10 coisas para fazer em Santiago que não custam nada

coisas para fazer em Santiago

Santiago é ao lado de Buenos Aires, uma das cidades mais procuradas por brasileiros no exterior. É daquelas cidades que conservam o passado e miram no futuro. Emoldurada pela colossal Cordilheira dos Andes, é certamente um dos lugares mais belos desse cone sul. Nesse post, vou dar 10 coisas para fazer em Santiago e que não custam nada.


10 coisas para fazer em Santiago que não custam nada


Free Walking Tour

Um passeio bem bacana pelo centro de Santiago com guias do Free Tour. O roteiro percorre toda a parte histórica da cidade e você não paga nada por isso, mas claro, gorjetas (propina em espanhol) são bem-vindas. O tour é acontece todos os dias, com saídas às 10h da manhã e às 3h da tarde em frente a Catedral Metropolitana na Plaza de Armas. Mais informações aqui

Free walking tour


Cerro Santa Lucía

O Cerro (morro em espanhol) fica bem no centro da cidade e é um ótimo lugar para passeios e tem uma vista em 360 graus de Santiago. Ele tem 69 metros de altura e lá de cima a gente consegue ainda ver as Cordilheiras e o seu “irmão” mais alto, o Cerro San Cristóbal. São vários mirantes, pontes, escadas, passagens, grutas, quedas d’agua e o no topo uma torre com incrível vista da cidade.

Cerro Santa Lucía


Museu Nacional de Bellas Artes

É simplesmente um dos mais antigos museus de artes da América Latina, o lugar abriga instalações de arte moderna, vanguardistas e galerias e mais galerias com a história do Chile e da América Latina em óleo sobre tela. O Bellas Artes e funciona de terça a domingo das 10h às 18h45. Dica: como não é permitida a entrada com bolsas, leve moedinhas de 100 pesos para usar os armários.

Bellas Artes


Mais museus

Santiago é cheia de museus, quase todos são pagos, mas a boa notícia é que aos domingos a entrada é gratuita e são eles: Museu de La Merced (com acervo da Ilha de Páscoa); Museu Nacional de Historia Natural (mais ilha de Páscoa e entre muitas coisas, um esqueleto gigante de baleia); Museu Histórico Nacional (conta a história do país até o golpe militar de 1973); Museu Casa Colorada (só o prédio já vale a visita); Museu Chileno de Arte Pre-Colombiana (lindo e enorme, vale um almoço no restaurante interno).


Mercadão

O Mercadão de Santiago fica em uma parte bem movimentada do centro, ao lado de estações de ônibus e do Centro Cultural Mapocho. O lugar é ótimo para conhecer e comer uma variedade absurda de frutos do mar frescos que chegam diariamente do Pacífico.

Mercado Municipal de Santiago


Parques

Santiago tem parques lindos e passear por eles não custa nada. O Florestal, bem no centro faz com que a gente se sinta na Europa, o parque Metropolitano que é chamado de pulmão verde de Santiago, o Quinta Normal, um pouco mais afastado do centro, mas o lugar é cheio de museus, como o Museu Nacional de Historia Natural, Museu Nacional de Ciencia e Tecnología e Museu Infantil. Do lado de fora do Parque ainda tem o Museo da Memoria e dos Direitos Humanos, Museu de Arte Contemporânea e o  Museo Artequin.


Centro Cultural La Moneda

O Centro cultural fica literalmente embaixo do Palácio de La Moneda, sede do Governo Chileno. Um lugar gigantesco que reúne mostras e exposições da cultura latino americana. Também tem cafés, restaurantes um cinema e lojas. O único lugar tem wi-fi aberto e eles incentivam o uso.

Interior do centro cultural


Cerro San Cristóbal

O ponto mais alto dentro de Santiago e garante uma vista absurda da cidade. Super até o cerro é grátis, mas como é muito alto, todo mundo vai pelo Funicular (uma espécie de trem), mas mais aventureiros podem subir pelas trilhas ou estradas.

Cerro San Cristóbal, o ponto mais alto de Santiago


Feira Persa Biobio

Bater perna nessa feira enorme é mais divertido do que comprar, ela acontece aos sábados e domingos perto da estação de metrô Franklin, entre as ruas Biobio e Placer. São centenas de barraquinhas nas ruas e casarões e galpões antiguíssimos onde são vendidas antiguidades, discos, livros, roupas, móveis, objetos de decoração e mais o que você puder imaginar.


Plaza de Armas

É o marco zero da cidade, no entorno da praça ficam a magnífica Catedral Metropolitana de Santiago, o prédio dos Correios e o Museu Histórico Nacional. Além disso, a praça é palco de manifestações folclóricas e feira de artesanato.

***


Aqui no blog tem um post super completo com dicas de onde se hospedar e onde não se hospedar em Santiago: Leia aqui. Mas vou deixar algumas dicas aqui embaixo.

Para mim, a Providencia é o melhor bairro para ficar em Santiago. No bairro temos fácil acesso a maioria das atrações da cidade.

Na minha primeira viagem eu fiquei no Hotel Boutique Tremo e foi uma excelente escolha. Era um hotel pequeno, com tudo novinho, confortável, com bom café da manhã e uma bela banheira de hidromassagem no quarto.

Na segunda viagem eu fiquei em um outro hotel ali pertinho, o Mito Casa Hotel Boutique, que também foi uma ótima escolha. Na terceira vez que eu estive em Santiago, eu me hospedei no NH Ciudad de Santiago, que por ser um bom hotel de rede, não tem muito como errar e eu recomendo muito.

Outro bairro muito procurado é a Bella Vista, eu tenho amigos que ficaram no The Aubrey Boutique Hotel e amaram. Em uma próxima ocasião eu tentaria me hospedar nele.


Como é passar pela imigração em Santiago
Como chegar a Valparaíso e Viña de Mar
Onde ficar em Santiago
Transfer para Brasileiros do aeroporto até o centro da cidade
10 dicas grátis em Santiago


O que fazer em Santiago
Cerro Santa Lucía
Cerro San Cristóbal
Sky Costanera
Parque Quinta Normal e seus museus
Valle Nevado em temporada de inverno
Termas Colina e Embalse El Yeso
Valparaíso e Viña del Mar
Vinícola Emiliana
Casa de Pablo Neruda em Isla Negra


O seguro viagem não é obrigatório para visitar o Chile, no entanto, é recomendável que você tenha essa proteção. Faça aqui o seu seguro com descontos especiais. Use o cupom de desconto de 5% para os leitores: VOUNAJANELA5.










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.