O que fazer em Seul, Coréia do Sul (roteiro de 4 dias)

O que fazer em Seul

Seul é uma cidade que não figura entre os destinos internacionais favoritos dos brasileiros, talvez por isso eu tinha poucas expectativas sobre a Coréia do Sul. E quando menos esperamos, algo muito bom pode nos surpreender, e foi isso que aconteceu. E se você estiver pensando em visitar a Coréia do Sul e está aqui procurando o que fazer em Seul, veio ao lugar certo.

***

Talvez você não saiba, mas a região metropolitana de Seul é a segunda mais populosa do mundo, são cerca de 25 milhões de pessoas. Daí você já pode imaginar que Seul é uma cidade bem grande, correto? Sim, é imensa! Mas a boa notícia é que tudo o que interessa para fazer em Seul, está relativamente perto.

E mesmo que não estivesse, o metrô de Seul é absurdamente grande. São ao todo 22 linhas (isso mesmo!) e mais de 700 estações, cobrindo toda a cidade, região metropolitana e os aeroportos. Transportando uma média de 2 bilhões de pessoas por ano, é o mais importante meio de transporte de Seul, tanto para moradores quanto para os visitantes. Por isso, ele será definitivamente o seu principal meio de transporte na cidade.

Mas antes de entrar no post com o que fazer em Seul, vou deixar aqui embaixo alguns posts que te ajudarão muito.

Chip de celular na Coréia do Sul
Como usar o metrô de Seul
Onde se hospedar em Seul
Chegando em Seul: visto, imigração e transporte até a cidade

Atenção: O Seguro viagem é obrigatório para viajar para a Coréia do Sul. Faça seu seguro viagem aqui com desconto.

Seul


O que fazer em Seul


Palácios reais de Seul

Os Palácios Reais são as principais atrações turísticas de Seul, e ao todo são 6. Claro, você não precisa conhecer todos eles, mas os principais é meio que obrigatório para quem visita Seul.

A maioria desses palácios foram construídos entre os anos de 1392 e 1897 durante o que é conhecido como a Dinastia Joseon, fundada por Taejo Yi Seong-gye. E foi durante esta dinastia que a Coréia começou a se moldar culturalmente e socialmente. E para ter um estado forte, o reinado precisava de palácios e foi aí que eles se proliferaram.

Gyeongbokgung

Os Palácios Reais de Seul são 6 ao todo: Gyeongbokgung, Changdeokgung, Deoksugung, Changgyeonggung, Gyeonghuigung e Jongmyo Shrine que na verdade é um templo.

Eu vou deixar o link para o post completo sobre os palácios aqui embaixo.

Leia o post completo sobre os Palácios Reais aqui

Palácios reais de Seul

Palácios reais de Seul

Trono

Os tetos são muito impressionantes


Portões

Seul foi uma cidade murada durante a Dinastia Joseon, esses muros serviam para proteger os palácios reais dos invasores, o que não ajudou muito quando os japoneses tomaram a Coréia do Sul em algumas ocasiões. A muralha coreana tinha 8 portões que davam acesso a cidade. Hoje a muralha não existe mais, porém, alguns portões sim e podem ser visitados.

O Sungnyemun Gate é um dos principais e eu achei esse o mais bonito, ele fica pertinho da Seoul Station e outro portão lindão é o Heunginjimun. Se você tiver que escolher qual portão visitar, recomendo esses dois.

Sungnyemun Gate

Sungnyemun Gate, bem no meio de Seul


Troca da Guarda

A cerimônia da troca da guarda acontece todos os dias em frente aos Palácios de Gyeongbokgung e Deoksugung em alguns horários, pela manhã e no meio da tarde. É uma cerimônia encenada com roupas típicas coreanas. É bem bacana e como acontece do lados de fora dos palácios, não precisa pagar para assistir. Eu gostei mais da cerimônia que acontece no Palácio Deoksugung às 15h.

Troca da guarda no Deoksugung

Mais uma da toca da guarda em Deoksugung


Seoul N Tower

A Seoul Tower é um dos marcos de Seul e um dos lugares mais conhecidos e visitados da capital sul coreana. A torre de 236 metros de altura fica no topo do Monte Namsan, bem no meio da cidade. Para chegar até lá, pegamos uma espécie de funicular até a estação do teleférico que vai até um ponto próximo da torre.

O passeio no teleférico já é muito bacana, mas dá para subir a pé – para aqueles que tem disposição – ou de ônibus. E lá de cima a gente tem a melhor vista de Seul.

Seoul N Tower

Curioso que os mirantes em torno da Seoul Tower são lugares escolhidos pelos casais apaixonados para pendurarem seus cadeados. E gente, é muito cadeado por todos os lados e de gente de vários cantos do mundo.

Eu não cheguei a subir na torre, confesso que a fila me desanimou, mas a verdade é que nem fez falta, a vista dos mirantes é linda e já bastou.

A melhor vista da cidade

No fim do dia é ainda mais bonito

Muitos, mas muuuuitos cadeados


Mercado noturno de Myeongdong

Uma das coisas que eu mais gosto na Ásia, é que toda cidade tem os seus mercados e rua, diurno e noturno. E mesmo sendo uma cidade rica e sofisticada, Seul não é diferente. O Mercado Noturno de Myeongdong é um dos mais famosos da cidade, ele ocupa alguns quarteirões no bairro de Myeongdong, aos pés do Monte Namsan.

O Mercado Noturno de Myeongdong tem centenas de barraquinhas de comida e bugingangas espalhadas nas ruas entre lojas de cosméticos coreanos, restaurantes sofisticados, fast-food e roupas de marca. Uma combinação pra lá de interessante.

Como o mercado ficava pertinho do meu hotel, era onde eu ia comer todos os dias a noite e às vezes caía em tentação e acabava comprando alguma coisa. Não deixe de provar os espetinhos de carne de frango ou porco, e também algumas loucuras como o churros de biscoito Oreo.

Mercado noturno de Myeongdong

Mercado noturno de Myeongdong


Bukchon Hanok Village

Conhecer uma Hanok Village é um dos passeios obrigatórios em Seul. Essas filas preservam casas tradicionais coreanas conhecidas como estilo Hanok. A Bukchon Hanok Village é a mais importante de todas as vilas e fica entre os palácios Gyeongbokgung e Changdeokgung.

E o bacana é que a maioria das casas da vila ainda são residências, onde a gente consegue ver bem de perto o cotidiano das pessoas nessas casinhas centenárias. Várias dessas casas foram transformadas em lojas, galerias de arte, restaurantes e cafés charmosos.

Ao visitar a Bukchon Hanok Village, o legal é deixar se perder entre as vielas que serpenteiam as casas e sobem as colinas ao norte de Seul. Originalmente essas casas eram ocupadas por militares da guarda dos palácios durante a Dinastia Joseon, hoje é mais um dos tesouros de Seul.

Bukchon Hanok Village

Bukchon Hanok Village


Museu Nacional do Folclore da Coreia

O Museu Nacional do Folclore da Coréia (National Folk Museum of Korea) fica coladinho no Palácio Gyeongbokgung, dá para acessar tanto por dentro do palácio, quanto por fora. Como o nome diz, o museu conta a história do folclore da Coréia do Sul e apesar do nome, o museu não fala só do folclore coreano.

Dentro do museu são várias instalações, peças históricas, artefatos, roupas e muitos ambientes reconstruídos. Mas o que eu achei mais bacana fica do lado de fora do prédio, uma rua inteira com casas, comércio e uma escola com tudo dos anos 70, parece uma viagem ao passado.

O Museu Nacional do Folclore da Coréia tem entrada gratuita, vale super a pena uma passadinha entre um palácio e outro.

Museu Nacional do Folclore da Coréia

Museu Nacional do Folclore da Coréia

Museu Nacional do Folclore da Coréia


Templo Jogyesa

Esse é o principal templo budista da Coréia do Sul, o primeiro prédio foi construído em 1392, mas como quase tudo em Seul foi destruído durante as invasões japonesas, com o Templo Jogyesa não foi diferente. O grande e lindo pavilhão foi construído nos anos 30 e segue a mesma arquitetura dos palácios reais.

Templo Jogyesa

Templo Jogyesa


Dongdaemun Design Plaza

Depois de conhecer bem o lado histórico de Seul, nada como um banho de modernidade no Dongdaemun Design Plaza. Um imenso complexo que reúne museus, galerias e lojas onde até alguns anos existia um estádio de basebol.

O Dongdaemun Design Plaza é um projeto da arquiteta Zara Hadid que tem obras incríveis espalhadas por todos os cantos do mundo. O DDP tem essas formas orgânicas revestidas por chapas de alumínio que ajudam a criar um efeito visual bem bacana de acordo com a luz do sol. E a noite o lugar é todo iluminado com leds, é lindo.

Dongdaemun Design Plaza

Dongdaemun Design Plaza


Cheonggyecheon

Seul é uma cidade com imensa capacidade de transformação, desde a época em que se libertou do domínio japonês, e a gente consegue ver claramente que a cidade continua se transformando. Uma das cerejas desse bolo, é o Cheonggyecheon, o maior parque urbano horizontal do mundo. O parque foi construído nos 11 quilômetros de margens do Cheonggyecheon Stream, um rio que atravessa boa parte da cidade.

Mas preciso confessar que como eu estive em Seul no inverno, o parque estava feio e com praticamente todas as plantas mortas. Mas vendo fotos feitas no verão, eu fiquei com muita vontade de voltar. Olha essa foto abaixo como ele fica nos meses quentes.

Cheonggyecheon (imagem: Pixabay)


Seoullo 7017 Skypark

O Seoullo 7017 Skypark fica pertinho da Seoul Station, a estação central de trens e metrôs de Seoul. É um parque que foi construído em uma avenida suspensa de pouco mais de 1 quilômetro e que foi desativada. Bem semelhante ao Highline de Nova York e ao que querem fazer no Minhocão aqui em São Paulo.

A avenida foi inaugurada nos anos 70 e desativada em 2015. O parque foi aberto em maio de 2017, por isso o nome 7017.

O parque foi um dos primeiros lugares que eu visitei em Seul e foi totalmente por acaso, já que eu não tinha visto nada dele nos posts com o que fazer em Seul que eu tinha lido.

Como era inverno, muitas plantas estavam cobertas com proteção de palha, algo muito comum na Coréia do Sul, imagino que deve ser muito bacana no verão. Ao longo do parque tem alguns pequenos cafés e pontos de onde temos uma visão bacana da cidade. Um passeio gostoso a pé, por onde passavam carros até a pouco tempo.

Parque sobre a cidade

Piano no Seoullo 7017 Skypark


Zona desmilitarizada com a Coréia do Norte

Se você estiver passando por Seul e tem interesse em dar uma espiadinha no país de Kim Jong-un, pode comprar um pacote de um dia de passeio até a fronteira entre a Coréia do Sul e a Coréia do Norte.

Normalmente os passeios saem cedinho de Seul e voltam no fim do dia. Mesmo a fronteira sendo relativamente perto da capital sul-coreana – aproximadamente 2 horas de viagem – a zona desmilitarizada é imensa. Os lugares mais visitados são os pontos de observação, de onde o visitante consegue ter uma boa visão do outro lado da fronteira, pequenos vilarejos e um túnel que foi construído nos anos 70 para os norte coreanos espionarem os vizinhos do sul.

Leia o post completo aqui

A ponte que une os dois países, mas não é possível chegar do outro lado

fronteira entre a Coréia do Sul

Zona desmilitarizada


Mais imagens


Panorama urbano de Seul

Centro de Seul

Seul

Avenida de Seul

Vista do Monte Namsan

Dongdaemun Design Plaza

Museu Nacional do Folclore da Coréia

Museu Nacional do Folclore da Coréia

Museu Nacional do Folclore da Coréia

Aspecto urbano de Seul

Palácios de Seul

Detalhe do assento preferencial do metrô


Planejando a sua viagem


calendario

Quando ir

Em qualquer época do ano. Os verões são quentes e chuvosos, as vezes podem acontecer os tufões.  Já o inverno a temperatura fica abaixo de zero e pode nevar com frequência. 

 

carro

Como chegar

Não existem voos diretos do Brasil até Seul. As melhores opções são via Dubai com a Emirates ou Doha com a Qatar. Existem voos de São Paulo para Pequim com escala e Madri com a Air China. Depois é preciso pegar mais um voo até Seul. 

 

icon1

Imigração e visto

Tudo o que você precisa saber para chegar em Seul: Visto, imigração, e transporte do aeroporto até a cidade. (clique aqui).

 

icon2

Que moeda levar

A moeda oficial é a Won, e somente ele é aceito. A melhor opção é lavar dólares e trocar em Seul. No câmbio de janeiro de 2019, 1 Real vale 297 Wons.

 

icon3

Como se locomover

Seul tem uma rede gigante de metrô e essa é a melhor forma de andar pela cidade. Mas também a gente consegue fazer muitos passeios a fazer a pé. Veja aqui como usar o metrô de Seul

 

icon4

Onde se hospedar

Eu escrevi um post super completo com todas as dicas de onde ficar em Seul para facilitar os passeios e a mobilidade. Veja o post completo aqui.

 

 


Reserve os seus passeios em Seul



Onde se hospedar em Seul


Confira o nosso post com todas as dicas de hospedagem em Seul. O Vou na Janela é parceiro do Booking.com e reservando um hotel aqui, você ajuda a manter o blog e não paga nada a mais por isso. =)

Veja aqui o nosso post sobre hospedagem em Seul



Booking.com


Resolva aqui a sua viagem


Reserve a sua hospedagem pelo Booking.com

Faça aqui o seu seguro viagem internacional

Compre aqui os ingressos para os seus passeios

Consultoria de viagens e roteiros personalizados

Ebooks e guias para download


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.