Como usar o metrô de Seul, na Coréia do Sul (Guia básico)

Como usar o metrô de Seul

Preciso confessar para vocês que usar o metrô de Seul nos meus primeiros dias a cidade meu deu um pequeno nó na cabeça, eram tantas linhas, estações, conexões que eu me perdi umas 3 vezes. Nem o metrô de Moscou me deu um baile como o de Seul. Mas calma, no fim, a gente consegue se virar.

Falando um pouco sobre a rede metroviária de Seul, são ao todo 22 linhas (isso mesmo!) e mais de 700 estações, cobrindo toda a cidade, região metropolitana e os aeroportos. Transportando uma média de 2 bilhões de pessoas por ano, é o mais importante meio de transporte em Seul, tanto para moradores quanto para os visitantes. Por isso, ele será definitivamente o seu principal meio de transporte na cidade.


Como usar o metrô de Seul


A minha primeira dica é baixar o aplicativo oficial do metrô de Seul no seu celular, chamado Subway Korea,  ele existe para iOS e Android. O aplicativo é simples de usar, com ele você tem acesso ao mapa atualizado da rede, consegue localizar as estações e simular viagens de forma muito simples. O app diz quais linhas pegar e onde fazer as conexões. Certamente ele será o seu melhor amigo em Seul.

Como usar o metrô de Seul: Aplicativo Subway Korea


Comprando o bilhete

O bilhete único do metrô de Seul é o T-Money e ele vai além do metrô, pode ser usado até para fazer compras em alguns estabelecimentos credenciados, além de ser usado nos ônibus. O T-Money é um cartão recarregável que pode ser comprado em lojas de conveniência ou nas máquinas de vendas nas estações.

Máquinas que vendem os bilhetes

Mas se você não quiser comprar o T-Money, pode comprar o bilhete avulso. Como a tarifa do metrô de Seul é calculada de acordo com o trecho percorrido, você precisa selecionar a estação de origem e a de destino na hora de comprar o bilhete. O que pode ser um pouco confuso considerando que há mais de 700 estações.

A máquina vai te cobrar 500 Wons pelo cartão, que você pode recuperar no fim da viagem, existem algumas máquinas de devolução dos cartões. Apesar de Seul ser uma das cidades mais caras do mundo, o metrô de Seul é barato, uma viagem pelo centro vai custar em média 1.250 Wons, o que dá uns 4 reais. O pagamento pode ser feito em moedas, notas e com cartão de crédito.

Como usar o metrô de Seul: Máquinas de devolução dos bilhetes

Vale dizer que a tarifa para usuários do T-Money é um pouco mais baixa em relação ao bilhete avulso, em média 150 Wons, aproximadamente 50 centavos de real.


Nas estações

As estações do metrô de Seul são bem sinalizadas e são imensas. Às vezes andamos quilômetros lá dentro, subindo e descendo escadas, e na maioria das linhas e estações mais antigas não tem escadas rolante e elevadores. E se perder lá dentro é muito fácil e como é sempre muito cheio, a gente pode se perder mais fácil ainda. Por tanto, tenha paciência.

Como usar o metrô de Seul: Mapa da rede

Nas catracas precisamos passar o cartão nos leitores tanto para entrar, quanto para sair das estações. Quem estiver usando o T-Money, na entrada da estação o sistema debita o valor mínimo dos créditos do cartão e no fim da viagem, ele calcula o valor final a ser debitado. O T-Money é muito prático pois a gente ganha muito tempo usando ele, só ficar atento ao saldo do cartão.

Como usar o metrô de Seul: Plataforma de embarque

Os vagões são espaçosos, muitos tem ar condicionado ou aquecedor, em várias linhas os trens tem bancos aquecidos, o que é muito bom no inverno rigoroso da Coréia. E depois de embarcar é só ficar atento ao mapa para desembarcar na estação correta. Mas tome bastante cuidado pois os nomes das estações são impronunciáveis e tem muitas estações com nomes parecidos, isso fez com que eu me perdesse umas duas vezes.

Como usar o metrô de Seul: Vagões no horário do rush

Linha do aeroporto

Detalhe do assento preferencial

As saídas das estações são numeradas e todo mundo se localiza por esses números. Todos os lugares de interesse perto das estações já incluem em seus endereços o número da saída mais próxima, é muito prático.

Bom pessoal, espero ter ajudado. O metrô de Seul pode assustar no começo, mas depois a gente consegue se virar bem.

***


Confira o nosso post com todas as dicas de hospedagem em Seul. O Vou na Janela é parceiro do Booking.com e reservando um hotel aqui, você ajuda a manter o blog e não paga nada a mais por isso. =)

Eu fiquei no Loisir Hotel Seoul Myeongdong, era perto de tudo e tinha um quarto com tamanho bom para os padrões locais. Além de ser tudo bem confortável, com uma ótima cama, ar condicionado e aquecedor. Achei bacana que o piso era aquecido, o que foi sensacional pois fazia -9 graus quando eu estive em Seul.

Um amigo meu estava no Hotel MIDO Myeongdong, um hotel menor mas com uma localização perfeita. Eu fui no MIDO e achei o hotel limpo, bem organizado e o dono era muito simpático.

Em Gangnam e recomendo o Hotel La Casa, que como diz o nome, tem um conceito de casa. Um ambiente menos impessoal, menos com cara de hotel, tudo lindo.

Outra região muito procurada é Mapo-Gu, é a área com mais hotéis em Seul e não fica distante dos principais palácios da cidade, também pode ser uma boa opção de hospedagem. Veja a lista de hotéis em Mapo-Gu aqui

Por fim, Itaewon é uma das áreas mais bacanas de Seul, talvez o bairro mais “internacional” da cidade, pela enorme quantidade de bares e restaurantes de culinária mundial. Bateu uma saudade da comida brasileira? Lá você encontra. Veja a lista de hotéis em Itaewon aqui


Dicas gerais para visitar a Coréia do Sul
Chegando em Seul: visto, imigração e transporte
Veja aqui como obter o visto para mais de 90 dias
Onde ficar em Seul, dicas de hospedagem
Como usar o metrô de Seul
Dica de chip de celular na Coréia do Sul


O que fazer em Seul
Como visitar os palácios reais de Seul
Como visitar a fronteira entre as Coréias










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.

mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Responder janeiro 18, 2020

    Daniella Alve

    Olá Fabrício, estou indo fazer turismo na Coreia em março de 2020, vc saberia me responder se o T-Money serveria para pegar um ônibus ou trem de Busan para Seul, e que chegaremos por Busan. Obrigada pelas dicas estou aproveitando bastante.

    • mm
      Responder janeiro 18, 2020

      Fabricio Moura

      Oi Danielle, tudo bem? Infelizmente eu não sei te responder.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.