Como é voar na Emirates de São Paulo para Dubai

Como é voar na Emirates

Hoje, quando pensamos em companhia aérea referência em luxo, conforto e alcance, pensamos imediatamente na Emirates Airlines. A empresa dos Emirados Árabes já perdeu o posto de melhor do mundo para a Qatar Airways, também do Oriente Médio, mas é inevitável não associar a Emirates ao melhor serviço. Eu sempre quis saber como é voar na Emirates e aproveitando um conjunto de oportunidades, comprei o trecho entre o São Paulo e Bangkok, na Tailândia, com conexão em Dubai.

Como são dois trechos bem distintos e muitos brasileiros (e meio mundo) usam Dubai como hub, resolvi dividir esse assunto em dois posts. Nesse, vamos tratar de como é voar na Emirates de São Paulo para Dubai.


Como é voar na Emirates do Brasil para Dubai


Eu comprei a passagem aérea pelo site, o processo foi super simples e como a Emirates tem escritório no Brasil, não paguei IOF para transações internacionais. No voo de ida eu não consegui marcar a poltrona no momento da compra, apenas para o voo de volta. O check-in eu também fiz pelo site e aí sim eu consegui marcar a poltrona.

Eu cheguei no aeroporto de Guarulhos faltando 2h30 para a partida, como eu estava levando na mala alguns itens não permitidos para a bagagem de mão, tive que quebrar um dos meus pilares e despachar a mala.

Check-in

No balcão de check-in já fica bem nítido o porque da Emirates ter a fama de melhor do mundo. O atendimento foi sensacional, rápido e muito cordial. Ficam a disposição dos passageiro, tags de plástico para colocar na mala.

Voucher para refeição em Dubai

Como é voar na Emirates: Voucher para refeição em Dubai

Como minha conexão em Dubai demoraria mais de 3 horas, a Emirates providenciou um voucher de refeição em um dos muitos restaurantes credenciados no Terminal 3 do aeroporto de Dubai.

Check-in feito, me dirigi para a sala de embarque. O Terminal 3 do Aeroporto de Guarulhos estava super vazio, pela hora da partida do vôo, à 1h25 da manhã, não tinha muito movimento por ali e por conta disso, foi super rápido o raio-x e controle de passaportes.

A aeronave

O modelo que cumpre a rota de quase 15 horas entre São Paulo e Dubai são os Boeings 777-300ER, a aeronave do meu vôo tinha apenas 4 anos de uso e estava bem novinha.

A classe econômica tem o tradicional layout de 3-4-3, semelhante a TAM, American Airlines e KLM / Air France, para falar de algumas. Mas a poltrona era ligeiramente mais macia, com encosto de cabeça regulável e o espaço entre as fileiras exatamente igual as demais, isso a gente comprova facilmente pelo Seat Guru.

Boeing 777-300 de São Paulo para Dubai

Como é voar na Emirates: Boeing 777-300 de São Paulo para Dubai

Embarque

O embarque em Guarulhos é feito usando duas pontes, uma só para os passageiros da First e da Business e outra ponte para a Econômica, que ocupa as duas últimas seções do avião.

O embarque foi meio tumultuado, senti que o pessoal de terra ficou meio perdido com a multidão de quase 400 pessoas diante dos portões 315 e 316 do Terminal 3. Eles chamaram para embarque os passageiros da First e da Business, mas não chamaram os da Econômica, também não orientaram o embarque por grupos, as pessoas que iam se localizando na fileira correta. Por conta disso, o voo decolou com 30 minutos de atraso. Nesse ponto, outras empresas foram mais organizadas. Essa desordem também aconteceu em Dubai.

Dentro da aeronave, a tripulação recebe os passageiros com a simpatia que ajudou a fazer a fama da Emirates, tinham pelo menos 3 comissários brasileiros, além de uma portuguesa. Todos os avisos eram feitos em árabe, inglês e português.

Voo, serviço de bordo e entretenimento

Na poltrona encontramos uma manta, travesseiro, fones de ouvido de boa qualidade e uma pequena e charmosa nécessaire com um par de meias, máscara de dormir, escova de dentes e creme dental. Ponto para Emirates, poucas empresas tem esse cuidado com o passageiro da econômica.

Necessaire

Como é voar na Emirates: Necessaire

Todas as aeronaves da frota da Emirates tem sistema de entretenimento de bordo, a tela dos Boeings 777 é de 9 polegadas e vem com o consagrado sistema ICE (Information, Comunication, Entertainment) da companhia.

O ICE tem uma quantidade absurda de títulos, muitos filmes que ainda estão nos cinemas brasileiros já figuram no catálogo deles. Centenas de programas de TV, rádio, telejornais, música, os tradicionais mapas de navegação e duas câmeras, uma no nariz e outra na barriga do avião.

Porém, a experiência do ICE acaba sendo prejudicada pela navegação pouco intuitiva em alguns momentos e pelo fraco touch screen da tela. Na hora eu achei que era problema da minha tela, mas não. Para funcionar, tinha que tocar com força o menu para ele reconhecer. Também achei o retorno do sistema bem lento.

Cabine do 777-300

Como é voar na Emirates: Cabine do 777-300

Serviço de bordo

O serviço de bordo começou cerca de 1 hora após a decolagem, a tribulação distribuiu um cardápio com as opções de tudo que seria servido no vôo entre São Paulo e Dubai. O cardápio vem em árabe, inglês e português. Achei ótimo, pois a gente já sabe o que pedir e não tem surpresas.

Menu

Como é voar na Emirates: Menu

Nesse vôo são servidas três refeições, um café da manhã e tinha como opção principal ovos mexidos com cebolinha, acompanhado de batatas lyonnaise e cogumelos salteados com concassé de tomate ou omelete de cogumelos com chipolatas de frango, batatas coradas, creme de espinafre e tomate grelhado. Eu escolhi o omelete e estava sensacional. Também tinha uma salada de frutas, croissants, biscoitos e para beber a empresa serviu sucos, refrigerante, café e leite.

Café da manhã

Como é voar na Emirates: Café da manhã

A segunda refeição foi mais modesta, servida umas 3 hora depois e veio um sanduíche ou empanada de frango e para beber tinha além dos tradicionais sucos, uma carta de vinhos e cervejas de vários cantos do mundo.

A terceira refeição foi o que seria um almoço, ou jantar, considerando a hora do desembarque em Dubai, após das 22 horas. Essa refeição foi a melhor, e tinha como opções cozido de cordeiro com vargens na manteiga e arroz de pilaf com ervas ou Filé de Macca com molho de limão e endro, acompanhado de ervilhas, manteiga de ervas e purê de batatas.

Jantar

Jantar

Eu escolhi o cordeiro e de entrada uma salada com peru defumado, torta de chocolate de sobremesa, além disso tinham biscoitos, torradas, um pão, manteiga, molhos, um chocolatinho e um mini tic-tac. Os recipientes são todos de acrílico e talheres de metal.

A comida estava absolutamente sensacional, certamente foi a melhor refeição que eu já comi em um avião.

Sem miséria

Sem miséria

Entre as refeições principais, a tripulação passa servindo água, sucos e pequenos snacks. Nas galleys ficam cestas com várias frutas, biscoitos e chocolates a vontade.

A qualquer momento você pode pedir mais bebida, um lanche, vinho e cerveja sem miséria. Fiquei realmente impressionado, os caras não economizam mesmo.

Um ponto negativo do serviço de bordo da Emirates chega a ser uma ironia. É que com tantas opções de comida e bebida, eles precisam de dois carrinhos para servir tudo. Um só de comida e outro só de bebida. Com isso, o serviço de bordo fica bem lento. A comida chega e as vezes, demora até uns 5 minutos para a bebida chegar.


Chegada em Dubai

Apesar do atraso na decolagem, chegamos em Dubai cerca de 20 minutos antes do previsto. O desembarque foi realizado em uma posição remota. Para quem reclama disso no Brasil, saiba que em todos os aeroportos do mundo isso é bem comum, até em Dubai e com a toda poderosa Emirates.

Chegada em Dubai

Chegada em Dubai

Fomos levados em ônibus até o Terminal 3, que é o terminal da Emirates. Como eu ia fazer a conexão para Bangkok, segui para a área de conexões, passei pelo raio-x mais uma vez e já estava na gigantesca sala de embarque, mas isso é assunto para outro post.

Voar com a Emirates realmente é uma experiência, mas o melhor ainda estava por vir: o voo de Dubai a Bangkok no gigantesco Airbus A380, o assunto do próximo review.

Leia mais:

Como é voar no A380 da Emirates, o maior avião do mundo
Como é voar na Business da Emirates no Airbus A380


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Responder agosto 18, 2017

    Sandra

    Olá Fabrício. Irei a Dubai e Tailândia em outubro e gostaria de saber qual o valor do visto pago para a entrada em Dubai? Sei que a própria Emirates será meu sponsor, mas ainda desconheço o valor. Obrigada por compartilhar conosco a sua experiência.

    • mm
      Responder agosto 18, 2017

      Fabricio Moura

      Oi Sandra, tem um post no blog com todas as informações para tirar o visto, dá uma olhada lá.

Deixe uma resposta