Museu dos Cosmonautas e a história da corrida espacial

Museu dos Cosmonautas

Durante as minhas pesquisas para traçar o meu roteiro por Moscou eu achei um post em um blog gringo sobre o Museu dos Cosmonautas. Imediatamente eu me interessei pelo assunto, já que a antiga União Soviética e Estados Unidos protagonizaram a corrida espacial na metade do século XX, no meio da Guerra Fria.

O curioso é que as informações sobre esse museu eram escassas, na internet e também nos dois guias que eu estava usando, um em português e outro em inglês. Nem mesmo no guia de Moscou que é distribuído no Aeroporto Sheremetyevo tinha informações sobre esse museu.

Um lugar que resgata toda a história do pioneirismo dos soviéticos no espaço não poderia passar em branco na minha viagem pela Rússia. E é muito estranho que um lugar como esse seja pouco divulgado.

Yuri Gagarin, o primeiro homem a viajar pelo espaço em 1961


Um pouco de história


Para contextualizar, entre 1957 e 1975 a União Soviética e os Estados Unidos foram os grandes protagonistas na chamada Corrida Espacial. Os dois países brigaram pela supremacia na exploração do espaço e os russos saíram na frente em 1957 lançando o Sputnik, o primeiro satélite artificial a ser colocado em órbita. Os soviéticos também mandaram o primeiro ser vivo para o espaço, a cadela Laika também em 1957. Seguido de Yuri Gagarin, o primeiro homem a viajar pelo espaço em 1961.

Laika, a cachorrinha cosmonauta

O auge dessa briga de gigantes, você deve imaginar, foi justamente quando os norte-americanos colocaram o primeiro homem na lua, dentro do programa Apollo da Nasa.

Enquanto os Estados Unidos batizaram esses conquistadores do espaço de “astronautas”, os soviéticos preferiam o termo “cosmonautas” de “cosmo”. Por isso o nome do museu.

Nave Soyuz

A verdade é que tanto os americanos, quanto os russos foram muito bem sucedidos na Corrida Espacial. Claro, os EUA saíram vitoriosos, mas a Nasa “vendia” muito bem as suas conquistas enquanto a União Soviética era um dos países mais fechados do mundo. Por isso as conquistas dos EUA são bem mais famosas que os feitos dos russos.


Sobre o Museu dos Cosmonautas


O Museu dos Cosmonautas fica na base do Monumento aos Conquistadores do Espaço, uma estrutura grandiosa de 110 metros de altura que representa um foguete sendo lançado. Mais uma obra da megalomania dos russos toda de aço e titânio, algo bem de acordo com a importância do museu.

E logo na entrada do Museu dos Cosmonautas, a gente já fica cara a cara com o lendário Sputnik, o primeiro satélite a ser colocado em órbita. Curiosamente ele não servia pra muita coisa, ele só emitia um bip que era captado aqui da Terra, mas imagina o que isso representou em 1957?

O lendário Sputnik

Logo ao lado do Sputnik, uma enorme estátua de Yuri Gagarin, o primeiro homem do mundo a viajar pelo espaço, de braços abertos dá as boas-vindas ao museu. Um dos maiores orgulhos dos russos e ícone daquele país, ao lado de Lenin e Stalin.

Ao mergulhar no acervo do museu, encontramos mais uma dezena de satélites, várias cápsulas de reentrada dos foguetes Soyuz, aqueles que levavam os russos para o espaço e traziam de volta em segurança para a Terra.

Um dos vários módulos de reentrada

O módulo por dentro

Curioso é que a gente tem a impressão de tudo aquilo ser de uma tecnologia bem rudimentar e no entanto, levava e trazia os Cosmonautas em segurança. Ficar cara a cara com esses equipamentos e praticamente se sentir dentro deles é algo fantástico.

Vários foguetes e maquetes

Um dos vários trajes espaciais

O museu tem também foguetes e partes dos foguetes recuperados, pois quando um foguete era lançado, seus módulos eram descartados a medida que iam subindo e o que restava era justamente a cápsula onde os cosmonautas ficavam.

Vários equipamentos da época, veículos espaciais, muitas, mas muitas roupas usadas pelos Cosmonautas, algumas bem bizarras e até engraçadas.

Já tocou em um meteoro?

E essas roupas?

Módulo da Estação Espacial MIR

Mas o que mais chama atenção e a parte que eu mais gostei, foi o módulo da Estação Espacial Mir. A fantástica estação espacial construída pelos Soviéticos na órbita da terra em 1986 e que funcionou até 2001. E o mais bacana é que a gente pode entrar dentro do módulo.

Por dentro da MIR

Porta por onde os cosmonautas entravam no módulo

Banheiro dos Cosmonautas

Para mim, o módulo da Mir é a cerejinha do bolo da visita ao Museus dos Cosmonautas e se fosse você, não deixaria de fora do seu roteiro em Moscou.


Como visitar o Museu dos Cosmonautas


O Museu dos Cosmonautas fica afastado do centro de Moscou, mas do lado da estação VDNKh do metrô (linha 6) e chegar até lá é muito fácil. Saindo da estação você já vai ver gigante Monumento aos Conquistadores do Espaço.

Lei aqui como usar o metrô de Moscou sem complicações

Monumento aos Conquistadores do Espaço

A entrada custa 250 Rublos (14 reais), pode entrar de bolsa/mochila, mas não pode entrar de casaco (vai entender), mas tem um guarda volumes onde você pode deixar o casaco.

O museu fica aberto das 10h às 19h (terça, quarta, sexta, sábado e domingo) e das 10h às 21h (na quinta). Não abre na segunda-feira.


Dicas de hospedagem barata em Moscou


Eu escrevi um post explicando os melhores lugares para se hospedar em Moscou e também onde evitar. Leia o post aqui.

Confira aqui a nossa lista de sugestões de hospedagem em Moscou: clique aqui



Booking.com


Compre aqui seus passeios em Moscou



Resolva aqui a sua viagem


Reserve a sua hospedagem pelo Booking.com

Faça aqui o seu seguro viagem internacional

Compre aqui os ingressos para os seus passeios

Consultoria de viagens e roteiros personalizados

Ebooks e guias para download


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.