Parque Minhocão: um parque urbano no centro de São Paulo

Parque Minhocão

O Parque Minhocão é o meu programa de todos os finais de semana. É lá que eu estico as pernas e corro os meus 8km nas manhãs de domingo. E já estava na hora de falar dele aqui no Vou na Janela, à medida que cada vez mais e mais pessoas o procuram como atração turística.

***

Amado e odiado por muitos paulistanos, o Elevado Presidente João Goulart é mais conhecido aqui como Minhocão. Amado, pois para quem vive aqui na região central de São Paulo, é uma das poucas áreas abertas para lazer. Odiado pois desde a sua construção, toda a região atravessada pelo elevado ficou degradada e desvalorizada por décadas. 

Leia mais:
Como visitar o Farol Santander
Pinacoteca de São Paulo
MASP – Museu de Arte de São Paulo
Mirante do Sesc na Avenida Paulista

O viaduto que conecta a região central da cidade à Zona Oeste é uma cicatriz de concreto armado de cerca de 3km de extensão. O Minhocão foi inaugurado no dia 25 de janeiro de 1971, no aniversário de São Paulo. Uma obra do então prefeito da cidade, Paulo Maluf. A ideia do projeto era facilitar o fluxo de veículos na Avenida São João e tornar mais rápido o deslocamento entre a Zona Oeste de São Paulo e o centro, com fácil conexão com a Zona Leste. 

Parque Minhocão
Começo do elevado na Praça Roosevelt

De via expressa a área de lazer


Em 1989 a Prefeitura de São Paulo determinou que o Minhocão seria fechado para os automóveis aos domingos. Com isso, a via expressa se tornava uma área de lazer para os paulistanos. O que viria a ser o embrião do Parque Minhocão.

Desde então, o Elevado começou a ser ocupado, onde as pessoas passaram a fazer as suas caminhadas, andar de bicicleta, patins, skate e outras atividades. 

Parque Minhocão
Avenida São João logo abaixo
Parque Minhocão
Avenida São João e ao fundo o icônico Edifício Altino Arantes, o “Banespão”

Desde 2012, quando eu me mudei para a região, já estava sendo ventilada a ideia de transformar o Minhocão em parque permanente, a exemplo do High Line de Nova York. Um antigo viaduto ferroviário desativado e transformado em parque suspenso.

Décadas depois foi criada a Lei do Parque Minhocão e a via que já era fechada diariamente das 22h às 6h da manhã, também passou a ser fechada na noite de sexta-feira até a manhã de segunda-feira.

Mas a polêmica tomou corpo em 2014 quando o Plano Diretor da Cidade de São Paulo determinou a desativação permanente do Minhocão com duas opções: demolição ou a transformação dele em um parque suspenso. Em 2017, o urbanista Jaime Lerner – ex-prefeito de Curitiba e responsável pela modernização da cidade – doou um projeto de parque para a Prefeitura de São Paulo. Em 2018 foi promulgada uma lei municipal prevendo a criação do Parque do Minhocão e a desativação gradativa do elevado. Lei esta que foi suspensa em 2019 e desde então a coisa ficou emperrada.

Parque Minhocão
Um dos acessos do Parque Minhocão

O Parque Minhocão hoje


Hoje, aos trancos e barrancos, o elevado começa a tomar contornos de parque, com a instalação de mobiliário urbano em dois pontos durante os finais de semana e a instalação de duas escadas de acesso.

Parque Minhocão
Mobiliário urbano instalado recentemente

O lugar, desde o começo da década de 2010, vem se transformando em uma imensa galeria de painéis e grafites de artistas famosos com forte pegada na arte de resistência. É essa arte em movimento que vem se transformando e assim, mudando cada vez mais a cara do Minhocão.

Parque Minhocão
Novos murais surgem a cada semana
Parque Minhocão
Mais murais

A cada domingo, eu percebo novas artes e intervenções. Cada vez mais pessoas de outras partes da cidade e até mesmo de outros lugares do Brasil e do mundo vem conhecer os grafites gigantescos que transformam o Minhocão em uma das maiores galerias de arte urbana a céu aberto do mundo. O visual eclético atraiu a mídia e o lugar é usado para gravação de filmes, novelas, vídeos musicais, comerciais de TV e ensaios fotográficos. 

Parque Minhocão
Mural do Kobra
Parque Minhocão
Intervenção do Estudio Guto Requena

Movimentos artísticos, peças teatrais, concertos musicais já aconteceram no Minhocão. Eu e alguns amigos já fizemos até um churrasco lá em cima. Certamente um dos espaços mais democráticos da cidade de São Paulo.

Parque Minhocão
Parque Minhocão
Parque Minhocão
Parque Minhocão
Parque Minhocão
Parque Minhocão

É seguro visitar o Parque Minhocão?


Toda a parte inferior da via é muito degradada, se transformando em abrigo para pessoas em situação de rua e consumo de drogas. E para quem chega ao Parque Minhocão pela Estação de Metrô Marechal (ao lado de uma das rampas de acesso) pode se assustar. Mas em quase dez anos vivendo na região, eu nunca sofri nenhum tipo de perigo, mas é preciso ficar atento e não facilitar, como em qualquer lugar do mundo.

Parque Minhocão
Toda a parte inferior da via é muito degradada

No Minhocão em si, existe policiamento, entretanto, é muito comum o furto de celulares. Tenha cuidado com alguns garotos de bicicleta, eles estão ali para roubar os mais distraídos com o celular na mão. Todos os finais de semana a gente ouve casos do tipo. 


Como visitar o Parque Minhocão


Por conta da pandemia, o Parque Minhocão está aberto apenas aos sábados e domingos das 8h às 17h45. O acesso pode ser feito através de um dos pontos abaixo, vários com fácil acesso pelo metrô da cidade:

  • Praça Roosevelt (Rua da Consolação) com fácil acesso pela Estação de Metrô Mackenzie / Higienópolis (linha amarela).
  • Largo do Arouche com acesso através de escadas.
  • Largo da Santa Cecília (Rua Ana Cintra) com fácil acesso pela Estação de Metrô Santa Cecília (linha vermelha).
  • Praça Marechal Deodoro com acesso por escadas ou pela rampa em frente a Estação de Metrô Marechal Deodoro (linha vermelha).
  • Barra Funda (Avenida Francisco Matarazzo) distante cerca de 1km da Estação de CPTM e Metrô Barra Funda (linha vermelha).

É obrigatório o uso de máscaras no Parque Minhocão.

***


Como visitar o Farol Santander
Pinacoteca de São Paulo
MASP – Museu de Arte de São Paulo
Mirante do Sesc na Avenida Paulista
Mercadão de São Paulo
Roteiro no centro de São Paulo
5 lugares para ver São Paulo de cima
Como chegar em Paranapiacaba


Onde se hospedar em São Paulo
Como ir do aeroporto de Guarulhos até o centro de trem










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.