Como é voar com a Latam Airlines para o México

voar com a Latam Airlines para o México

Recentemente eu tive a oportunidade de voar com a Latam Airlines para o México. A companhia opera uma frequência diária ligando o Aeroporto Internacional de Guarulhos em São Paulo ao Aeroporto Benito Juarez na Cidade do México.

Não foi a minha primeira viagem internacional com a Latam desde que a TAM se fundiu com a chilena LAN e criaram essa nova companhia. Aqui no blog tem um post sobre como é voar com a Latam para o Chile (clique aqui).

Mas diferente da viagem anterior, esta foi interessante pois deu para avaliar o padrão de serviços de voos de longa distância da Latam. Neste caso, uma viagem de pouco mais de 9 horas entre o Brasil e o México.

A Latam brasileira liga o país a 22 destinos internacionais na Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Colômbia, Bolívia, Peru, República Dominicana, Estados Unidos, México, Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália e África do Sul. Operando uma frota de 151 aeronaves, entre elas os Boeings 767, 777 e Airbus A350 para as rotas de longa distância.

Como é voar com a Latam Airlines para o México


Como é voar com a Latam Airlines para o México


Compra das passagens

Eu comprei as passagens direto no site da Latam, era uma promoção muito boa, mas o destino final era a cidade de Guadalajara. O trecho entre a Cidade do México e Guadalajara foi operado pela Interjet, companhia parceira da Latam para voos dentro do México.

No início não achei uma boa ideia ter que ir para Guadalajara para depois voltar para a Cidade do México, que era o destino que eu queria, mas “Guada” – como os mais íntimos se referem – se mostrou uma excelente surpresa que eu recomendo muito.

Check-in

Eu fiz o check-in pelo site da Latam, chegando no aeroporto eu usei uma das máquinas de autoatendimento para imprimir os cartões de embarque dos dois trechos e a etiqueta de identificação da mala.

Depois eu fui para os balcões de despacho de bagagem. A fila estava gigantesca, pois era por volta das 20h e a maioria dos voos de longa distância da Latam partem nesse horário. Resultado: fiquei 1h10 minutos na fila até ser atendido.

Embarque

O voo estava programado para sair às 23h25 e o embarque marcado para às 22h20 e começou com apenas 5 minutos de atraso. Primeiro embarcaram as prioridades e depois os passageiros que voariam na classe Executiva.

Os passageiros da classe econômica embarcaram todos de uma vez, sem a separação por grupos como acontece em muitas companhias aéreas e como eu já vi em outros voos da Latam.

O resultado foi um embarque ligeiramente tumultuado, com gente perdida, malas que não cabiam nas bins e um pequeno caos.

A aeronave

O voo JJ8112 é operado pelo Boeing 767-300ER com capacidade para 221 passageiros, sendo 30 na classe executiva e 191 na econômica. A aeronave que cumpriu o voo ainda ostenta as cores da TAM, inclusive toda a tripulação ainda usava os uniformes da TAM, o que deu até uma certa nostalgia. Já o voo de volta foi operado pelo PT-MSY, o primeiro 767 nas cores da Latam, o mesmo que buscou na Suíça a chama olímpica da Olimpíada do Rio em 2016.

Como é voar com a Latam Airlines para o México

A aeronave do voo de ida foi fabricada em 2012 e entregue nova pela Boeing para a LAN, que a repassou para a TAM em 2014. Estava bem limpa e não muito bem conservada, alguns detalhes de acabamento soltos e com muitos porta copos quebrados.

A classe econômica dos 767 estão configuradas no layout 2-3-2, e eu achei razoável o espaço para as pernas. Para uma viagem de 9 horas foi até confortável.

Como é voar com a Latam Airlines para o México: espaço entre as poltronas

Todas as poltronas vem equipadas com telas individuais com o sistema de entretenimento de bordo da Latam, portas USB e uma tomada elétrica entre cada par de poltronas. Excelente para recarregar o celular, tablet ou computador durante o voo.

Dica: Nos 767 da Latam configurados com 40 fileiras de poltronas, esta última é uma poltrona de premium economy com apoio para as pernas que é usada para o descanso da tripulação. Caso o voo não esteja cheio. Você pode reservar e voar em uma poltrona melhor sem pagar nada a mais por isso, me explicou a comissária chefe desse voo. São as poltronas 40A, 40C, 40J e 40L.

Conforto

Nas poltronas tinham um cobertor e um travesseirinho daqueles de avião, bem ruins. Também tinha um fone de ouvido de qualidade ruim, a minha dica é sempre usar o seu. O ar condicionado nos 767 são bem fortes, se você sente frio com facilidade, recomendo levar uma manta ou agasalho.

Como é voar com a Latam Airlines para o México: fones, travesseiros e mantas

Logo após a decolagem a tripulação disponibiliza nas galleys alguns itens de conforto com meias, máscaras, protetores de ouvido, escova e creme dental e canetas.  Na época da TAM esses itens vinham em uma bolsinha que podia ser reutilizada. Mas mesmo assim, gostei do cuidado que não é oferecido pela maioria das companhias aéreas.

Itens de conforto

Voo e serviço de bordo

O voo partiu com um atraso de 20 minutos, mas que foi perfeitamente contornado durante a viagem.

Logo após de decolagem eu fui explorar o Latam Entertaiment, o sistema de entretenimento de bordo deles. Achei uma boa variedade de filmes, alguns lançamentos e uma boa quantidade de clássicos. Alguns programas de TV, documentários curtinhos, séries, jogos, música e o mapa de voo.

Sistema de entretenimento

Sistema de entretenimento

Em comparação com o sistema de entretenimento dos Airbus A350, eu achei o do 767 bem inferior, mas acredito que seja limitação da aeronave. (Veja aqui como é voar no A350 da Latam)

No bolsão da poltrona fica a revista Vamos e o catálogo do duty free.

Uma hora após a decolagem a tripulação começou a servir o jantar, tinham os tradicionais frango ou massa. Fui de frango e estava bom, não tem muito como errar.

De acompanhamento tinha uma saladinha, biscoitos, queijo processado e de sobremesa um bolo de abacaxi que estava muito bom. Para beber tinham sucos, refrigerantes, água, cerveja, alguns destilados e vinhos tinto e branco. Dois pontos positivos: os talheres eram de metal e o copo de vidro.

Jantar do voo de volta, exatamente igual do da ida.

Durante o jantar a comissária chefe passou servindo mais vinho para os passageiros. Após o jantar a tripulação serviu café Suplicy, chá ou mais bebidas. Também distribuíram algumas barrinhas de chocolate da Lacta e Hershey’s. Achei isso também um ponto bem positivo.

Café e chocolates

Após o serviço as luzes da cabine foram reduzidas para que os passageiros pudessem dormir. Nas galleys ficam a disposição água e suco durante toda a viagem.

O voo estava lotado, mas em nenhuma das vezes que eu precisei usar o banheiro eu o encontrei sujo. Na pia ficam a sabonete líquido, body lotion e lencinhos umedecidos.

Detalhe do banheiro

Faltando aproximadamente 1h20 para o pouso foi servido o café da manhã. Não tinham opções e veio um sanduíche quente de peito de peru com queijo, biscoitos com geleia e manteiga e uma saladinha de frutas. Para beber tinha sucos, água, café e chá.

Como é voar com a Latam Airlines para o México: Café da manhã

Em seguida foi distribuído o formulário de imigração e iniciamos a descida até a Cidade do México.

O voo foi todo tranquilo, com pouca turbulência em todo o trajeto. Desembarcamos no Terminal 1, que é usado pela Latam e a maioria das empresas que operam no Aeroporto Benito Juarez.

Conclusão

É impossível não comparar o serviço da Latam com o que era oferecido pela TAM, que tinha balinhas de boas vindas, toalhinhas quentes para higiene das mãos antes das refeições e amenities na classe econômica. Mas no geral, eu gostei da Latam, achei farto o serviço de bordo e os itens de conforto que ficam a disposição dos passageiros são um ponto bem positivo.

Mas tive a sensação de que a Latam brasileira é a prima pobre da chilena, com aeronaves com pouca conservação, a tripulação com uniformes ainda da TAM com golas e mangas puídas. Isso mais de 1 ano depois do surgimento da Latam. Do nosso lado na Cidade do México estacionou um 787 Dreamliner novinho que tinha acabado de chegar de Santiago. A tripulação toda com os novos uniformes, feios, mas tudo novinho.

Imagem de capa: reprodução da internet, autor desconhecido


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar