Ásia dia 20: De Phuket para Kuala Lumpur, na Malásia

Phuket para Kuala Lumpur

Dia de mudar de país, dia de voar de Phuket para Kuala Lumpur e a primeira regra para quem vai embarcar ou desembarcar pelo Aeroporto Internacional de Phuket na Tailândia: ele é longe, mas uma lonjura que com as estradinhas e ruas tumultuadas da Tailândia faz o lugar ficar mais distante ainda. São 40 quilômetros da Praia de Patang, onde eu estava hospedado até lá e o taxi fez o percurso em mais de 1 hora.

O Aeroporto de Phuket é zoneado, talvez o mais zoneado que eu já tenha visto. Tem um terminal novo e bonitão sendo construído, mas ta tudo meio parado e sabe-se lá quando vai ficar pronto.

Eu voei de Phuket para Kuala Lumpur com a Malaysia Airlines (aquela mesma), já não bastou o susto com a Air Asia, brincadeira rs. O checkin foi aberto faltando 1h50 pro vôo, o que já me deixou bolado porque o processo de raio-x e imigração na Tailândia é demorado. Mas seja o que Deus quiser.

Check-in em Phuket

Phuket para Kuala Lumpur: Check-in em Phuket

A sala de embarque de Phuket é pequena e o aeroporto é bem movimentado. Naquela hora tinha um 747 da Thai saindo, um A330 da Eurowings indo pra Alemanha e um Aeroflot para Moscou, fora os inúmeros voos mais curtos. Resultado: sala de embarque sem ter lugar para se sentar.

Mas a zona estava apenas começando! No cartão de embarque dizia um portão e em um dos painéis indicava outro. Até aí, tudo bem, a gente sabe que essas coisas mudam mesmo. O problema começou quando faltavam 30 minutos pro vôo sair e os painéis mostravam 3 portões diferentes, incluindo um remoto. Pede informação e ninguém sabe responder. Como assim?

A sala de embarque de Phuket é tão estranha que a gente não consegue ver direito os aviões e não dava para ver nenhuma aeronave da Malaysia em lugar nenhum. Até que veio pelos sistema de som uma “ultima chamada” para o vôo MH787 para Kuala Lumpur e foi aquela multidão perdida correndo até o tal portão.

Embarque realizado, decolamos com 25 minutos de atraso. A aeronave, um Boeing 737-800 parecia bem velho, depois eu fui pesquisar e descobri que ele tinha apenas 4 anos e meio de uso. Tá faltando conservação na frota da Malaysia.

Teve um ótimo serviço de bordo pra uma viagem de 1h15 minutos, tinha até opção: frango ao curry com panquecas de queijo ou uma massa que não me lembro qual.

Serviço de bordo de Phuket para Kuala Lumpur

Serviço de bordo de Phuket para Kuala Lumpur

A chegada em KL, como eles chamam Kuala Lumpur foi rápida, o aeroporto é enorme e foi uma das imigrações mais tranquilas que eu já fiz. O carinha ainda fez piada com meu passaporte estar cheio de carimbos.

O KLIA, como é chamado o Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur fica distante 1 hora da cidade, tem um serviço de trem que liga o aeroporto à KL Sentral, a estação central de Kuala Lumpur e custa 50 Ringgits (44 reais), mas eu sabia que tinha um ônibus que ia para a mesma estação por bem menos e achei na estação rodoviária meio largada no subsolo do aeroporto. A passagem custou 10 Ringgits (8 reais) e foi num ônibus padrão Bus Service que nós temos em São Paulo, mas ao estilo colorido da Malásia. Ótima opção para quem tem tempo.

Balcão de venda de passagens

Balcão de venda de passagens

A primeira impressão de KL foi a melhor possível: uma cidade bonita, moderna, arborizada e limpa. Da janela do ônibus já fiquei impressionado, a educação das pessoas também é impressionante.

Chegando na KL Sentral, peguei um taxi por 17 Ringgits (15 reais) até o meu hotel, uma distândia de 3kms. Dava para ir de metro, mas eu estava cansado demais pra descobrir como o metro funcionava e tal.

Hotel sensa, muito bacana e pronto pra explorar KL pelos próximos dias.

Leia mais:
Todos os posts do mochilão pela Ásia


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar