Roteiro em São Paulo: o que fazer no centro da cidade

Roteiro em São Paulo

Eu moro em São Paulo há pouco mais de 4 anos e estou muito, mas muito longe de conhecer toda a cidade. Só no ano passado que eu resolvi conhecer melhor o centrão de São Paulo. Confesso com certa vergonha que eu tinha preconceito com essa região, por ser meio abandonada, estar repleta de moradores de rua e não parecer tão segura como outros lugares. Essa era imagem que eu tinha na cabeça e que muitos de nós temos. De fato, é uma região uma pouco castigada e deixada de lado. Esse roteiro em São Paulo vai te revelar bons segredos que não poderiam deixar de serem visitados.

Teatro Municipal

Roteiro em São Paulo: Teatro Municipal

O passeio pode começar pelo Vale do Anhangabaú (Estação Metro Anhangabaú) e logo quando saímos do metrô,  já ficamos impressionados com a beleza incontestável do Teatro Municipal. Uma construção de 1911, inspirada na Ópera de Paris e que foi palco da Semana de Arte Moderna de 1922, o marco do Modernismo no Brasil.

Shopping Light

Shopping Light

Na outra esquina fica o edifício Alexandre Mackenzie (Rua Xavier de Toledo, 23), mais conhecido por abrigar o Shopping Light. Uma obra de 1929 que foi sede a Light, companhia canadense que foi a responsável pela energia elétrica da capital paulista de 1899 até 1981. Em 1999 o prédio virou shopping.

De cima do Viaduto do Chá

De cima do Viaduto do Chá

Por cima do Vale do Anhangabaú, passa o Viaduto do Chá, outra obra clássica de São Paulo que começou a ser construída em 1877 e finalizada em 1892, do outro lado dele fica a Prefeitura de São Paulo e a Praça do Patriarca. A partir daqui, as ruas estreitas não recebem carros, o que deixa o passeio mais agradável numa manhã de domingo.

CCBB durante a exposição "Picasso e a modernidade espanhola"

CCBB durante a exposição “Picasso e a modernidade espanhola”

Seguindo pela Rua da Quitanda, na esquina com a Rua Álvares Penteado fica o Centro Cultural Banco do Brasil. Um prédio neo-clássico de 1901 que desde 1929 pertence ao Banco e que hoje é um dos espaços culturais mais legais de São Paulo. Recentemente abrigou a mostra “Picasso e a modernidade espanhola”.

Banespão, o melhor lugar para ver São Paulo de cima.

Banespão, o melhor lugar para ver São Paulo de cima.

Virando à esquerda na Rua 15 de Novembro e seguindo em frente, chegamos na entrada do Edifício Altino Arantes, o nosso querido Banespão. Lá em cima tem um mirante com a melhor vista de São Paulo. Eu fiz um post sobre 5 lugares para ver São Paulo de cima, dá uma olhada.

Detalhe do enorme lustre no hall de entrada do Banespão

Detalhe do enorme lustre no hall de entrada do Banespão

É o não o melhor lugar para ver São Paulo de cima?

É o não o melhor lugar para ver São Paulo de cima?

Pouco a frente fica um dos meus lugares favoritos no centro, a doceria portuguesa Casa Mathilde. Vale muito a pena uma paradinha para comer um dos vários doces da casa. Juro, o pastel de nata deles é o melhor que eu já comi, depois dos originais de Belém, em Lisboa.

Pausa para um café com pastel de natal da Casa Mathilde.

Pausa para um café com pastel de natal da Casa Mathilde.

Em frente a Casa Mathilde, fica outro marco de São Paulo, o Edifício Martinelli. Ele foi erguido em 1929 e foi o primeiro arranha-céu de São Paulo e por muitos anos foi o prédio mais alto da América Latina. Dá para subir nele também. Tá tudo lá no post que eu mencionei acima.

Edifício Martineli

Edifício Martineli

Seguindo pela Rua São Bento, a gente chega ao Largo São Bento, onde fica o mosteiro de mesmo nome. Vale a visita, é um dos lugares mais bonitos de São Paulo e hospedou em 2007 o Papa Bento XVI. Aqui do lado fica a famosa Rua 25 de Março e em seguida o Mercado Municipal, mas isso é assunto para outro post.

Detalhe do Mosteiro de São Bento

Detalhe do Mosteiro de São Bento

Seguindo pela Rua Bela Vista, depois de uma caminhadinha de uns 5 minutos, fica o Páteo do Colégio, na Praça Padre Manoel da Nobrega e foi aqui que São Paulo começou, em 1554. Em volta dele, vários edifícios de arquitetura art deco e neo clássica. Um dos meus cantos favoritos no centro, para observar e fotografar cada pequeno detalhe. Lá dentro, tem um ótimo café, vale uma paradinha.

Páteo do Colégio

Roteiro em São Paulo: Páteo do Colégio

Escondido quase atrás do Patio do Colégio, fica o Solar da Marquesa de Santos. Um lindo casarão do Século 18 que abriga um museu, com entrada gratuita. A marquesa, Domitila de Castro Canto e Mello, morou lá de 1834 a 1867. O lugar é uma viagem no tempo. Mais informações aqui.

Construções clássicas

Construções clássicas

Foco nos detalhes

Foco nos detalhes

Quase ao lado fica a Caixa Cultural, um lugar que sempre tem boas exposições e com entrada na faixa.

Pertinho dali já fica a Praça da Sé, que abriga a Catedral Metropolitana de São Paulo, a Catedral da Sé e o marco zero da cidade. Infelizmente esse é um dos lugares mais abandonados e sujos de São Paulo. Uma pena, a praça é lindíssima e para quem curte arte sacra, a visita a igreja é obrigatória.

Catedral da Sé

Roteiro em São Paulo: Catedral da Sé

Agora é hora de voltar, siga pela Rua Direita, ate a Praça do Patriarca novamente. Mas não deixe de olhar pra cima e apreciar as construções majestosas do centrão de São Paulo, você certamente vai se apaixonar e querer descobrir ainda mais desse pedaço da cidade.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

5 Comentários

  • Responder janeiro 7, 2016

    Luciane

    Wow!!! Adoro suas postagens!!! Estou convencida, terei que tirar uns 3 dias, ao menos, pra turitar por Sampa!!!

    • mm
      Responder janeiro 7, 2016

      Fabricio Moura

      Você vai amar =)

  • Responder janeiro 13, 2016

    Aline

    Amo seus posts. Eles são realistas. Me identifico muito!

    • mm
      Responder janeiro 13, 2016

      Fabricio Moura

      Obrigado Aline =)

  • Responder novembro 25, 2017

    Ana Castro

    Olá Fabrício! Esse roteiro é tranquilo de fazer com criança? Quero ir a São Paulo com minha filha de 11 anos, mas a (in)segurança é uma questão que me deixa receosa.

Deixe uma resposta