O que você precisa evitar em Buenos Aires para não ter problemas

Buenos Aires

Buenos Aires é uma cidade perigosa? Dá para andar a noite sem neuras? Aqueles restaurantes vistosos são uma boa opção comer? Na Calle Florida é realmente tudo mais barato? Bom, como toda grande cidade, a capital argentina tem suas armadilhas para turistas e perigos, nesse post eu vou falar do que deve evitar em Buenos Aires.


O que evitar em Buenos Aires


Armadilhas para turistas

Antes de ir para Buenos Aires pela primeira vez, muitas pessoas me indicaram a região da Calle Florida e Galerias Pacífico como um excelente lugar para compras. Errado! Se um dia aquelas dezenas de lojas de marcas e artigos de couro tiveram preços atraentes, esqueça, isso faz parte do passado.

Na mesma região existe uma abundância enorme de shows de tango para turistas, fuja deles. De autênticos e barato não tem nada. Evite também os “pubs irlandeses” do Microcentro, primeiro por que são caríssimos e segundo que não tem nada de irlandeses.

A regra vale também para muitas churrascarias de Puerto Madero, são bonitas por fora, o preço é salgado e você não vai provar do melhor churrasco argentino.


Regiões perigosas

Buenos Aires não é uma cidade perigosa, não mais que qualquer cidade grande no Brasil, mas algumas regiões precisam ser evitadas em determinados momentos do dia.

Os bairros de Constitución e La Boca, onde fica o tradicional El Caminito, são bons lugares para visitar durante o dia, a noite a coisa muda completamente. El Caminito, na verdade, não é totalmente seguro fora daquele pedacinho mais turístico onde ficam as casinhas coloridas e isso mesmo durante o dia. É algo oara evitar em Buenos Aires.

É preciso ter muito cuidado por ali, os batedores de carteira estão em todos os lugares. Alguns disfarçados de bons moços que “só querem ajudar”.

Outro lugar onde os batedores de carteiras fazem a festa é em San Telmo, principalmente na domingo, quando acontece a tradicional feira. Existe até o chamado “golpe da mostarda”, quando um indivíduo espirra mostarda “acidentalmente” na sua roupa, uma outra pessoa se oferece pra te ajudar a se limpar e um terceiro aproveita do momento de distração para roubar a sua carteira ou bolsa.

Outro lugar que durante o dia é bacana, mas que a noite a coisa muda é o Parque 3 de Febrero. De dia é um lugar calminho, mas a noite é tomado por travestis e prostitutas em busca de programas e seus cafetões. Evitem esse lugar!


Taxistas inescrupulosos

Sabe que na minha primeira visita a Argentina eu fiz o câmbio em uma casa daqui de São Paulo e quando a funcionária me entregou o dinheiro, junto veio um folheto com alguns conselhos e o primeira da lista era com os taxistas portenhos.

A fama negativa atravessou fronteiras, os caras são acusados vários mini-golpes, como dizer que estão sem troco e ficar rodando e rodando até conseguir um lugar para cambiar la plata e claro, deixar a tarifa mais cara. Além disso, é bem comum darem troco com notas falsas, especialmente se a nota for alta.

São golpes que acontecem em todas as partes de Buenos Aires, mas dizem que a incidência maior acontece na região de Puerto Madero.


Cambistas

Andando por lugares como a Calle Florida, vai ser muito comum ver pessoas oferecendo câmbio a taxas inacreditáveis, eles são conhecidos como arbolitos ou arvorezinhas em espanhol e eles se multiplicaram desde a crise de 2001.

Os caras tem todo um repertório pensado para enganar as pessoas, muitos falam até português e eu já vi até brasileiros, uruguaios e paraguaios “trabalhando” assim. Para quem não tem familiaridade com as cédulas de outras moedas, é fácil cair no golpe deles.


Terrible enero

Buenos Aires é uma boa cidade para visitar em qualquer época do ano, mas o mês de janeiro costuma afugentar as pessoas e a maioria dos portenhos por conta do calorão que faz na cidade.

A temperatura pode chegar facilmente aos 40 graus com alto nível de umidade, o que piora ainda mais a sensação de calor. Nessa época do ano, muitas atividades culturais e a vida noturna dão uma parada, já que muitos portenhos deixam a cidade rumo adivinha aonde? Litoral da região sul do Brasil, como do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, o favorito dos hermanos. Janeiro é um mês para evitar em Buenos Aires

Por outro lado, as tarifas dos hotéis são bem mais em conta nessa época e até as promoções de passagens aéreas são mais comuns.

Leia mais: todos os posts sobre Buenos Aires


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar