Turismo entre conexões: quando vale a pena?

turismo entre conexões

Na hora de comprar passagens aéreas, que tipo de viajante é você? Aquele que prefere pagar um pouco mais e comprar um voo direto quando esta opção existir ou prefere economizar alguns reais e fazer uma escala muitas vezes bem demorada antes de chegar a seu destino final?

Respondendo por mim e com certeza, por muitos de nós, eu prefiro pagar menos e comprar um voo com escala. Mas ficar zanzando por horas nos aeroportos não é a melhor maneira de começar aquela tão sonhada viagem de férias, não é mesmo?

Aí você tem a ideia de sair do aeroporto para conhecer um pouco da cidade onde estará fazendo essa conexão. Pode parecer uma boa ideia, mas muita calma nessa hora. As vezes, na prática, pode ser uma opção desastrosa sair do aeroporto para fazer turismo entre conexões.

Antes que você pensei que eu estou jogando areia no seu feijão, existem uma série de fatores e variáveis a serem consideradas antes de pensar em colocar os pés fora do aeroporto.


Turismo entre conexões


Sua escala tem menos de 5 horas de duração?

Para começo de conversa, se sua conexão for inferior a 5 horas de espera, nem pense em sair da sala de embarque, é melhor gastar esse tempo lendo um livro e tomando um café no aeroporto.

Para ilustrar um pouco melhor, precisamos considerar a perda total de tempo nas atividade que envolvem o desembarque em grandes aeroportos.  Desde o momento em que o avião toca a pista até a hora em que os passageiros estão liberados de todos os trâmites de desembarque já perdemos mais de uma hora em voos internacionais e a metade disso para voos domésticos.

Grandes aeroportos ficam afastados das áreas turísticas, na melhor das hipóteses, existirá um serviço de transporte expresso até a cidade, mas nem sempre isso existe e muitas vezes, a viagem do aeroporto demora até 1 hora. Considerando ida e volta, já perdemos aqui mais 2 horas.

De volta ao aeroporto, você precisará passar pelos procedimentos de embarque novamente e lembrando que precisamos chegar aos aeroportos com antecedência e em que tempo conhecerá uma nova cidade no meio do caminho? Impossível!

O turismo entre conexões pode funcionar muito bem na teoria, mas na prática a história é completamente diferente.


Sua escala tem mais de 5 horas de duração?

Com uma escala acima de 5 horas de duração já dá para começar a pensar em sair do aeroporto, mas mesmo assim, precisamos pensar na distância, tempo perdido nos trâmites aeroportuários, necessidade de visto e avaliar se o tempo livre valerá a pena. Vou citar aqui alguns aeroportos onde eu já fiz conexão.

Buenos Aires – Aeroporto de Ezeiza
O aeroporto Internacional de Buenos Aires fica distante da cidade e ele não tem um serviço expresso de transporte, só podemos contar com carros e ônibus. Do aeroporto até a região de Puerto Madero, o ônibus demora em média 40 minutos. Ida e volta devemos considerar praticamente 2 horas perdidas. Leia mais sobre o aeroporto de Ezeiza nesse post.

Buenos Aires – Aeroparque
O Aeroparque fica no centro de Buenos Aires, dele até Puerto Madero demora cerca de 10 minutos de taxi. É um dos raros aeroportos onde com pouco tempo dá para fazer turismo entre conexões.

Santiago – Arturo Merino Benitez
O transporte de e para o aeroporto de Santiago é bem semelhante a maioria dos aeroportos sul americanos, ou seja, nada de trem ou metrô. A van do aeroporto até o centro de Santiago demora uns 40 minutos e considerando que os trâmites aeroportuários em Santiago são bem mais lentos que outros aeroportos, sair de lá para turistar pela cidade com menos 7 horas de conexão é impossível. Mais sobre o aeroporto, nesse post.

Lisboa – Aeroporto da Portela
Fica dentro de Lisboa e tem um excelente metrô, que gasta uma média de 15 minutos até o centro da cidade. Mas em Lisboa os trâmites aeroportuários são meio lentos também, as vezes o desembarque é feito na pista o que demanda um tempão a mais. Se sua conexão for de umas 7 horas, dá para sair e dar uma volta pela cidade.

Porto – Sá Carneiro
O Porto no norte de Portugal também é um aeroporto onde muitos brasileiros que voam com a TAP fazem conexão, por ser um terminal pequeno, sem muito movimento e ter acesso pelo metrô, é uma excelente opção para turismo entre conexões. Aqui, com 6 horas de conexão dá para visitar o Cais da Ribeira e o centro turístico da cidade e voltar para o aeroporto. Aqui tem um guia do Porto com informações de como se locomover pela cidade e do aeroporto.

Londres – Heathrow
O Aeroporto de Heathrow em Londres tem nada menos que 3 estações de metrô dentro dele, mas a viagem de lá até a Picadilly demora 1 hora, além de que, em um aeroporto daquele tamanho, as vezes gastamos até 30 minutos andando até o portão de embarque, é impossível turistar em Londres em uma conexão inferior a 8 horas. Leia mais sobre Heathrow aqui.

Amsterdã – Aeroporto Schiphol
Outra porta para brasileiros na Europa, o aeroporto de Amsterdã tem fácil acesso ao centro da cidade, em apenas 15 minutos os trens ligam o Schiphol a Amsterdam Centraal, apesar de ser grande, é um aeroporto onde os trâmites de embarque e desembarque são ordeiros e com bom tempo, fazendo de Amsterdã uma ótima cidade para turismo entre conexões. Mais informações nesse post.

Berlim – Shonefeld
Shonefeld não é um aeroporto muito usado para conexões, mas é uma das principais portas de entrada para Berlim, na Alemanha. O aeroporto é incrivelmente pequeno, o que deixa o ritual aeroportuário super rápido e o trem que vai até a estação central de Berlim, faz com que a capital da Alemanha seja uma ótima opção para turismo entre conexões. Com 6 horas dá para visitar o Portão de Brandemburgo, algumas atrações próximas e voltar ao aeroporto.

Munique – Franz Josef Strauss
Uma grande porta de entrada para brasileiros que viajam pela Lufthansa e tem a cidade de Munique como ponto de conexão e quem não quer dar uma passeada por Munique? Pra começo de conversa, o aeroporto da cidade fica distante quase 1 hora do centro, os procedimentos aeroportuários para voos intercontinentais são bem rígidos, o que demanda um bom tempo. Para os domésticos é mais tranquilo, mas em razão do tamanho do aeroporto, tudo pode ser bem demorado. Com 8 horas de conexão, é aceitável para turistar em Munique. Mais sobre o aeroporto de Munique aqui.

Frankfurt – Flughafen Frankfurt am Main
Outra grande porta de entrada para brasileiros, Frankfurt é uma cidade hub, de passagem mesmo e é bem comum quem chega do Brasil pela Lufthansa ou TAM, usar as horas livres de conexão para conhecer um pouco da cidade e honestamente, Frankfurt é tão pequena que em uma conexão de 8 horas dá para conhecer o que mais interessa por lá.

Dubai – Dubai International
Passageiros com mais de 7 horas de conexão podem pedir o visto de trânsito para permanência de até 96 horas em solo. Dubai tem uma linha de metrô que atende o aeroporto e em 15 minutos você estará na região central da cidade. O problema é que como o aeroporto é absurdamente grande, todos os procedimentos aeroportuários são demorados. Mas com uma conexão de 9 horas, é possível dar uma escapadinha, desde que você esteja disposto a pagar 55 dólares americanos pelo visto.

Bangkok – Suvarnabhumi
Uma das principais portas de entrada no sudeste asiático, o aeroporto de Bangkok fica relativamente perto da cidade, tem metrô, mas o interessa está bem longe do ponto final das linhas e metrô. Com uma conexão de 9 horas, dá para sair do aeroporto e conhecer a região da Khao San Road e Grand Palace.

Bangkok – Dom Mueang
Outra porta de entrada para a Tailândia e Bangkok, o antigo aeroporto internacional da cidade, recebe muitos voos vindos de outros países. Fica dentro de Bangkok, mas não tem metro ou trem, fica bem longe do que interessa, se sua conexão for de umas 8 horas ou mais, vale a pena dar um rolê pela cidade, menos do que isso, não recomendo o turismo entre conexões aqui.

Kuala Lumpur – KLIA International
Outro ponto de entrada para o sudeste asiático, o aeroporto internacional de Kuala Lumpur tem uma linha de trem que o liga a cidade, mas ele fica incrivelmente longe do centro da cidade, de trem a viagem demora uns 25 minutos ou 1h20 de ônibus. Se sua conexão for de umas 8 horas, dá para visitar as Petronas Tower e outros pontos na cidade, menos do que isso, nem pense em sair do aeroporto e cuidado na volta, existem dois aeroportos coladinhos um no outro, o KLIA1 e o KLIA2, que é o aeroporto mais usado pelas low-cost.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

2 Comentários

  • Porto e Lisboa são exemplos perfeitos de lugares onde pode – e deve – aproveitar as conexões, já que tem acesso fácil ao centro da cidade. Como, quem usa Portugal como porta de entrada na Europa acaba muitas vezes tendo várias horas de conexão, o ideal é aproveitar mesmo!
    Grande abraço aqui do Porto.

  • Responder julho 21, 2016

    Maria do Carmo Bittencourt de Oliveira

    Eu particularmente acho que não vale a pena (custo-benefício) fazer saidinhas rápidas entre conexões, a não ser em raras exceções. E avalie o tamanho da sua mala (deixar no aeroporto tem um custo tb). Em termos de economia acaba saindo mais caro pois tem o deslocamento e , dependendo do lugar, vc precisa usar onibus executivo ou taxi para não se atrasar.Concordo plenamente que menos de 5 hs entre conexoes, esquece. Eu particularmente, que não durmo em avião e consequentemente fico mega cansada em esperar no aeroporto, prefiro voos diretos e baratos e depois vou pingando nas cidades que desejo. Muitas vezes os voos entre cidades da Europa são baratos e compensa os lugares onde quer conhecer Sempre faço isso e para mim, que me canso muito em conexoes (tô velhinha) é a mehor opção. bjs

Deixe uma resposta