Como é passar pela imigração italiana no aeroporto de Roma

Como é passar pela imigração italiana

Eu estava viajando de São Paulo para Paris com a Alitalia, e como os procedimentos imigratórios para quem viaja para a Europa continental (países Schengen) são feitos no primeiro aeroporto de chegada, eu tive que passar pela imigração italiana em Roma.

Eu já tinha lido relatos de que a imigração em Roma pode ser pesada, mas também li que eles são mais rigorosos quando você diz que vai ficar em Roma. De qualquer forma, nesses anos viajando tanto, eu deixei de ter medo de imigração. Estando com tudo certinho, não tem razão pra ter medo.

Antes de entrar no assunto, vale dizer também que o Aeroporto de Roma tem 4 terminais (T1, T2, T3 e T5). Todos os voos operados pela Alitalia chegam e partem do Terminal 1, assim como os voos das companhias parceiras e da aliança Skyteam.


Como é passar pela imigração italiana


Logo após sair do avião, seguimos por longos corredores e aqui veio a primeira surpresa: o aeroporto Leonardo da Vinci–Fiumicino em Roma é lindo e enorme. Por conta disso, se você tiver uma conexão com curto tempo, vale acelerar o passo. Inclusive na volta, nosso voo saiu de uma área que para acessar é preciso pegar o trem interno do aeroporto (Sky-train) e por isso chegar até o portão é praticamente uma viagem.

Em um ponto do aeroporto nós passamos pelo raio-x e logo após existe uma divisão: quem segue reto vai fazer a imigração e desembarcar em Roma. Se este for o seu caso, siga em frente e logo após o setor de imigração fica a restituição de bagagens.

Como é passar pela imigração italiana em Roma

Se você for fazer uma conexão para outro destino dentro da Europa, vire a direita e siga as placas “transiti / connections”. Você vai cair na enorme sala de embarque do Fiumicino, cheia de lojas de marcas carésimas e restaurantes.

Vale dar uma paradinha nesse ponto para ver o portão do qual sairá o seu voo, Terminal 1 do aeroporto de Roma tem áreas separadas por letras (B, C, D e E). Meu voo chegou no setor E e o voo para Paris partiria do setor B. Ou seja, tive que atravessar todo o terminal.

Segui para o setor B, lá existe um ponto onde é feia a imigração. Estava bem vazio, pois não era o setor imigratório principal do aeroporto. Tinham apenas oficiais atendendo, notei que faziam poucas perguntas e o procedimento parecia andar rápido.

Vou reproduzir aqui exatamente as perguntas que o oficial de imigração me fez:

– Você fala inglês?
– Qual o motivo da viagem?
– Já esteve na Europa antes?
– Qual seu destino final?
– Posso ver sua passagem de retorno?
– Posso ver a reserva do hotel?

Foi exatamente isso! Carimbou meu passaporte e… arrivederci!

Como eu sempre digo aqui no blog, cada caso é um caso e só para dar um exemplo, eu tinha dois amigos nesse mesmo voo e na vez deles o cara vez menos perguntas. A gente sempre precisa estar preparado e com a papelada toda na mão caso seja necessário comprovar algo.

Aqui no blog tem um post super detalhado com dicas para você passar pela imigração na Europa sem medo: clique aqui.

Depois disso eu segui o meu portão de embarque para o trecho final da minha viagem até Paris, que neste caso já é considerado um trecho doméstico, chegando em Paris é só desembarcar e pegar a mala, nada de imigração de novo.

Imagem de capa: Shutterstock


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Responder dezembro 1, 2017

    erik

    fui com minha irma para roma com escala em casablanca.na imigração em casablanca foi um porre muitas perguntas e implicaram com a minha irma.em roma estavamos com todos documentos na mão esperando o agente de imigração pedir.era um italiano muito mal humorado mas pasmem não pediu nada.e nem fez sequer uma pergunta.apenas olhou para a gente e carimbou nosso passaporte

    • mm
      Responder dezembro 1, 2017

      Fabricio Moura

      Para você ver como imigração é uma caixinha de surpresas, a gente nunca sabe o que vai acontecer.

Deixe uma resposta