Buenos Aires: 10 dicas que não custam nada

Buenos Aires

Ta certo que o momento é de crise, mas independente disso, economizar em viagens é sempre bom. Pensando nisso, essa série vai listar opções grátis ou super econômicas em vários cantos do mundo. Começamos por Buenos Aires, um dos destinos mais procurados por brasileiros no exterior.

Citytour
Você pode fazer um citytour pela cidade sem gastar absolutamente nada, é o Buenos Aires free walking tour. Mais de 40 mil pessoas já fizeram o tour em 6 anos. Os passeios acontecem de segunda a sábado, os guias são todos argentinos, mas o tour é em inglês. Mais informações no site deles: http://www.bafreetour.com/english-home

Casa de la Cultura
Funciona onde um dia foi a sede do jornal “La Prensa”, um edifício construído em 1869 pelo francês Charles Garnier, mesmo que projetou a Ópera de Paris e o Cassino de Montercarlo. Na Casa de la Cultura acontecem exposições, concertos e outras manifestações artísticas. A visita ao prédio é uma atração a parte. O lugar fica aberto de terça a domingo, das 14h às 20h. Mais informações: http://www.buenosaires.gob.ar/cultura/casadelacultura

Catedral metropolitana
De fora, não lembra em nada uma igreja, parece mais um templo grego retirado de Atenas e plantado no coração de Buenos Aires, na Plaza de Mayo, pertinho da Casa Rosada. A igreja foi construída em 1791 e ela abriga o túmulo do general José de San Martín, o cara que libertou a Argentina do domínio dos espanhóis.

Centro cultural Recoleta
Esse centro cultural é um dos mais charmosos que você poderá encontrar por aí, fica na Recoleta, ao lado do famoso cemitério, um prédio vermelho que recebe várias exposições, espetáculos e oficinas. O Centro cultural também tem uma lojinha super bacana, com preços bem honestos. Mais informações: http://www.centroculturalrecoleta.org/nuevositio/

Feira de San Telmo
Esse é o meu programa favorito nos domingos em Buenos Aires. A Feira de San Telmo, acontece na Calle Defensa (do lado pra Plaza de Mayo) e termina na Plaza Dorrego, 12 quadras depois. A rua fervilha de gente, expositores, barraquinhas de comida, muitos músicos de rua e dançarinos de tango. É para se apaixonar e querer voltar sempre.

Cemitério da recoleta
Visitar um cemitério pode ser estranho? Talvez. Mas o cemitério da Recoleta atrai multidões de turistas todos os dias atrás de uma quantidade quase infinita de esculturas e os túmulos de argentinos famosos, entre eles, Eva Perón. A ex-primeira dama da Argentina que repousa embalsamada em um modesto mausoléu.

Palais de Glace
Também conhecido como Palácio Nacional de las Artes, era o grande salão de bailes da cidade, lar de grandes companhias de tango e que também foi palco para Carlos Gardel. Hoje o lugar funciona como centro de exposições e mostras culturais. Mais informações: http://www.palaisdeglace.gob.ar/

Casa Rosada
Sabia que é possível conhecer a sede do governo argentino sem gastar um tostão? A Casa Rosada é aberta a visitas guiadas aos sábados e domingos. Dá para conhecer salas somente acessíveis à presidência da república e salões que costumam receber autoridades de todo mundo. Mais informações: http://www.casarosada.gob.ar/la-casa-rosada/visitas-guiadas

Bosques de Palermo
É a maior área verde de Buenos Aires, tem dois enormes lagos e vez ou outra uma apresentação de tango. Ali também ficam o Jardim Botânico, Zoológico, o Planetário Galileu Galilei, Hipódromo de Palermo e o Jardim Japonês. O projeto foi encomendado pelo então presidente Domingo F. Sarmiento e inaugurado em 1875 como “Parque três de febrero”.

Andar pela cidade
Essa é a minha atividade favorita. Andar pela cidade não custa nada e a gente pode observar belíssimas construções sempre. Puerto Madelo, Plaza e Avenida de Mayo, Recoleta, Galerias Pacífico, visitar a Floralis Generica, a livraria El Ateneo e no Caminito. Lugares não faltam.

Se você vai a Buenos Aires pela primeira vez, não deixe de ler “O que fazer me Buenos Aires para quem nunca esteve lá

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

Deixe uma resposta