Roteiro e dicas de Malta para organizar a sua viagem

Dicas de Malta:

Pequena em dimensões territoriais, porém, gigante em história e belezas naturais. Malta é um pequeno país encravado no Mar Mediterrâneo entre a Europa e a África. Neste post eu trago todas as dicas de Malta para você organizar a sua viagem.

***

“Tripulação, preparar para o pouso” – o aviso do comandante da Ryanair foi a deixa para eu grudar meus olhos na janela do avião para ver Malta pela primeira vez. Depois de alguns dias chuvosos em Portugal, eu queria beber daquele mar azul e sentir o sol bater no rosto.

Será que Malta era tudo aquilo que as fotos mostravam? Será que o mar era tão azul, fazendo um contraste perfeito com a arquitetura cor de terra?

onde ficar em Malta Dicas de Malta:
Malta

Malta é um pequeno arquipélago com cerca de 316 km2 localizado a menos de 100 km da Itália e a cerca de 200 km da Tunísia, no norte da África. O país é formado por 3 ilhas: Malta, Gozo e Comino, esta última, desabitada. É tão pequeno que eu me surpreendi quando muitas pessoas comentavam no meu Instagram dizendo que achavam que Malta pertencia a Itália.

Malta é um país independente e soberano que faz parte da União Europeia, contudo já pertenceu a diversos povos. Fenícios, Romanos, Cartagineses, Bizantinos, Árabes e até 1964 pertenceu ao Império Britânico. E todos esses povos deixaram a sua marca na cultura, arte, arquitetura, culinária e costumes.

Malta inclusive é um dos destinos mais procurados por intercambistas que desejam melhorar seu inglês. Por ser barato, ter clima bom e muitas oportunidades de diversão. De fato, eu encontrei muitos brasileiros em Malta. De estudantes a jovens aspirantes a jogadores de futebol.

Dicas de Malta:
Três cidades de Malta

A capital é Valletta, que é cercada por outras cidades que ajudam a formar a região metropolitana da capital. Valletta é bem pequena, tem pouco mais de 6 mil habitantes. Ao lado dela ficam Sliema e Gzira de um lado. E do lado oposto fica Senglea, Vittoriosa (que lá eles chamam de Birgu) e Cospicua, que são conhecidas como as Três Cidades de Malta.

Apesar de serem várias cidades, é como se fossem uma cidade só. Quando andamos por essa região, parece que estamos percorrendo bairros. E é tudo bem perto e de fácil acesso.

Dicas de Malta:
Belíssimo litoral de Malta

Dicas de Malta


Como chegar em Malta

Não existem voos diretos do Brasil para Malta, entretanto, chegar em Malta é muito fácil. Existe apenas um aeroporto que fica em Luqa, no interior da ilha. O aeroporto é pequeno, mas recebe voos de várias cidades da europa e também do oriente médio.

Entre as companhias aéreas europeias que voam para o Brasil, temos a Lufthansa, British Airways, Alitalia e Turkish Airlines que oferecem conexões rápidas para Malta.

Conectando no oriente médio, a Qatar e a Emirates também voam para Malta. Por fim, as low-costs Ryanair, Wizz, Easyjet e Jet2 também voam de várias cidades da Europa para Malta, assim como a companhia aérea nacional, a Air Malta.

Eu voei de Portugal para Malta com a Ryanair, veja o review desse voo

Embora o aeroporto fique em Luqa fique no interior da ilha, a distância dele até Valletta é de cerca de 8km, para você ver como Malta é pequena.

Veja aqui como ir do aeroporto de Malta até a cidade

como ir do aeroporto de Malta Dicas de Malta:
Aeroporto de Malta

Visto e imigração


Brasileiros não precisam de visto para entrar em Malta. O país faz parte da União Europeia desde 2004 e desde 2007 o país faz parte do Espaço Schengen. Por tanto, a imigração na chegada da Europa já é válida para Malta, de modo que não será necessário fazer a imigração novamente. A não ser que você venha de fora do Espaço Schengen, voando com a British Airways, Turkish Airlines, Qatar e Emirates, aí a imigração é obrigatória. 

Mas antes de tudo, não se preocupe, o procedimento é o mesmo em qualquer país europeu. Aqui no Vou na Janela eu já publiquei vários posts com dicas para passar pela imigração na Europa, recomendo a leitura.

Dicas para passar pela imigração na Europa sem medo
Onde vou fazer a imigração na Europa?
O que você precisa saber para a sua primeira vez na Europa


Seguro viagem


O seguro viagem é obrigatório para entrar na Europa. Não portar a apólice de seguro viagem no momento da imigração pode resultar em recusa e o visitante ser deportado ali mesmo. Para evitar que isso aconteça, recomendo que nunca saia do Brasil sem o seguro viagem, até mesmo para sua proteção em países onde o seguro não for obrigatório.

Faça seu seguro viagem aqui com desconto


Qual é a melhor época do ano para visitar Malta?


Antes de mais nada, apesar de Malta ser associada como um destino de verão, é possível visitar o país em qualquer época do ano. Entretanto existem algumas particularidades que você precisa levar em conta.

O verão é a altíssima temporada, vai de junho a setembro. Faz muito calor e absolutamente tudo vai estar abarrotado de gente. Além disso, os preços sobem e tudo custa mais caro.

Dicas de Malta:
Malta é linda em qualquer época do ano

Se você curte verão, mas detesta muvuca, evite essa época. Opte por visitar Malta na primavera, nos meses de março até o começo junho. Outra opção é no fim do verão e começo do outono, nos meses de setembro e outubro.

Já os meses de novembro e dezembro costumam ser mais chuvosos. Quando eu estava planejando a minha viagem e buscando dicas de Malta, eu monitorei o tempo em novembro e dezembro e era chuva constantemente.

Eu visitei Malta no inverno e como eu não fazia questão de praias, foi uma decisão muito acertada. Tudo estava mais vazio, os preços mais baixos e os dias estavam lindos.

Dicas de Malta:
Malta no Inverno: linda e vazia

Moeda e custos


A moeda oficial de Malta é o Euro e a gente sabe que o Real está cada vez mais desvalorizado perante ao Euro e o Dólar. Por outro lado, Malta é um país bem mais barato que a maioria dos demais países europeus. No entanto, é importante sinalizar que os preços variam bastante entre a alta e a baixa temporada.

Os custos que eu vou colocar abaixo são para a baixa temporada, que foi quando eu visitei Malta. Tenha em mente que todos esses custos podem oscilar.

  • Hospedagem: É possível encontrar bons hotéis com diárias a partir de 138 reais em Sliema. Um hotel três estrelas com vista para o mar vai custar em torno de 200 reais. Hotéis mais luxuosos custam um pouco a mais, porém, nada absurdo. É possível encontrar um hotel quatro estrelas por 350 reais a diária. Veja abaixo o tópico com dicas de hospedagem.
  • Transportes: Malta tem uma rede eficiente de ônibus. Com eles conseguimos chegar em todos os cantos da ilha. O preço da viagem é dinâmico e custa de 1,50 a 3,00 euros a viagem. Contudo, caso você fique mais de 3 dias, vale investir no Explore Card, um cartão que permite viagens ilimitadas em todo o país por 7 dias e que custa 21 euros. O cartão pode ser comprado no aeroporto.
  • Alimentação: Um refeição em Malta vai variar de 5 a 15 euros, dependendo do tipo e da localização do restaurante. A maioria dos restaurantes são italianos, árabes ou turcos. Uma fatia de pizza custa 1 euro, um lanche no McDonalds custa a partir de 5 euros.
Dicas de Malta:
Dicas de Malta: Ruazinha com restaurantes charmosos em Valletta

Onde ficar em Malta


Como eu coloquei acima, em Malta encontramos hotéis baratos e bem confortáveis. Todavia, é importante saber onde se hospedar para ter fácil acesso ao transporte público e aos pontos turísticos.

Quando eu estive em Malta, optei por ficar em Sliema. Eu me hospedei no Sliema Hotel by ST Hotels. O hotel tem um bom custo benefício, uma vista sensacional do quarto, o que para mim foi o ponto alto do hotel, assim como a cordialidade dos funcionários. O quarto é básico, não tem luxos e o banheiro precisa de melhorias. Mas a localização do hotel é ótima, em frente ao píer dos ferrys e do ponto de ônibus de onde vem o ônibus do aeroporto e de onde saem ônibus para todos os cantos da ilha. Bastava caminhar alguns passos para pegar o onibus para o centro de Valletta, Mdina ou para Cirkewwa, de onde saem os barcos para Gozo.

Dicas de Malta:
A vista do Sliema Hotel by ST Hotels

Nesta mesma região, com as mesmas facilidades de acesso e ótima vista, fica o The Waterfront Hotel. É uma acomodação padrão 4 estrelas, custa um pouco mais caro, porém, com ótimo custo benefício. É um hotel para quem não quer arriscar e ter surpresas desagradáveis.

Ao lado dele e com preço mais em conta fica o Hotel Kennedy Nova em Gzira, exatamente entre Sliema e Valletta, por tanto, muito bem localizado.

Se você quer ficar no coração de Valletta e com estilo e conforto, recomendo o Palazzo Prince d’Orange. Um verdadeiro palácio do século 17 que foi totalmente modernizado e que entrega luxo, conforto e uma vista sensacional de Valletta. Outro “pallazo” e com preço excelente é o Palazzo Paolina Boutique Hotel, bem no coração de Valletta.

Ainda em Valletta, outras opções que você pode confiar são a belíssima Casa Ellul, o Ursulino Valletta que tem uma belíssima vista para as Três Cidades. Outra dica para quem deseja ficar em Valletta, mas fora do centro turístico, recomendo o Grand Hotel Excelsior, outro hotel que não tem como errar.

Leia o post completo com dicas de hospedagem em Malta

Dicas de Malta:
Hospedagem boa e barata

Dicas de Malta: O que fazer


Comece o seu roteiro por Valletta, é a cidade com maior concentração de prédios históricos por metro quadrado. São mais de 300 monumentos em meio quilômetro quadrado, o que rendeu a Valletta o título de “museu ao ar livre”.

Explore a orla de Sliema, é de lá que temos a melhor vista de Valletta e descubra a noite de St.Julians, ali do lado.

Veja aqui o que fazer em Valletta

O que fazer em Valletta Dicas de Malta:
O que fazer em Valletta

E do lado oposto de Valletta ficam as Três Cidades de Malta, que são Senglea, Vittoriosa (que lá eles chamam de Birgu) e Cospicua. Antigas cidades fortificadas que defendiam o território dos invasores. Vale visitar Vittoriosa, a mais bonita de todas, bem como o Forte de Santo Ângelo – um dos mais bonitos de Malta – e se perder nas ruazinhas da cidade velha.

Veja aqui o que fazer nas Três Cidades de Malta

Três Cidades de Malta Dicas de Malta:
Três Cidades de Malta

Não deixe de visitar Mdina, a antiga capital maltesa e que foi cenário da primeira temporada de Game of Thrones. Mdina é uma cidade murada coladinha em Rabat, lá dentro vivem cerca de 200 pessoas. Mdina foi um dos lugares mais bonitos que eu visitei em Malta e fica pertinho de Valletta, apenas 12 km.

Veja aqui o que fazer em Mdina

Mdina Dicas de Malta:
Cenário de Game of Thrones

Marsaxlokk, a mais importante vila de pescadores de Malta, famosa pelos barquinhos coloridos com olhos pintados, o “Luzzu”, que são símbolo de sorte e proteção para os pescadores.

Depois de Massaxlokk, aproveite para conhecer a Blue Grotto (Gruta Azul) que depois do desabamento da Janela Azul em Gozo, é o lugar mais fotografado de Malta. Suba até o mirante da Blue Grotto para uma vista linda, mas não deixe de fazer o passeio de barco que explora diversas grutas.

Veja aqui que fazer em Marsaxlokk

Dicas de Malta:
Marsaxlokk

Já em Comino fica a belíssima Blue Lagoon, belíssima e vazia na baixa temporada. Mas já vi relatos de que ela fica abarrotada de gente no verão. E estamos falando de um lugar sem estrutura para o turismo de massa. Vale a visita, pois é lindo, mas chegue antes das 9h da manhã na alta temporada.

Por fim, se você busca as famosas praias de água transparente de Malta, o lugar é Gozo. A segunda maior ilha do país, é destino bombado no verão. São praias, grutas, lagoas, salinas e vilarejos lindinhos.

Dicas de Malta:
Dicas de Malta: O belíssimo litoral de Malta

Dicas de Malta: sugestão de roteiro


Dia 1: Valletta e Três Cidades
Dia 2: Mdina e Mosta
Dia 3: Marsaxlokk e Blue Grotto
Dia 4: Comino, Sliema e St.Julians
Dia 5: Gozo


Como se locomover em Malta


A melhor forma de andar por Malta é de ônibus. O sistema de transporte público de Malta é prático e eficiente. O preço do trajeto é dinâmico e custa de 1,50 a 3,00 euros a viagem, dependendo do horário. 

Contudo, caso você fique mais de 3 dias, vale investir no Explore Card 21, um cartão que permite viagens ilimitadas em todo o país por 7 dias e que custa 21 euros. O cartão pode ser comprado no aeroporto na loja da Malta Public Transport ou nos totens que ficam na porta da loja. 

Minha dica aqui é comprar o cartão nas máquinas, que raramente tem filas, enquanto a fila na loja era quilométrica. Acho que as pessoas têm medo dessas máquinas, pois nada explica.

E no site da Malta Public Transport ou no app a gente consegue planejar as viagens e ver quais ônibus tomar.

Leia o post completo com dicas de como andar em Malta

Dicas de Malta:
Explore Card 21

Internet e celular


Em Malta eu usei o chip da YesBrasil (Viaje Conectado), eu já mostrei aqui no blog como foi usar o chip em outras viagens, recomendo a leitura. A conexão era excelente e com velocidade em 4G em toda a ilha. Na verdade nessa mesma viagem eu usei esse chip em Portugal, Malta, Grécia e França e foi impecável.

***

Bom, pessoal, essas são as minhas principais ficas de Malta. Se vocês tiverem alguma dúvida, podem postar nos comentários abaixo que eu prometo responder.



Eu escrevi um post super detalhado com dicas de onde ficar em Malta, onde eu explico onde ficar em Valletta e quais cidades ficar nos arredores da capital. Recomendo a leitura.

Quando eu estive em Malta, optei por ficar em Sliema. Eu me hospedei no Sliema Hotel by ST Hotels. O hotel tem um bom custo benefício, uma vista sensacional do quarto, o que para mim foi o ponto alto do hotel, assim como a cordialidade dos funcionários. 

Nesta mesma região, com as mesmas facilidades de acesso e ótima vista, fica o The Waterfront Hotel. É uma acomodação padrão 4 estrelas com ótimo custo benefício. Ao lado dele e com preço mais em conta fica o Hotel Kennedy Nova em Gzira.

Se você quer ficar no coração de Valletta e com estilo e conforto, recomendo o Palazzo Prince d’Orange. Um verdadeiro palácio do século 17. Outro “pallazo” e com preço excelente é o Palazzo Paolina Boutique Hotel, bem no coração de Valletta.

Ainda em Valletta, outras opções que você pode confiar são a belíssima Casa Ellul, o Ursulino Valletta que tem uma belíssima vista para as Três Cidades e o Grand Hotel Excelsior, outro hotel que não tem como errar.


Dicas para organizar a sua viagem
Como ir do aeroporto de Malta até o centro da cidade
Como andar em Malta usando o transporte público


Dicas e Roteiro em Malta
Valletta, a menor capital europeia
As três cidades de Malta
Mdina, a cidade silenciosa de Malta
Marsaxlokk e St.Peter’s Poll

Dicas de Malta:










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.