Castelo de Praga: o que ver e como visitar esse símbolo da Rep. Tcheca

Castelo de Praga

O Castelo de Praga, um dos lugares mais visitados na capital da República Tcheca, é bem diferente da maioria dos castelos medievais que a gente vê pela Europa. Pois ele não é formado por uma única edificação com torres e cercado por uma muralha.

O Castelo de Praga é um conjunto de palácios e igrejas conectados por pequenas ruas e vielas e cercados por muralhas em algumas partes. Olhando lá de baixo, muita gente confunde a Catedral de São Vito – que fica dentro do complexo – como o castelo em si.

A história do Castelo de Praga se confunde com a história da cidade, pois foi a partir daquela colina onde ele foi construído que a cidade surgiu e se desenvolveu. E essa história começou no ano 880 e ele foi crescendo até que a última obra foi concluída em 1929. Ele já foi residência dos Reis da Boêmia e ainda hoje é a sede do governo Tcheco.

Castelo de Praga


O que ver no Castelo de Praga


Em um complexo tão grande, é legal saber o que visitar e a grande maioria dos palácios e alas que não podem ser visitadas, pois como eu disse, ali é a sede do governo.

Mas comece a sua visita pela Catedral de São Vito, é o prédio mais bonito e imponente de Praga. O prédio em estilo gótico começou a ser construído em 1344 e só foi finalizado em 1929.  Linda por fora e impressionante por dentro, a Catedral ainda guarda a tumbas do Rei Venceslau IV e as jóias da Coroa.

No alto de uma das torres fica um mirante, se você estiver com disposição, pode subir os 99 metros de escada em formato de caracol e ter uma das vistas mais bonitas de Praga.

Catedral de São Vito

Catedral de São Vito

Catedral de São Vito

Não distante da catedral fica a Golden Lane, uma ruazinha com casinhas antigas que foram preservadas e onde viviam os antigos artesãos e pessoal que trabalhava no castelo servindo a realeza. São casinhas com cômodos bem pequenos que guardam seus móveis, utensílios e roupas. A primeira coisa que surpreende é como as pessoas eram pequenas naquela época. Parecem casinhas de bonecas. Uma curiosidade é que Franz Kafka viveu na casinha de número 22 da Golden Lane.

Atrás das casinhas ficam uma muralha e dentro dela um acervo imenso de armaduras medievais e centenas de artigos antigos.

Coleção de armas e armaduras

Entre os palácios, um que pode ser visitado é o Antigo Palácio Real. Ele foi construído todo em madeira no século IX e anos depois ele foi reconstruído e ganhou um banho de luxo.

Atrás da Catedral de São Vito fica da Basílica e Convento de São Jorge. Uma igreja bem simples para os padrões do Castelo de Praga, mas que começou a ser construída no ano 920 e abriga a coleção de arte boêmia da Galeria Nacional de Praga.

Na praça em frente a Basílica de São Jorge sempre tem umas barraquinhas de comidas típicas, ótimo para comer bem sem gastar muito. Dentro do complexo do castelo não faltam cafés e lugares para comer, mas o preço é salgado, como vocês podem imaginar.

Outros pontos procurados são as torres do castelo, a Torre da Pólvora, Torre Daliborka e as Torres Branca e Negra. Todas foram construídas para proteger o castelo e tiveram diferentes finalidades depois, até prisão para endividados ou membros da própria realeza.

O Palácio Lobkowicz é bem bacana também, ele tem um enorme acervo de obras de arte e o mais bacana na minha opinião são os instrumentos musicais e as partituras originais que pertenceram a Mozart e Beethoven.

Troca da guarda

Troca da guarda

No Castelo de Praga acontece também a troca da guarda diariamente ao meio-dia, não é tão bacana como a troca da guarda do Palácio de Buckingham em Londres, mas aí já é crueldade a comparação.


Como visitar o Castelo de Praga


O Castelo de Praga fica no alto da colina da Malá Strana, impossível não ser visto de diversos pontos da cidade. Existem duas entradas: Uma pela frente do castelo subindo pelas ladeiras da Malá Strana. A outra entrada é por uma das laterais do castelo e pode ser acessada pelo Tram número 22 que passa perto da Ponte Carlos e sobe as ladeiras do castelo.

Dica: recomendo subir de bonde e entrar pelo acesso lateral e sair pelos portões principais e descer as ladeiras da Malá Strana, a vista é linda!

O tram 22 que vai até a porta do castelo

Os acessos principais do castelo

Logo na entrada todo mundo passa por uma revista com detector de metais, as pessoas podem entrar com bolsas e mochilas, mas a revista é bem rigorosa.

Depois seguimos pela ponte (mostu em tcheco) Prasného e só depois acessamos o primeiro pátio do Castelo de Praga. Deste ponto, para o lado direito fica a entrada principal, a mesma onde acontece a troca da guarda. Do lado esquerdo após uma passagem a gente já fica em frente a Catedral de São Vito e ao lado fica a loja onde são vendidos os ingressos.

São 3 tipos de entrada e cada uma dá acesso a diferentes atrações do castelo:

  • Circuito A: Catedral de São Vito, Antigo Palácio Real, Exposição “A história de Praga”, Basílica de São Jorge, Golden Lane, Torre Daliborka e Palácio Rosenberg.
  • Circuito B: Catedral de São Vito, Antigo Palácio Real, Basílica de São Jorge, Golden Lane, Torre Daliborka e Palácio Rosenberg.
  • Circuito C: Exposição “Os tesouros da Catedral de São Vito” e Galeria de fotos do Castelo de Praga.

Dica importante: para visitar as áreas externas do castelo, andar pelos pátios e algumas ruas não precisa de ingresso.

Você pode ganhar tempo e comprar os passeios abaixo que incluem guias e a entrada para o Castelo de Praga


Dicas de hospedagem barata em Praga


Confira nosso post com todas as dicas de hospedagem em Praga (clique aqui). Recomendo muito ler esse post antes de se decidir onde ficar.


Booking.com


Compre aqui seus passeios em Praga



Resolva aqui a sua viagem


Reserve a sua hospedagem pelo Booking.com

Faça aqui o seu seguro viagem internacional

Compre aqui os ingressos para os seus passeios

Consultoria de viagens e roteiros personalizados

Ebooks e guias para download


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar