5 coisas que você precisa saber antes de visitar Manaus

Manaus

Eu nunca tive muita vontade de conhecer Manaus e a região norte, mas por conta de uma boa oportunidade de voar no novo Airbus A350 da TAM, acabei vindo parar aqui. Manaus me surpreendeu, amei a cidade e sobretudo as pessoas. Cordialidade, gentileza e educação são só alguns adjetivos para explicar o que é o povo manauara.

Eu descobri uma cidade linda, com seus casarões coloridos e bem conservados, sua beleza natural que atrai gente de todos os cantos do mundo, comida maravilhosa e experiências únicas. Eu vi um concerto no Teatro Amazonas, nadei com botos e tive uma experiência em uma aldeia indígena. Onde mais eu poderia viver tudo isso?

Se agora você ficou com vontade de conhecer Manaus e o Amazonas, ou se já estava planejando fazer uma viagem, abaixo eu listei 5 coisas que você precisa saber antes de visitar Manaus.

 

É realmente quente
Você já deve ter ouvido falar que Manaus é quente e talvez o que eu diga aqui não seja nenhuma novidade para você a menos que nunca tenha vindo pra cá. Por mais que a gente esteja preparado para o calor, nada se compara ao que a gente sente aqui. Manaus é realmente muito quente, aquele calor que te abraça, é como uma leitora do Vou na Janela comentou no Facebook, “é como uma toalha quente e úmida no rosto”.

Você já sai do banho transpirando, sente o suor escorrer pelo rosto andando na rua e não adianta correr para a sombra, lá vai estar quente também. Ar condicionado é artigo de primeira necessidade, eu diria, vital para a sobrevivência.

 

Chove a qualquer momento
A região norte tem duas estações do ano, quando chove (o inverno) e quando não chove (o verão) e como Manaus está perto da linha do Equador, quando é verão em quase todo o Brasil, aqui em teoria é o inverno. Por conta disso, pode chover a qualquer momento, até mesmo o dia todo.

Do jeito que a chuva vem, ela também vai embora. Nos dias em que eu fiquei aqui, choveu torrencialmente todos os dias por volta das 13h. Durava uma meia hora e vinha o sol forte de novo.


O trânsito é caótico?
Antes da viagem, me disseram que o trânsito de Manaus era caótico. Se você é de São Paulo ou Rio de Janeiro, vai achar o trânsito de Manaus de boa, afinal, a gente está acostumado a centenas de quilômetros de congestionamentos sempre. Eu peguei um taxi dia desses e o taxista disse “Manaus já esta tendo até congestionamento”, juro que eu achei que era brincadeira, mas ele falava sério.

O trânsito é um pouco carregado sim, mais pela falta de largas avenidas do que pelo volume de carros.


Hospede-se no centro
A rede de transporte urbano aqui não é a mais confortável para usar, os ônibus andam bem cheios e as vezes demora um monte para passar o próximo. Por conta disso, se hospedar próximo ao Centro Histórico, no entorno do Teatro Amazonas é a melhor opção. Dá para fazer tudo a pé, sem depender de ônibus ou táxi, que também não são caros.

A região tem uma boa oferta de restaurantes, mercadinhos, farmácias e outras comodidades.

 

A comida é ótima
Manaus está no meio da bacia amazônica, por conta disso, a oferta de peixes é absurda. Comer um prato com pirarucu, tucunaré ou tambaqui é muito barato. Caro aqui é comer carne de boi ou frango. E vai tudo com farinha, é você vai gostar.

Esqueça aquele açaí que você comeu no sul ou no sudeste, o açaí daqui é o verdadeiro e completamente diferente daquela coisa que comemos. Não deixe de provar os sorvetes da Glacial, a sorveteria típica daqui com sabores de Buriti, cupuaçú, graviola, pupunha, taperebá e tucumã.

 

Tudo gira em torno do rio
É verdade que existem estradas que ligam Manaus a outras partes do país, mas as grandes estradas do norte são os rios e o frenesi das idas e vindas fica evidente no porto de Manaus. Barcos e mais barcos com passageiros indo para Belém, Santarém ou alguma pequena comunidade igarapé a dentro. Embarcações cheias de carga que vão viajar mais de uma semana rio acima para levar suprimentos para alguma comunidade esquecida ou cruzeiros de luxo que atracam diariamente no porto.

Falando em rio, o que passa por Manaus não é o Rio Amazonas, é o Rio Negro que se junta ao Solimões alguns quilômetros abaixo e juntos, formam o Rio Amazonas. O famoso “Encontro das Águas” e falando em Rio Negro, ele tem o PH ácido e por conta disso, não tem tantos mosquitos nessa região, mas nunca deixe o repelente de lado.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

7 Comentários

  • Responder fevereiro 21, 2016

    MUCIO BRETAS

    Parabens pelo post tinha outra ideia de manaus e agora estou com vontade de conhecer.

  • Responder março 3, 2016

    Marta Balieiro

    Que legal, Fabrício. Sou amazonense que mora em Manaus e, só li verdades. Bom é assim, a pessoa conhece a cidade e depois fala com propriedade, sem estereótipos. Sucesso com o Blog! e fique a vontade p/ voltar a Manaus. Abraços.

    • mm
      Responder março 3, 2016

      Fabricio Moura

      Oi Marta, tudo bem? Quero muito voltar em breve, talvez em maio.

  • Responder março 3, 2016

    Marta Balieiro

    Ah, que legal. Vou acompanhar por aqui então. Gostei muito das dicas do blog. Sucesso!

  • Responder julho 22, 2016

    Rita de Cássia Pizetti Brunello

    Manaus é um orgulho para o povo brasileiro,que cidade mais linda,as pessoas são encantadoras,a comida é deliciosa!!! o calor abraça a gente!!! o sol é diferente!! e os passeios!!??/ para mim foi uma experiência encantadora!! continue assim,Manaus sua lindaa!!!

  • Responder setembro 22, 2016

    Damasceno

    Apenas uma correção: Boa Vista é a única capital brasileira que fica no hemisfério norte.

  • Responder outubro 11, 2017

    VALÉRIA

    Oi Márcio, é isso mesmo. Manaus é muito quente. É quente no verão e quente no inverno.( chamamos de chuverno), por que chove no verão e no inverno. Mas no geral, é bom viver aqui.

    Um abraço.

Deixe uma resposta