Como é passar pela imigração nos Estados Unidos em Seattle

Imigração nos Estados Unidos

Recentemente eu passei pela imigração nos Estados Unidos em Seattle e vou contar aqui para vocês como foi a minha experiência naquele aeroporto em um voo vindo de Seul, na Coréia do Sul.

***

Provavelmente você sabe que brasileiros precisam de visto para entrar nos Estados Unidos, não é mesmo? Eu já contei aqui como eu tirei o visto e foi super rápido e fácil, recomendo a leitura.

Muito antes de passar pela imigração nos Estados Unidos, ainda no check-in para o meu voo eu já tive que mostrar para a funcionária da companhia aérea o meu visto, passagem de retorno para o Brasil e comprovante de hospedagem. No meu boarding pass já saiu a informação “Docs OK”. Não sei se foi por isso, mas eu não precisei passar pelo segundo procedimento de revista e raio-x antes de entrar no avião.

Eu estava vindo de Seul na Coréia do Sul em um voo direto para Seattle e chegamos justamente na hora em que a maioria dos voos vindos da Ásia chegam em Seattle. Com isso, a imigração que já é bem pequena, estava abarrotada de gente. Meu Deus, parecia que a fila não ia acabar nunca.

Chegando na área dos balcões, eu segui para a fila de “Non-U.S. Citizens with VISA”. Existe também filas para cidadãos americanos, canadenses ou residentes. O que não era o meu caso.

Antes de seguir para a imigração, é preciso preencher o formulário 6059B da alfândega (Customs Declaration), e tinha opções em vários idiomas, inclusive em português. Normalmente o formulário da imigração já é distribuído no avião, mas não foi o caso. 

Em vários aeroportos o formulário foi substituído por um tótem que faz o serviço. Basta inserir o seu passaporte na página do visto e seguir as orientações. O sistema também está disponível em português.

Segui para a fila e lá eu fiquei por quase duas horas. A imigração nos Estados Unidos é conhecida por ser longa e demorada, mas ficar quase duas horas na fila é muito puxado. Muitos aeroportos do mundo tem fast-tracks para passageiros voando em classe executiva, mas não é o caso de Seattle.

Quando finalmente fui chamado, o oficial de imigração fez as perguntas de praxe. Motivo da viagem, tempo de permanência, profissão… olhou os meus dois passaportes calmamente, meu visto americano está no passaporte antigo. 

Colheu as minhas digitais em uma máquina e tirou uma foto. Ele achou curioso alguns carimbos, perguntou o que eu ia fazer em Seattle, deu dicas da cidade e por fim, me liberou.

Depois eu fui pegar a minha mala, entreguei o Customs Declaration na fila do Nothing to Declare , malas no raio-x e pronto! Mas eu vi muita gente passando por uma revista, inclusive muitos chineses com alimentos nas malas. É proibido entrar nos EUA com produtos de animal ou vegetal e o cara tinha carne de porco! Como pode?

Apesar da demora, a imigração nos Estados Unidos foi super simples e tranquila.


Dicas para passar pela imigração nos Estados Unidos


As dicas que eu te dou para passar pela imigração nos Estados Unidos são as mesmas da maioria dos lugares. Além do visto, tenha em mãos o comprovante de hospedagem, passagem de retorno e comprovante financeiro, que pode ser dinheiro e cartões de crédito.

Sempre responda as perguntas precisamente. Não é a hora de ter dúvidas ou bater papo com o oficial da imigração para treinar o seu inglês. 

E se você não fala inglês, alguns aeroportos dispõem de intérpretes que falam português e espanhol. Pergunte sobre essa possibilidade.

Na fila, nunca ultrapasse a faixa amarela que separa a fila dos balcões e só se dirija aos balcões quando for chamado.No geral, tenha calma pois é um procedimento simples!


Onde ficar em Seattle


Veja aqui o meu post com dicas de onde ficar em Seattle.

Ou confira as opções de acomodação na caixa abaixo:



Booking.com


Reserve aqui os seus passeios em Seattle


Compre aqui seus passeios em Seattle, ganhe tempo e evite filas.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.