Lisboa na rota dos museus de arte moderna com novo MAAT

capa

A inauguração do mais novo museu de Lisboa, o MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia chegou fazendo muito barulho na mídia, e como eu estava em Lisboa poucos dias depois de sua inauguração oficial, eu fui lá dar uma olhada para poder contar tudo aqui no Vou na Janela.

O MAAT nasceu de um projeto ambicioso de colocar Lisboa na rota dos grandes museus de arte moderna do mundo, ao lado do Metropolitan e do MoMA, ambos em Nova York e a Tate de Londres, só para falar de alguns.

Parece uma raia gigante avançando contra o rio

Parece uma raia gigante avançando contra o rio

O projeto foi encomendado em 2011 a Amanda Levete do stúdio AL_A a convite do presidente da Fundação EDP, a responsável pelo MAAT.

Olhando de fora, o prédio é realmente fenomenal. O design dele é inspirado em uma concha, honestamente, eu acho que parece mais com uma arraia gigante, o que não deixa de ser lindo também.

As formas são orgânicas e parece que ele está flutuando na margem do Rio Tejo, a fachada é toda revestida com 14.936 placas de cerâmica que fazem uma releitura dos tradicionais azulejos portugueses e refletem as mudanças de luz da cidade ao longo do dia. Em dias de sol, o MAAT é bonito a qualquer hora.

Lindo de qualquer lado

Lindo de qualquer lado

MAAT7

O terraço panorâmico

MAAT6

A vista lá de cima

Um dos destaques do prédio é o fantástico terraço panorâmico aberto 24 horas por dia e com uma belíssima vista região e da Ponte 25 de Abril. Do terraço a gente tem a sensação de estar navegando no Tejo, é muito bacana.

Em frente ao MAAT uma escadaria que desce até o rio já é um ótimo lugar para apreciar o fim de tarde em Lisboa.

O MAAT foi construído ao lado do antigo Museu da Eletricidade, uma construção do início do século XX que funcionou como uma usina de energia e depois foi transformada em museu. Agora ele foi batizado de Circuito Central Elétrica e incorporado ao MAAT, fazendo o casamento perfeito do prédio de arquitetura moderna com o edifício centenário, como na Tate Modern de Londres.

O antigo Museu da Energia que agora foi incorporado ao MAAT

O antigo Museu da Energia que agora foi incorporado ao MAAT

Eu visitei o MAAT em um dia chuvoso em Lisboa, seria o lugar perfeito para passar a tarde apreciando o que o novo espaço tem a oferecer. Mas aí veio a decepção: o MAAT abriu as suas portas com apenas uma sala de exposições funcionando.

Na verdade a decepção foi geral, das mais de cinquenta pessoas que estavam na fila esperando para entrar quando as portas fossem abertas ao meio dia e de quem chegou depois.

A instalação chamada Pynchon Park da artista francesa Dominique Gonzalez-Foerster toma toda a área central da Galeria Oval, mais informações nesse link.

Entrando no MAAT a gente percebe que quando estiver funcionando a todo vapor, será uma parada mais que obrigatória para quem for a Lisboa, mas os banheiros, guarda volumes e balcões de informação ainda não estão prontos.

Quando estiver todo funcionando será visita obrigatória

Quando estiver todo funcionando será visita obrigatória

Subindo até o terraço a gente percebe que uma grande área ainda não está finalizada e alguns jardins receberam mudas de plantas recentemente.

A previsão é que o museu só comece a funcionar para valer em março de 2017 e até lá, as entradas não estão sendo cobradas. Um alento para quem visita o MAAT é que algumas exposições já estão acontecendo no prédio ao lado, no Circuito Central Elétrica.

Na boca da raia

Na boca da raia

Mesmo não estando funcionando como deveria, o prédio do MAAT já é uma atração em si. Quem estiver passeando por Belém, vale dar uma passadinha para conhecer o lugar, mesmo que por fora ou subindo até o seu terraço.

O prédio é tão bacana que eu voltei lá no dia seguinte só para fazer algumas fotos melhores, já que diferente do dia anterior, tinha um sol lindo em Lisboa.


Como visitar o MAAT


O MAAT fica em Belém, pertinho da Torre de Belém, do Mosteiros dos Jerônimos e do novo Museu dos Coches. Quem estiver na região do Mosteiro, é só ir caminhando na beira do Rio Tejo até a passarela que cruza a Avenida Brasília e a linha de trem em frente ao Museu dos Coches.

Funciona de Quarta à Segunda, do meio dia às 20h e até março de 2017 a entrada não será cobrada. Para visitar o Circuito Central Elétrica a entrada custa 5 euros.

Site oficial: www.maat.pt

 


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar