10 dicas de Londres para iniciantes

Dicas de Londres

Londres é uma das cidades mais procuradas aqui no blog e um dos lugares que eu mais amo no mundo e se você pretende visitar a cidade pela primeira vez, essas dicas de Londres serão bem úteis para você entender o basicão da capital britânica.

Chegada e imigração
Londres é servida por nada menos que 5 aeroportos: Heathrow, Gatwick, Stansted, Luton e London City. Se você vem do Brasil, chegará por Heathrow. Se vem de algum outro país europeu, pode chegar em Gatwick ou se vier de low-cost (Ryanair ou Easyjet) chegará por Stansted ou Luton. London City é mais focados em vôos executivos, por ficar dentro da cidade.

Heathrow é servido por 3 estações do metrô da linha Picadilly (azul escura), Gatwick tem uma linha de trem e nos outros aeroportos só de ônibus ou taxi, que são caríssimos.

Outra forma de chegar é vindo de Paris ou Bruxelas pelo Eurostar, o trem que passa pelo túnel sob o Canal da Mancha e desembarca na estação Kings Cross.

Brasileiro não precisa de visto para entrar no Reino Unido, mas como o país não faz parte do tratado Schengen, se você vem de algum país europeu, terá que fazer a imigração novamente.


Metrô
Em Londres, o metrô é chamado carinhosamente de “Tube”, então, se você precisar pedir informações sobre onde fica a estação mais próxima, nunca pergunte pelo “underground” ou “subway” mais próximo, eles vão te indicar um restaurante assim.

A rede metroviária de Londres é gigantesca, mas bem mais simples de usar do que a de Berlim por exemplo e é dividida em zonas, 6 no total e o preço e pago por zona. Onde a sexta é a mais afastada (onde fica o aeroporto de Heathrow) e as zonas 1 e 2 as mais centrais. Praticamente noventa por cento das atrações turísticas ficam nessas regiões.

O bilhete único deles é o Oyster Card, adquirir um desses só é economicamente vantajoso se você vai ficar mais de 10 dias na cidade e usar o metrô mais de três vezes por dia. Caso contrário, vale adquirir o Travelcard e ao usar o metrô, nunca se esqueça de passar o bilhete ou cartão nas catracas ao entrar e ao sair das estações. E nunca, mas nunca deixe para procurar o seu bilhete quando estiver na catraca, atrapalhando a fila.

Para planejar uma viagem, você pode simular o trajeto no site do London Transportation, também recomendo que pegue um mapinha da rede disponível em todas as estações.


Hospedagem e café da manhã
Se hospedar nas zonas 1 e 2 é extremamente caro, você vai pagar facilmente 70 libras no hotel mais barato que encontrar e os hostels dessa região também tem preço bem salgado. Os hotéis da região 3 tem quase a metade do preço, claro, você vai gastar com metrô que também é um dos mais caros do mundo, mas dependendo da tarifa do hotel, compensa muito. Regra número 1: sempre procure hospedagem próxima a alguma estação de trem ou metrô.

Prepare o estômago para o café da manhã, você vai ver muito bacon, ovos fritos, linguiça e feijão no café da manhã. Custei para me acostumar, nos primeiros dias eu comia no Starbucks do lado do hotel.


Pode tomar água da toneira
Se você pedir um copo d’água em algum pub ou na casa de alguém, eles te servirão água da torneira. Mas calma, não é nenhuma grosseria e a água não é ruim, é absolutamente comum em Londres beber água da torneira. Num restaurante, quando pedir água, o garçom pode te perguntar: “Tap water (da torneira), still (sem gás) or sparkling (com gás)?”. É incrivelmente mais barato e falando em Londres, uma das cidades mais caras do mundo, qualquer libra economizada conta muito.


No Pub
Amantes de uma boa cerveja não podem deixar de visitar os centenários pubs londrinos e sempre pague seu pedido no balcão, na hora de pedir. Nos pubs funciona assim, é um esquema “anti-calote” dos britânicos para evitar que os bêbados mais espertinhos saiam sem pagar. Em alguns pubs você pode abrir uma “tab” uma espécie de comanda que já fica com o número do seu cartão de crédito registrado como garantia e vai somando a medida que você faz seus pedidos no caixa e antes de ir embora você confirma o consumo e paga a conta.


Vai comer aqui ou levar?
Sabia que muitos lugares cobram uma taxa para quem decide consumir o seu café, seu lanche ou o que seja no lugar? No Starbucks, Nero, Costa Cafe, ou Pret a Manger vai ser bem comum você ouvir a pergunta “Eat in or take away?”. A menos que você faça questão de curtir seu café numa das poltronas do Starbucks e usar a internet deles, você pode fazer como os britânicos e pegar o se café e ir para uma praça próxima.


Mercadinhos
Use e absuse dos mercadinhos, os preços são ótimos e alguns vendem pequenas refeições prontas e fresquinhas bem mais em conta do que nos restaurantes. Os Tescos ou Food & Wine são ótimas opções. Nesses Food & Wine a gente encontra um pouco de tudo, desde souvenirs pela metade do preço dos praticados em lugares mais turísticos até comida indiana.

Nesses lugares, praticamente todos os funcionários são indianos ou paquistaneses, logicamente que o inglês deles é um pouco carregado de sotaque e as vezes um pouco difícil de entender, então, tenha um pouquinho de paciência com eles.


Atenção ao atravessar a rua
Pode parecer óbvio, mas quando chegamos em Londres sempre olhamos o lado errado antes de atravessar e na minha primeira visita eu quase fui atropelado ao sair do metrô quando vinha do aeroporto. A mão inglesa é inversa a nossa e logicamente que os carros trafegam no lado oposto da rua.

Também vale ter muita atenção com as ciclovias, os caras passam voando baixo e elas cortam Londres de ponta a ponta e possuem sua sinalização própria.


Pôr do sol e nascer do sol
No fim do outono e inverno, anoitece incrivelmente cedo em Londres e se o tempo estiver fechado (o que é bem comum), escurece mais cedo ainda. É bem comum às 16h já estar escuro e o dia não vai clarear antes das 8h da manhã.

Já no verão acontece o contrário, anoitece bem mais tarde, por volta das 21h e amanhece bem mais cedo, umas 6h da manhã.  Então, tendo essa informação em mente, você vai ajustar o seu roteiro para os horários que mais favorecem.


O que não pode faltar na mala
Londres chove muito e você está careca de saber disso, mas não ocupe espaço na mala levando guarda-chuvas, você pode comprar um por 3 libras em qualquer banca de jornais, por outro lado, leve uma capa de chuva e calçados impermeáveis. Também leve um adaptador de tomada, a tomada deles é bem diferente da nossa, eles são vendidos por 10 libras nos hotéis ou banca de jornais, aqui no Brasil eu encontrei um adaptador universal por 20 reais no Mercado Livre.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar