop até chegar aos balcões de imigração. De um lado ficam os balcões de controle de passaporte dos cidadãos europeus e do outro lado ficam os balcões que controlam os passaportes não-europeus e é lá que vamos.

Não precisa preencher nenhum formulário, basta seguir para o balcão com o passaporte e documentos que podem ser exigidos. Aqui no blog tem um post com uma lista de todos os documentos necessários (clique aqui).

Meu voo chegou de manhã e a imigração em Madri estava abarrotada de gente de todos os cantos do mundo. Algumas pessoas passavam bem rápido, outras demoravam um poucos mais e ainda tinham alguns que eram levados para a temida “salinha”, aquela onde o interrogatório é mais intenso. Os oficiais de imigração tem faro para detectar mentiras, se eles perceberem que alguém tem intenções de imigrar ilegalmente, essa pessoa será facilmente identificava.

Quando chegou a minha vez, o senhor que me atendeu me olhou por cima dos óculos, conferiu com a foto no passaporte, me perguntou qual seria meu destino final, motivo da viagem, quanto tempo e qual era a minha profissão. Carimbou o passaporte e pronto.

Não pediu para ver absolutamente nada, mas eu estava com a papelada toda na mão caso ele me pedisse alguma coisa.

Depois do balcão de imigração, a gente precisa pegar um trem interno para ir para o Terminal 4, onde ficam as esteiras de bagagem e alfândega. Lembra quando eu disse que Barajas não era muito prático?

Trem que liga o Terminal 4S ao Terminal 4

Trem que liga o Terminal 4S ao Terminal 4

O trem passa a cada 2 minutos e a viagem é rapidinha. Quando cheguei na esteira, as bagagens já estavam rodando e algumas estavam amontoadas num canto, no meio de passageiros de outros voos. Ninguém, nem da Iberia e nem da administração do aeroporto vigiam as malas, é muito fácil ser roubado ali. Eu viajei com a mala de bordo, não corri nenhum risco, mas uma dica é não colocar itens de valor na sua mala.

O próximo passo foi a alfândega e vistoria de bagagens. Normalmente a vistoria é feira por amostragem, escolhendo algumas a cada número de passageiros que passam por ali. Mas como a segurança estava bem intensificada naqueles dias, todo mundo passava pela vistoria de bagagens e eles abriram tudo.

Olharam dentro dos sapatos e abriram até os forros das malas. Por conta disso, o procedimento de desembarque em Barajas demorou duas horas desde a hora em que o avião estacionou no portão até a hora em que eu saí no saguão do terminal principal.

Como vocês viram, passar pela imigração em Madri não foi nenhum bicho papão, tendo todos os documentos em mãos e respondendo a verdade sempre, não existem motivos para ter medo.

Leia mais:
Dicas para passar pela imigração na Europa sem medo
Imigração em outros países, veja aqui


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar