Belém, Lisboa: Como chegar e o que fazer?

Belém

Que a história do Brasil está diretamente ligada a Portugal foi uma das primeiras coisas que te ensinaram na escola. Mas esse cordão umbilical entre o Brasil e a terrinha nos conecta a um lugar em especial: Belém. Hoje o bairro é mais famoso pelos monumentos que são patrimônio histórico da humanidade e pelos maravilhosos pastéis de Belém, mas foi de lá que os mestres navegadores, incluindo Pedro Alvares Cabral, que zarpou em 1500 com destino as índias e acabou descobrindo o Brasil.


Como chegar em Belém?


Belém fica afastada 7 quilômetros do centro de Lisboa e para chegar até lá, as melhores maneiras são: bonde, em Lisboa chamados de “electricos” ou ônibus, já que o metrô não chega até aquela parte da cidade.

Os Electricos de Lisboa

Os Electricos de Lisboa

O Eléctrico 15E sai da Praça da Figueira no centro e te deixa ao lado do Mosteiros dos Jerônimos em Belém. Os bilhetes integrados do metrô, Lisboa Viva ou Lisboa Card são válidos para a viagem, basta fazer a validação na maquininha amarela. Você também pode comprar o bilhete avulso por 2.65 euros da Praça da Figueira até a parada do Largo da Princesa, que em Portugal são chamadas de “paragens”. Essa linha é feita por bondes mais novos, tipo um metrô de superfície, mas também pelos mais antigos. Escolha o que mais agrada.

Dá para pegar ambos os transportes também nos pontos da Praça do Comércio e também em frente a estação de metrô Cais do Sodré, ônibus 704 ou 728.

Leia mais:
Como usar o transporte público de Lisboa

Outra maneira de ir até lá é comprando um citytour da Yellowbus e aproveitar para fazer uma longa parada em Belém. Os ônibus também saem da Praça da Figueira são no esquema Hop-On / Hop-Off, onde você pode ir descendo ao longo da rota.


O que fazer em Belém?


Chegue cedo e comece seu passei pelo monumental Mosteiro dos Jerónimos, que ao lado da Torre de Belém são Patrimônios Mundiais da Humanidade. O Mosteiro começou a ser construído em 1496 para comemorar as descobertas de Vasco da Gama e o que mais chama a nossa atenção é que ele foi todo esculpido a mão e cada uma das colunas, arcos, torres são diferentes. Todos os adornos são únicos, chega a ser surreal. É um lugar onde podemos passar horas observando cada um dos mínimos detalhes. A entrada custa 10 euros.

Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos

Foco nos detalhes

Foco nos detalhes

Depois do Mosteiro, uma parada para o almoço e o que não faltam por Belém são bons restaurantes. O Restaurante Dina fica pertinho, num calçadão de pedestres super agradável. Peça pelo Bacalhau com Natas e tome uma bela cerveja gelada Sagres, de preferência.

Os famosos Pastéis de Belém

Os famosos Pastéis de Belém

Depois do almoço, um dos momentos mais esperados do dia: os pastéis de Belém! A história conta que o doce surgiu em meados do século XIX quando os clérigos do mosteiro vendiam uns docinhos feitos de ovos para os visitantes. A receita era muito bem guardada e continua sendo.

A Pastelaria de Belém existe no mesmo lugar desde 1837 é a dona absoluta desse segredo. Reza a lenda que somente 3 pessoas no mundo sabem a receita, e todas elas trabalham na pastelaria e assinam um termo de confidencialidade para garantir que a receita original nunca saia de dentro daquelas paredes adornadas de azulejos azuis.

Não se assuste com a fila, ela costuma ser grande, mas o pessoal é super ágil no atendimento. Eles chegam a vender 20 mil pastéis por dia.

Jardins de Belém

Jardins de Belém

Depois de ingerir tantas calorias maravilhosas, é hora de bater perna. Passe pelos Jardins de Belém e pelo Jardim da Praça do Império, em frente ao Mosteiro dos Jerónimos. Atravesse a Avenida Brasília (olha como tem Brasil em toda parte) e chegue ao Padrão dos Descobrimentos. O monumento marca o exato lugar de onde em 1500, Pedro Alvares Cabral partiu com suas caravelas e descobriu o Brasil.

lisboa10

Detalhe do Padrão dos Descobrimentos

Cabral saiu daqui

Cabral saiu daqui

Dá para subir no topo do Padrão dos Descobrimentos e apreciar uma vista incrível de Belém.

Leia mais:
Meus 10 lugares favoritos para ver Lisboa de cima

Dali você já conseguirá ver de longe a Torre de Belém, siga pelo calçadão a beira do Rio Tejo, passe pelo Museu de Arte Popular no meio do caminho, contorne a Doca do Bom Sucesso e chegue à Torre de Belém. Ela foi construída entre 1514 e 1519 para proteger a entrada do Rio Tejo de forças inimigas.

A Torre de Belém

A Torre de Belém

Para visitar a torre, você pode comprar o bilhete compartilhado com o Mosteiro dos Jerónimos por 12 euros, ou pagar 4 euros pela entrada só da Torre. Aos domingos a entrada é gratuita até as 14 horas.

Caso você tenha mais tempo, vale a pena visitar o Centro Cultural Belém, o Museu Nacional de Arqueologia e o Museu Nacional dos Coches, que tem um dos maiores acervos de carruagens do mundo.

Parece uma raia gigante avançando contra o rio

Parece uma raia gigante avançando contra o rio

Em 2016 foi inaugurado em Belém o MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, o prédio é absolutamente lindo, mas até março de 2017 ele estará apenas com uma sala aberta, porém, com entrada gratuita. Se você for a Lisboa antes de março, vale visitar o MAAT para se apaixonar pela linda arquitetura do prédio e também para subir no mirante, que é sensacional.

Leia mais:
Lisboa na rota dos museus de arte moderna com o novo MAAT

Belém é um lugar único. É bem diferente do frenesi do centro de Lisboa e um lugar que está diretamente ligado as nossas raízes. É impossível ir a Portugal sem visitar Belém.


Guia de Lisboa para download


Aproveite para baixar a versão em PDF do Guia de Lisboa, para ler no tablet, celular ou computador quando quiser.

O guia para download

O guia para download


Procurando hospedagem em Lisboa?


Olha a nossa lista de sugestões no Booking.com:



Booking.com

Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Veja a lista completa de hotéis aqui:  Clique aqui


Leia mais
Todos os posts sobre Lisboa


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar