A Floresta Sagrada dos Macacos em Ubud, na ilha de Bali

Floresta Sagrada dos Macacos

Quando eu comecei as minhas pesquisas sobre o que fazer em Ubud, um lugar que aparecia em todos os sites e guias era a Floresta Sagrada dos Macacos. Eu sempre digo aqui no blog que lugar de animal é no seu habitat natural, por isso, eu não suporto zoológicos ou passeios que exploram os bichos.

Mas a Floresta Sagrada dos Macacos é o oposto disso. Apesar da gente pagar para entrar, os animais vivem soltos por ali, e muitas vezes acabam saindo da floresta e indo para as ruas e nem sempre o final da aventura é muito feliz.

O “The Sacred Monkey Forest Sancturay” – nome oficial – fica em uma enorme área de mata preservada na área de Pandagtegal em Ubud, no coração da ilha de Bali na Indonésia. O lugar é cheio de enormes árvores, vales, riachos, pontes e templos hindus, religião predominante em Bali.

Um dos macacos mais jovens do bando

Um dos macacos mais jovens do bando

O macaco está entre os vários animais sagrados do hinduísmo, segundo a lenda, um exército de macacos teria salvado Ravana, a mulher de Rama do demônio. Como Rama é considerado um dos avatares do deus Vishnu, os animais passaram a ser abençoados e considerados sagrados.

Na área onde hoje existe a Floresta Sagrada dos Macacos, já haviam templos hindus desde o século 14, quando Ubud ainda era coberta por uma densa floresta e os macacos viviam livremente em toda ilha. Com o crescimento da cidade e aumento das áreas desmatadas para plantação de arroz, os macacos foram ficando confinados na área onde hoje é a Floresta Sagrada dos Macacos.

São mais de 600 macacos ao todo

São mais de 600 macacos ao todo

Dentro da floresta são 3 templos: Pura Dalem Agung (dedicado a Shiva); Pura Beji (dedicado a Ganga) e Pura Prajapati (dedicado a Prajapati) e que funciona como cemitério temporário, enquanto os corpos aguardam a cremação em massa que acontece a cada 5 anos.

De acordo com o último levantamento feito em junho de 2016, 678 macacos vivem na floresta, dividido em seis grupos que ocupam determinadas áreas do lugar. Sabe aquele ditado “cada macaco no seu galho”? É bem isso, os grupos não se misturam e quando se encontram, acontecem algumas brigas que chegam a assustar.

Um dos mais velhos

Muito observadores

Falando nisso, é preciso ter certos cuidados na floresta e logo na entrada uma grande aviso alerta aos visitantes: não carregar sacolas com comidas; não esconder comidas pois eles vão procurar; cuidados com as bolsas e bens pessoais pois eles roubam mesmo; evitar o contato com os animais pois a mordida pode transmitir raiva.

Os macacos costumam pular nas pessoas, especialmente se sentirem cheiro de comida e se isso acontecer não entre em pânico, tente jogar algo comestível no chão, é o que o pessoal de lá recomenda.

Muito carinho entre eles

Muito carinho entre eles

Eu tenho um pouco de fobia de macacos, pois são animais bem imprevisíveis e especialmente os de Ubud, que apesar da carinha de inocente, adoram roubar os visitantes. Por isso, tentava até manter uma certa distância deles, mas é inegável que alguns momentos de carinho e afeto entre eles deixam a gente um pouco comovidos.

Com os devidos cuidados, passear pela floresta explorando todas as trilhas, pontes e passarelas é muito legal. Um ótimo refresco no calorão da Indonésia.

Uma das matriarcas dos vários bandos

Uma das matriarcas dos vários bandos

Trilhas, pontes e passarelas no meio da mata

Trilhas, pontes e passarelas no meio da mata

A floresta é cortada por um riacho

A floresta é cortada por um riacho

Um dos templos principais da floresta

Um dos templos principais da floresta

O mesmo templo, em outro ângulo.

O mesmo templo, em outro ângulo.

Caminhos lindos para se perder

Caminhos lindos para se perder


Como chegar a Floresta Sagrada dos Macacos


A floresta fica na Jalan Monkey Forest, Padangtegal em Ubud. Se você estiver hospedado em Ubud, dá pra ir facilmente a pé. Mas qualquer taxista da ilha vai saber como chegar lá, mas negocie o valor antes.

A entrada custa 50.000 rúpias (R$12,00) e funciona das 8h30 às 18h. Mas o melhor momento é no período da manhã quando está menos cheio. Eu cheguei lá por volta das 9h e estava super tranquilo.

Mais informações no site: http://www.monkeyforestubud.com/


Onde ficar em Ubud


É super importante escolher bem onde ficar em Ubud, pois Bali não tem transporte público e estando bem localizado, você poderá fazer a maioria dos passeios a pé. Mas se você quiser ter um pouco mais de mobilidade, poderá alugar uma scooter.

Eu fiquei hospedado no Pertiwi Bisma, são 3 hotéis em Ubud e todos bem próximos um do outro. Eu escolhi o Pertiwi Bisma 2, pois tinha uma piscina sensacional de frente para um vale super verde e com campos de arroz. O quarto era enorme, super confortável, com ótimo banheiro e tinha até banheira. O café da manhã também era excelente. Pertinho dele fica o Pertiwi Bisma 1 e o Pertiwi Resort & Spa, todos são ótimas opções para ficar em Ubud.

Ao lado deles também fica o lindo Alamdini Resort Ubud, que tem um excelente custo benefício, além de ser super confortável. O Dewangga Ubud é um duas estrelas com conforto e com preços ótimos. O bacana é que ele fica pertinho do Palácio de Ubud e da Floresta Sagrada dos Macacos.

E coladinho na floresta fica o Grand Sehati & Spa, que também tem um excelente preço, além de ser super confortável.


Reserve aqui os seus passeios em Bali


 

***


Tudo o que você precisa saber antes de visitar a Indonésia
Visto e imigração na Indonésia
Cinco lugares na Indonésia que você precisa conhecer

Dicas de Bali para a sua primeira viagem
O que fazer em Bali
Onde ficar em Bali
Onde ficar em Ubud
Ritual de limpeza espiritual em Bali
A floresta sagrada dos macacos

Templo Borobudur em Java
Prambanan, o grande templo hindu de Java


Como chegar nas ilhas Gili saindo de Bali
Como chegar em Nusa Penida










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.