Marsaxlokk, a vila de pescadores de Malta e St. Peter’s Pool

Eu entrei em uma loja de souvenirs em Valletta procurando ímãs de geladeira para a minha coleção. Entre um e outro, encontrei um imã com um nome estranho: Marsaxlokk.

Na peça, muitos barquinhos flutuando em um mar azul. Curioso que sou, peguei meu celular e joguei esse nome no Google. Tinha descoberto ali, uma cidade que não estava no meu roteiro. No dia seguinte eu peguei um ônibus cedo para ver que cidade era aquela.

Marsaxlokk
Barquinhos em um mar azul

Marsaxlokk é a mais importante vila de pescadores de Malta. O lugar é conhecido pelos barquinhos coloridos com olhos pintados na proa. Eles são chamados de “Luzzu” e parece uma mistura de Olho de Horus com Olho Grego. Para os malteses, os olhos são símbolo de sorte e proteção para os pescadores. E eles estão em todos os lugares, desde o cartão do transporte público, até na porta das casas.

Marsaxlokk
Luzzu

Eu cheguei na cidade no fim da manhã de uma quinta-feira. O lugar era uma verdadeira calmaria. Entretanto, é no domingo, dia do mercado de rua, que Marsaxlokk fica cheia de locais em busca do melhor peixe e dos visitantes.

Marsaxlokk
A cidade é muito calminha durante a semana
Marsaxlokk
Centrinho

Há quem diga que o melhor é fugir da cidade nos finais de semana, mas também tem aqueles que recomendo visitar Marsaxlokk no dia de maior movimento. Confesso que gostei da calmaria daquele dia e jamais trocaria a paz de um dia de semana pelo burburinho do domingo.


O que fazer em Marsaxlokk?


Mas e aí você deve estar se perguntando o que fazer em Marsaxlokk? A cidade em si não tem atrações expressivas, ou lugares que você precisa conhecer a qualquer custo. Entretanto, o bacana é andar pela cidade. Caminhar pelo píer observado o vai e vem dos barquinhos coloridos. Caprichar nas fotos pois o lugar é bem fotogênico.

Marsaxlokk
Centrinho da cidade
Marsaxlokk
Cachorros ao mar

Entre uma olhadinha e outra nas barraquinhas de artesanato, notei que vários barcos tinham cachorros. Sim, catioros! Enquanto eu escolhia um ímã, a dona da barraquinha me disse que alguns pescadores levavam seus amigos de quatro patas para o mar, como sinal de sorte e proteção. Assim como os olhos pintados na proa dos barcos.

Marsaxlokk
St. Peter’s Pool
Marsaxlokk
O maravilhoso mar de Malta

Aproveitando que eu estava em Marsaxlokk, eu peguei um táxi e fui até um dos lugares mais bonitos dessa parte do litoral de Malta, a St. Peter’s Pool. Até dava para ir a pé, a distância é de menos de 3 kms.

Como o nome diz, são piscinas naturais esculpidas pelo vento e pelas ondas. Não fosse inverno, seria o lugar perfeito para dar um mergulho. Mesmo assim, alguns visitantes corajosos pularam na água. Acho que eles eram canadenses.

Marsaxlokk
Praias perto de St. Peter’s Pool

St. Peter’s Pool não tem estrutura para receber turistas, não existem quiosques ou restaurantes. Leve algo para comer e água. Também não é recomendado para quem não sabe nadar ou crianças. Mas é um dos lugares mais bonitos desse pedacinho de Malta e vale muito a pena conhecer.


Como chegar


Basta pegar o ônibus número 81 que sai do terminal de Valletta e segue até Marsaxlokk, onde fica o ponto final desta linha. O desembarque fica bem no calçadão a beira mar onde ficam os barquinhos. Mas o ônibus de volta para Valletta não sai deste ponto, mas de uma rua acima, na parada Xerriex.

O preço da passagem é dinâmico e varia de acordo com o horário, mas vai de 1,50 euro a 3 euros. A passagem pode ser comprada diretamente com o motorista, mas tenha moedas para o pagamento.

Contudo, caso você fique mais de 3 dias, vale investir no Explore Card 21, um cartão que permite viagens ilimitadas em todo o país por 7 dias e que custa 21 euros. O cartão pode ser comprado no aeroporto na loja da Malta Public Transport ou nos totens que ficam na porta da loja. 

Minha dica aqui é comprar o cartão nas máquinas, que raramente tem filas, enquanto a fila na loja era quilométrica. 

A viagem leva em média 40 minutos e os ônibus saem a cada 30 minutos.


De Marsaxlokk para St. Peter’s Pool


Como disse acima, eu fui de táxi já que ônibus nenhum chega até lá. A distância é curta, se eu estivesse com mais disposição naquele dia teria ido a pé. Tem uma subidinha mas não é nada crítico.

Se for de táxi, combine com o motorista para ele pegar você de volta. A viagem ida e volta ficou em 10 euros.



Eu escrevi um post super detalhado com dicas de onde ficar em Malta, onde eu explico onde ficar em Valletta e quais cidades ficar nos arredores da capital. Recomendo a leitura.

Quando eu estive em Malta, optei por ficar em Sliema. Eu me hospedei no Sliema Hotel by ST Hotels. O hotel tem um bom custo benefício, uma vista sensacional do quarto, o que para mim foi o ponto alto do hotel, assim como a cordialidade dos funcionários. 

Nesta mesma região, com as mesmas facilidades de acesso e ótima vista, fica o The Waterfront Hotel. É uma acomodação padrão 4 estrelas com ótimo custo benefício. Ao lado dele e com preço mais em conta fica o Hotel Kennedy Nova em Gzira.

Se você quer ficar no coração de Valletta e com estilo e conforto, recomendo o Palazzo Prince d’Orange. Um verdadeiro palácio do século 17. Outro “pallazo” e com preço excelente é o Palazzo Paolina Boutique Hotel, bem no coração de Valletta.

Ainda em Valletta, outras opções que você pode confiar são a belíssima Casa Ellul, o Ursulino Valletta que tem uma belíssima vista para as Três Cidades e o Grand Hotel Excelsior, outro hotel que não tem como errar.


Dicas para organizar a sua viagem
Como ir do aeroporto de Malta até o centro da cidade
Como andar em Malta usando o transporte público


Dicas e Roteiro em Malta
Valletta, a menor capital europeia
As três cidades de Malta
Mdina, a cidade silenciosa de Malta
Marsaxlokk e St.Peter’s Poll

Marsaxlokk
 










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


Compartilhe este post:
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.