Como usar o VLT Carioca para andar pelo centro do Rio

Como usar o VLT Carioca

Uma das grandes novidades do Rio de Janeiro é o VLT Carioca – veículo leve sobre trilhos – que foi construído para os Jogos Olímpicos de 2016 e hoje é uma das melhores maneiras de se locomover pela cidade.

O VLT está funcionando com duas linhas, a principal dela é a Linha 1 – Azul que liga a Rodoviária ao Aeroporto Santos Dumont, passando por toda a região revitalizada do centro do Rio, porto e a Praça Mauá, onde ficam o Museu do Amanhã, M.A.R, AquaRio e a Orla Conde.

A segundo serviço é a Linha 2 – Verde, que vai da Praça XV até a Rodoviária, mas fazendo um caminho bem diferente da Linha 1 – Azul, inclusive ele passa na porta da tradicional Confeitaria Colombo e pelo Saara.

VLT atravessando a Praça Mauá

VLT atravessando a Praça Mauá

Ou seja, hoje no Rio você pode ir da Rodoviária ou do Aeroporto Santos Dumont até o seu hotel usando o VLT ou combinando o VLT com a rede metroviária da cidade e também visitar toda essa região revitalizada com o VLT. Ficou mais fácil e prático andar pela Rio de Janeiro.

Também existem planos para uma terceira linha, mas como o estado do Rio vem sofrendo uma pesada crise financeira, esses planos podem não sair do papel.


Como usar o VLT Carioca


O sistema é semelhante aos trams que operam na Europa, para quem não está familiarizado, é como um bonde ou metrô de superfície de menor capacidade. A viagem é bem suave e sem solavancos.

Displays mostrando os cartões aceitos

Displays mostrando os cartões aceitos

A viagem custa R$ 3,80 e só pode ser paga com os cartões RioCard, nas estações existem algumas máquinas de recarga e que também vendem o cartão Bilhete Único Carioca por R$ 3 reais e que também pode ser usado na integração com o metrô e também serve para os ônibus, trens e barcas.

Para comprar é muito simples, basta seguir as informações na tela da máquina de autoatendimento e pronto. O pagamento pode ser feito em dinheiro ou cartão de débito. Na dúvida, em todas as paradas do VLT tem um funcionário para orientar os passageiros.

Para abrir as portas do VLT, tanto para entrar quanto para sair, tem que apertar o botão que fica localizado nas portas, diferente do metrô onde as portas já se abrem automaticamente, quem já usou esse tipo de transporte na Europa sabe do que eu estou falando.

O VLT não tem catracas, cada passageiro deve validar o seu cartão nas várias de máquinas amarelas dentro dos vagões e muita atenção: para quem não validar o cartão é cobrada uma multa de R$ 170,00 e só é válido 1 cartão por pessoa.

Mesmo que você tiver créditos sobrando, não vale usar o mesmo cartão para pagar duas passagens. O cartão é de uso individual e um funcionário passa verificando se o seu cartão foi validado.

Bem confortável por dentro

Bem confortável por dentro

Dentro do VLT a gente encontra vários painéis e telas com o mapa da linha e as próximas paradas, não tem como se perder.

A Linha 1 – Azul está operando diariamente das 6h à 0h e a Linha 2 – Verde está operando em caráter de testes com horário reduzido temporariamente das 8h às 14h (março de 2017) da Praça XV ao Saara, mas em breve terá o mesmo tempo de operação da Linha 1 – Azul.

Mapa da rede

Mapa da rede


Minha experiência


Eu cheguei no Rio pelo Aeroporto Santos Dumont e me hospedei no Flamengo. Eu peguei o VLT na parada em frente ao aeroporto e fui até a estação Carioca, onde peguei o metrô até a estação Flamengo. Todo o trajeto de VLT + metrô demorou aproximadamente 40 minutos.

Para passear pelo Rio eu fiz praticamente o mesmo caminho, porém até a Parada dos Museus, que fica na Praça Mauá e de onde a gente pode visitar os novos museus e o Boulevard Olímpico.

Apesar de ter visitado a cidade no fim da alta temporada, quem conhece o Rio sabe que a cidade bomba o ano inteiro e em nenhuma ocasião eu peguei o VLT cheio e desconfortável, inclusive usei durante a semana com muito conforto.

Como disse acima, o VLT é a melhor opção de locomoção pelo centro da cidade e para quem chega na cidade pelo Aeroporto Santos Dumont ou Rodoviária.


Procurando hospedagem no Rio?


Olha a nossa lista de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Clique aqui.


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

1 Comentário

  • Responder junho 20, 2017

    Carlos Alberto Fontes.

    O VLT é um dos maiores legados das Olimpiadas, visto que se transformou num dos melhores meios de locomoção pelo centro da cidade, que até então era feito a pé, dado aos constantes engarrafamentos. Por outro lado, não só o Aeroporto como a rodoviária , passaram a fazer parte do centro do Rio, dada a facilidade de acesso a esses pontos. Os pontos turísticos , com a facilidade de acesso passaram a serem mais visitados e valorizados. A cidade ressurgiu.

Deixe uma resposta