Lençóis Maranhenses: quando ir, como chegar e o que fazer

Lençóis Maranhenses

Acredite, por mais bonita que sejam as fotos e vídeos que você verá sobre os Lençóis Maranhenses, nunca será uma fração do que é estar no meio dessa imensidão de areia com cara de deserto e salteada de lagos de água doce.

Os Lençóis Maranhenses são uma formação geológica rara e única no mundo, só aqui, nesse pedacinho do Brasil você vai encontrar algo assim. Uma área de 1.550 km² dentro do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses formado por dunas de areia incrivelmente brancas que escondem uma quantidade incontável de pequenos lagos de água azul e cristalina.

Pode parecer um deserto, mas não é. Aqui chove em alguns meses do ano e é justamente a chuva abundante (e as vezes nem tanto) que formam as lagoas, graças a um grande lençol freático que alimenta as lagos com a água que cai na região.

Lençóis Maranhenses

Lençóis Maranhenses

 


Quando ir aos Lençóis Maranhenses


A melhor época para visitar os Lençóis Maranhenses é de maio a agosto quando a temporada de chuvas já passou e as lagoas estão cheias. Mas todos nós sabemos que o clima anda muito louco, então, se as chuvas forem mais escassas, algumas lagoas podem não encher. Por outro lado, existem lagoas mais profundas que são permanentes e que podem ser visitadas em qualquer época do ano.

Minha opinião: no fim da temporada, lá por setembro, meio mundo já terá entrado nessas águas e vamos entender que são lagoas sem renovação da água. Podemos imaginar que as águas não estarão tão limpas assim, eu evitaria esses períodos.

 


Como chegar


A principal porta de entrada para os Lençóis Maranhenses é a cidade de Barreirinhas, no Maranhão. A cidade fica distante cerca de 260 quilômetros de São Luís e o acesso é fácil.

De ônibus: A empresa Cisne Branco tem ônibus que ligam o Terminal Rodoviário de São Luís a Barreirinhas. São 4 frequências diárias, às 6h, 8h45, 14h e às 19h30, a viagem dura entre 4h30 e 5h, depende do número de paradas pelo caminho e são muitas. É aquele tipo de ônibus pinga-pinga que até se um cachorro abanar o rabo na beira da estrada ele faz uma parada.

Mas no geral, a viagem é tranquila e os ônibus são confortáveis, com ar condicionado e banheiro. A conservação dos veículos não é das melhores mas dá pro gasto.

A passagem custa R$51,00 e pode ser comprada no site da empresa (www.cisnebrancoturismo.com.br)

 

De Van: Várias agências fazem o traslado de São Luís até Barreirinhas, basta dar uma buscada no Google para achar. A viagem é mais rápida, cerca de 3 horas e vai direto. Mas as vans são mais apertadinhas, nesse ponto o ônibus ganham em conforto.

Os preços também variam bastante, vão de R$35,00 até R$60,00 pelo que eu pesquisei. Alguns hotéis oferecem o traslado incluído na hospedagem e a van pegam os passageiros no hotel em São Luís ou no aeroporto. Aqui a comodidade ganha um ponto.


De taxi:
É caro, mas pode ser uma salvação se você chegar a São Luís meio fora de hora. Os taxistas tanto da capital, quanto de Barreirinhas estão acostumados a fazer o serviço e cobram em média R$350,00 pela viagem.

Barreirinhas

Barreirinhas

Existem outras cidades que funcionam como porta de entrada para os Lençóis Maranhenses, mas não tem a estrutura que Barreirinhas já oferece:

 

Atins
É um vilarejo que fica do lado leste do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, exatamente na foz do Rio Preguiças com o Oceano Atlântico. É um vilarejo bem simples e rústico, com pouquíssima estrutura para receber turistas e muito procurado por quem quer ter uma experiência com mais privacidade, sem tanta gente por perto.

Para chegar a Atins é somente via Barreirinhas, onde existe um barco de linha que sai todos os dias por volta das 10h da manhã, mas a melhor maneira é contratando uma lancha. Me disseram que a viagem no barco de linha dura 2h30 e a lancha faz o trajeto em pouco mais de 1 hora.

 

Santo Amaro do Maranhão
Aqui é para quem quer ter uma experiência mais roots. O vilarejo de Santo Amaro do Maranhão fica do lado oeste do parque, é onde foi gravado o filme “A casa de areia” com a Fernanda Montenegro e Fernanda Torres.

Essa região dos Lençóis Maranhenses é a menos explorada pelos turistas, justamente pelo acesso mais difícil. O lugar é bem inóspito e de natureza praticamente intocada.

Para chegar até lá, a porta de entrada fica no vilarejo de Sangue, na margem da estrada que liga São Luís a Barreirinhas, para quem vem de São Luís de ônibus, é só pedir pro motorista da Cisne Branco dar uma paradinha no ponto dos toyoteiros, de lá saem os veículos 4×4 que seguem por estradas de areia até Santo Amaro do Maranhão.

 


Onde se hospedar em Barreirinhas


Hotel
Barreirinhas tem uma ótima oferta de hospedagem. Eu fiquei no Hotel Rio Preguiças, eu paguei R$90,00 a diária e uma coisa que eu percebi aqui, é que de acordo com a temporada, os valores mudam bastante.

O hotel é bem simples, não espere luxos, tem uma cama razoável, bom chuveiro, uma televisão antiga, frigobar e ar condicionado. O café da manhã também é bem simples.

Uma vantagem é que dentro do hotel funciona um escritório de uma agência de turismo e eles conseguem preços melhores nos passeios para os hóspedes. O hotel também fica ao lado do ponto de onde chegam e partem os ônibus para São Luís.

Hostel
Um hostel super procurado é a Casa do Professor, o dono é amigo meu e eu o visitei durante a minha passagem por Barreirinhas. Super descontraído, é aquele tipo de lugar onde os hóspedes se sentem em casa. Vem gente de todos os cantos do mundo para a casa do Rodolfo, o professor e o Vagalume, seu cachorro.

Basta dar uma olhadinha nos comentários no Booking e Tripadvisor.

 


Quantos dias ficar


Eu fiquei 3 dias em Barreirinhas, sem contar o dia da chegada e foi o suficiente para fazer os passeios que realmente valem a pena com calma, sem pressa.

No primeiro dia eu fiz o roteiro da Lagoa Azul nos Lençóis, um passeio que sai de Barreirinhas às 9h da manhã e retorna às 13h. No segundo dia eu fiz o passeio do Rio Preguiças até Caboré, saímos da cidade às 8h30 da manhã e voltamos às 16h. No último dia eu fiz o roteiro da Lagoa Bonita que sai da cidade ao meio dia e retorna às 18h.

A cidade em si não tem muito o que fazer e fica bem deserta ao longo do dia. Tem várias lojas de artesanato, muitos restaurantes e até um Subway na Avenida Beira Rio.

 


Passeios nos Lençóis Maranhenses


Roteiro da Lagoa Azul
Um dos melhores passeios, caminhamos pelas dunas e visitamos várias lagoas de água azul e morna. O passeio começa pela Lagoa da Preguiça, Esmeralda, Azul e da Paz. Leia o post completo

Lagoa azul

Lagoa azul

Roteiro da Lagoa Bonita
Um dos passeios mais procurados em Barreirinhas. A visita a Lagoa Bonita, que é considerada uma das mais bonitas dos Lençóis, com direito a pôr-do-sol cinematográfico de cima das dunas. Leia o post completo

Lagoa Bonita

Lagoa Bonita


Rio Preguiças e Caboré
Um passeio de quase um dia inteiro pelo Rio Preguiças fazendo algumas paradas em pequenos vilarejos, uma visita aos Pequenos Lençóis e terminando no vilarejo de Caboré, na foz do rio com o Oceano Atlântico. Leia o post completo

Praia de Caburé

Praia de Caburé

Atins
Eu não fiz esse passeio, mas é um roteiro até o vilarejo de Atins com passeio pelas dunas e mais e mais lagoas. Valor R$100,00 e sai de Barreirinhas às 9h da manhã e retorna às 18h.

Passeio de bóia
Outro passeio vendido é o de bóia pelo Rio Formiga, um dos afluentes do Rio Preguiças. Eu não fiz o passeio, mas duas amigas fizeram e me disseram que não vale muito a pena. Basicamente você vai descendo o rio em uma boia. Pode ser relaxante, mas é meio paradão. Valor R$50,00 e sai de Barreirinhas às 9h da manhã e retorna por volta das 13h.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

1 Comentário

  • Responder maio 31, 2017

    Adriana Santos

    Fiz Lagoa Bonita e Caburé em fevereiro deste ano, 2017. As lagoas estavam secas. Mas a vista é excepcional.
    A cereja do bolo é o sobrevôo sobre os Lençóis. Fiz e recomendo.
    Excelente post.

Deixe uma resposta