O que fazer em Munique na Alemanha: roteiro de 4 dias

Munique é uma das mais belas cidades da Alemanha e um destino muito visitado por brasileiros na Europa, a capital da Baviera possui um voo direto desde São Paulo pela Lufthansa que também funciona como hub para quem tem outra cidade como destino final. Se você vai passar pela cidade, esse post tem o que eu considero essencial com o que fazer em Munique.

Chegando em Munique

Antes de entrar no roteiro, as maneiras mais comuns de chegar na cidade são de avião pelo Aeroporto Franz Josef Strauss ou de trem, na maioria das vezes pela Deutsche Bahn desembarcando na Munique Hauptbanhof, a estação central de trens que está muito bem conectada a várias linhas de linhas de trem (SBahn) e de metro com (UBahn).

Se você vai chegar pelo aeroporto, vale ler esse post:
Chegando em Munique: imigração, conexão e transporte


O que fazer em Munique


Dia 1

A melhor maneira de começar um roteiro por Munique é indo direto ao que a cidade tem de melhor, o Palácio Residenz e ao lado dele a Mariemplatz.  O metrô chega na porta, pela estação Ostbahnof.  

O Palácio Residez de Munique, é um dos maiores palácios da Europa. A entrada custa 7 euros. A foto abaixo é de um dos primeiros salões que a gente passa no começo do tour, é o Antiquarium. São 67 metros de comprimento com coleção de bustos e esculturas clássicas e renascentistas.

Palácio Residez

O que fazer em Munique: Palácio Residez

Do lado de fora do Palácio fica um jardim lindo, no meio dele fica o Templo de Diana, lá dentro alguns músicos sempre ficam tocando música clássica e não pagamos nada para entrar. O passeio pelo Residez demora de 2h a 3h, depende do ritmo de cada um, mas vá com calma, é realmente um lugar impressionante.

Templo de Diana

Templo de Diana

Depois do Residenz, siga até a Marienplatz, o principal cartão postal de Munique. Na torre da prefeitura tem um carrossel de figuras que dançam ao badalar dos sinos 3 vezes por dia, às 11hs, 12hs e às 17hs e vira uma grande atração turística.

Não deixe de explorar as igrejas ao redor da Marienplatz, principalmente a Igreja de S.Pedro, ou St. Peterskirche, ela é a mais antiga igreja paroquial de Munique e o ponto de origem de toda a cidade. Se tiver fôlego, suba até a torre e tenha uma vista incrível de Munique.

Marienplatz

O que fazer em Munique: Marienplatz

Uma boa dica também é subir de elevador na torre da Neues Rathaus, a sede mais nova da prefeitura de Munique e o prédio mais imponente da Marienplatz e curtir a bela vista da cidade, especialmente em um dia de sol.

Também não deixe de visitar o prédio da Altes Rathaus, a antiga Prefeitura, que fica do lado direito. O local foi destruído pelo fogo em 1460, reconstruído no estilo gótico entre 1470 e 1480, e completamente destruído novamente durante a Segunda Guerra Mundial. Hoje lá dentro funciona o Museu dos Brinquedos.

Munique de cima

Munique de cima

No entorno da praça não faltam bons restaurantes e cervejarias, as mais tradicionais de Munique estão ali. Não faltam opções para beber uma bela Paulaner, a cerveja oficial da cidade e comer aquelas linguiças maravilhosas na Hofbrauhaus, a cervejaria mais tradicional e antiga da cidade, aberta em 1589.

Dia 2

Reserve o dia para uma visita ao Englisher Garten, o maior parque de Munique. São quilômetros de área verde no coração da cidade e é lá que a gente encontra os famosos Surfistas de Munique, um grupo que surfam nas ondas de um canal de água que cruza o parque. Lá também tem um famoso biergarten, que é um dos lugares mais procurados durante a Octoberfest. É um ótimo lugar para almoçar e… tomar uma cerveja e comer uns pretzels.

Cores do outono parte 2

O que fazer em Munique: Englisher Garten

Cores do outono

Cores do outono

Caminhos que parecem terem saído de um conto de fadas

Caminhos que parecem terem saído de um conto de fadas

Bier Garten

Bier Garten

Os surfistas de Munique

Os surfistas de Munique

Leia mais: 

O parque Englisher Garten em Munique
Já ouviu falar dos surfistas de Munique?

A tarde vale conhecer o um dos mais famosos museus da cidade é o Deutsches Museum. Com mais de 100 anos de idade, o museu apresenta um dos mais importantes acervos de história natural e de tecnologia do mundo. Para os fãs de carros e aviões antigos o museu tem um ótimo acervo desses itens. Certamente você vai passar o resto do dia no museu, que tem cafés e restaurantes para um lanche no meio da tarde.

Dia 3

No terceiro dia na cidade, vale fazer um bate volta até a cidade vizinha de Dachau para visitar o lugar onde existiu um campo de concentração nazista. Dachau foi o primeiro campo construído pelos nazistas em 1933, o acesso é bem fácil por trem. Da estação central de Munique, basta pegar o trem da linha S2 em direção a Petershausen e descer na primeira estação da cidade, a Dachau BF (Dachau Bahnhof), na frente da estação tem um ponto de ônibus de onde saem as linhas 722, 724 e 726 que passam pela entrada do Campo de Concentração.

Caminho que leva ao crematório

Caminho que leva ao crematório

Torre de vigilância

Torre de vigilância

Ao contrário do que muitas pessoas dizem, que “campo de concentração tem cheiro de morte”, não é nada disso, obviamente. É um lugar triste, que serve pra gente refletir até que ponto pode chegar a crueldade do homem. E como diz uma inscrição atrás do crematório “never forget”.

Leia mais:
Campo de concentração de Dachau na Alemanha

Mesmo sendo uma viagem curta, é um passeio que toma conta de quase todo o dia. Eu voltei para Munique por volta das 16 horas.

Dia 4

Comece o dia visitando um outro palácio que fica dentro de Munique, o Schloss Nymphenburg. Ele fica um pouco afastado das principais atrações da cidade, mas dá para chegar até perto dele de metrô e depois uma caminhadinha.

Munique

O que fazer em Munique: Schloss Nymphenburg

O palácio foi construído em estilo barroco no século 17, como um presente do príncipe da Bavária para sua amada. Desde então, o lugar passou a ser a residência de verão oficial da monarquia da Bavária. A visita ao prédio do palácio é paga, custa 11,50 euros (entre 1 de abril e 15 de outubro) ou 8,50 euros (entre 16 de outubro e 31 de março). Lá dentro encontramos um rico acervo da então monarquia alemã, com nada menos que muito ouro, jóias e objetos históricos.

Munique

Jardins do palácio

Munique

Paisagens de tirar o fôlego

Munique

Lugares para ver o tempo

Uma área verde gigantesca

Uma área verde gigantesca

Foto tradicional

Foto tradicional

Já para visitar os jardins maravilhosos não pagamos nada. Eu gostei bem mais de visitar os jardins e me perder naqueles caminhos descobrindo uma surpresa, um cenário mais bonito a cada curva.

Leia mais:
Palácio de Nymphenburg em Munique

Pela tarde, vale uma visita a Alte Pinakothek, uma das galerias de arte mais famosas do mundo, inaugurada em 1836, a galeria tem setores dedicados a arte italiana, espanhola, holandesa, francesa e claro, arte alemã. A Alte Pinakothek também recebe frequentemente exposições temporárias. A entrada custa 12 euros.

O blog Tire a bunda do sofá tem um post com alguns lugares super bacanas e que eu não visitei, como o Parque Olímpico, BWM Museum e o Frühlingfest. São dicas ótimas, vale incluir no roteiro (leia mais).

 


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

1 Comentário

  • Ótimo post Fabricio! Concordo com você que Munique é uma das cidades mais belas da Alemanha.

    Achei muito interessante os surfistas de Munique, quase não acreditei quando vi hahaha.

    Pra mim acho que a melhor parte foi visitar o Englisher Garten e tomar umas cervejas com pretzel por lá.

    Obrigado por citar o Tire a Bunda do Sofá!

Deixe uma resposta