A Montanha Arco-Íris está fechada: conheça as Montanhas Palcoyo

Se você pretende visitar a Montanha Arco-Íris do Peru, também conhecida como Montanha das 7 Cores ou Rainbow Mountain, eu tenho uma boa e uma má notícia para você. A má notícia é que por conta de disputas territoriais, a Rainbow Mountain está fechada para visitantes por tempo indeterminado. E a boa notícia é que o Peru recentemente abriu a visitação às Montanhas Palcoyo, uma ótima alternativa.

***

Eu estive recentemente no Peru e certamente visitar as Montanha Arco-Íris estava nos meus planos. Contudo, dias antes da viagem soube que as montanhas Vinicuca – nome oficial do lugar – estavam fechadas por conta de uma treta entre as comunidades locais e os donos de algumas terras próximas.

E com toda certeza as agências de turismo de Cusco não poderiam ficar sem uma alternativa a uma das suas principais atrações. Aí entra em cena as Montanhas Palcoyo. Estas montanhas foram descobertas por volta de 2017 com o degelo dos picos nevados de 4.900 metros daquela região. Mas enquanto a Vinicuca vivia o seu apogeu, as Montanhas Palcoyo ficaram lá, bem isoladas no meio do nada.

Leia mais:
Montanhas Palcoyo (nova Rainbow Mountain)
Como visitar a Laguna de Humantay
Veja aqui o passo a passo para visitar Machu Picchu
Regras para visitar o Peru em 2022
Onde se hospedar em Cusco e Machu Picchu
Como funciona o trem de Cusco a Machu Picchu

Vídeos:
Confiram os vídeos do Peru no nosso canal no YouTube

Montanha Arco-Íris do Peru
Vale das Montanhas Palcoyo

Como o fechamento da Montanha Arco-Íris, os peruanos trataram de abrir estradas melhores e criar uma estrutura básica para levar os turistas até as Montanhas Palcoyo. Confesso que eu estava bem desanimado, até que quando pisei naquele lugar, minha opinião mudou completamente.


Diferenças entre as Montanha Arco-Íris e a Palcoyo


A Vinicuca tem uma altura de 5.200 metros acima do nível do mar, é maior que a Palcoyo e mais colorida. Mas é só uma montanha em meio a vales áridos e meio sem graça. Entretanto, a região das Montanhas Palcoyo compreendem 3 montanhas coloridas e um imenso vale com montanhas em vários tons diferentes. Além disso, nas Palcoyo podemos chegar a um vale de pedras a uma altitude de 5 mil metros acima do nível do mar.

Montanhas Palcoyo

Chegar nas Montanhas Palcoyo também é mais fácil que na Vinicunca. Nesta, era necessário uma viagem de 1h30 de carro + uma caminhada de 3 horas montanha acima até chegar nas montanhas. Já na Palcoyo o trecho de estrada é maior, são 4 horas de viagem (2 horas em vias pavimentadas e mais 2 horas de estrada de terra montanha acima) e mais 1 hora de caminhada relativamente leve até o topo da montanha. Mas na chegada já conseguimos avistar o belo vale e as montanhas coloridas de Palcoyo.


Como visitar as Montanhas Palcoyo


Eu comprei o tour em uma das várias agências que funcionam no centro de Cusco. Mas você pode reservar o seu passeio com toda comodidade aqui.

O tour inclui café da manhã e almoço na volta do tour. Além, claro, de um guia que acompanha o grupo até o fim do passeio. E ter o guia junto é fundamental pois algumas pessoas podem se sentir mal por conta da altitude, além de ser um lugar com os seus perigos.

A van passou no nosso hotel por volta das 4 horas da manhã – sim, estes passeios saem bem cedo de Cusco –  e depois de 2 horas de estrada, paramos em um restaurante local para o café da manhã.

Chegada nas montanhas

Depois foram mais duas horas de estrada de terra montanha acima. Podem imaginar o pula-pula dentro da van? Recomendo a quem sente enjoos nestas situações tomar um remedinho antes de embarcar.

Chegamos no estacionamento de vans por volta das 9h da manhã e para a nossa imensa e grata surpresa, tinha nevado bastante durante a noite e madrugada, deixando o visual ainda mais bonito.


A subida pelas Montanhas Palcoyo

Depois de algumas orientações da guia que nos acompanhava, começamos a subida. Já no começo avistamos a primeira montanha arco-íris da Palcoyo que estava ainda mais linda com aquela neve.

Uma das mais belas imagens que eu já vi

O que explica a coloração destas montanhas é uma combinação de diferentes solos e a reação de minerais presentes na terra. As cores variam entre o branco, vermelho, rosa, lilás, verde, mostarda e marrom.

Ao longo da subida passamos por alguns mirantes, ótimos para fotos e também para tomar um fôlego extra. Lembrando que estamos a quase 5 mil metros acima do nível do mar e o soroche – o mal da altitude – pega pesado com quem não está acostumado.

Montanhas Palcoyo

Mas apesar de toda a falta de ar e dor de cabeça, o visual e sobretudo a experiência de estar neste lugar incrível compensam tudo.

A neve deixou tudo ainda mais bonito

Após este ponto, subir até o Bosque de Pedras é opcional e muitos visitantes retornam para a van. Eu subi e valeu muito a pena! Apesar de ser uma subidinha bem puxada, a vista lá de cima é linda e as pedras – resultado de uma erupção vulcânica há milhares de anos – criam um cenário único no meio do vale das Montanhas Palcoyo.

Bosque de Pedras
Lhamas e Alpacas

Visitar as Montanhas Palcoyo foi uma imensa surpresa, pois como disse anteriormente, estava bem desanimado com o fechamento da Vinicuca. E hoje, se pudesse escolher entre as duas, certamente eu voltaria nas Montanhas Palcoyo.

Dicas para visitar

  • Contrate uma agência para fazer o passeio. Ter a assistência de um guia faz toda diferença. Você pode reservar o seu passeio com toda comodidade aqui.
  • Use roupas confortáveis e quentes, faz bastante frio lá em cima em qualquer época do ano. Use calçados adequados, nada de chinelos ou sandálias.
  • Leve água e algo para comer. Balinhas de folhas de coca ajudam a combater o mal da altitude.
  • Não esqueça o filtro solar, tanto o sol quanto o vento gelado queimam a pele.
  • Respeite os limites do seu corpo, se perceber que não dá mais, pare e peça ajuda. Se você tiver um smartwatch, fique atento aos batimentos cardíacos e a sua oxigenação. A minha chegou a 67% e os batimentos em mais de 180 por minuto.
  • Tenha muito cuidado na trilha, os tombos são praticamente inevitáveis.

***










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.

mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.