O que fazer em Havana, Cuba (roteiro completo de 3 dias)

O que fazer em Havana

Havana não é uma cidade bonita e isso talvez possa te surpreender, mas calma, eu não quero jogar um balde de água fria na sua viagem. Havana é uma cidade muito interessante e com potencial de ser algo muito além do que é hoje.

Desde o fim da Revolução Cubana em 1959 e com o embargo econômico imposto pelos Estados Unidos que veio logo depois, o país ficou congelado no tempo, ilhado no passado. Em Havana, essa situação é ainda mais evidente com seus carros dos anos 40 e 50 e prédios coloniais degradados, e é isso que atrai tanta gente.

Existe muito o que fazer em Havana e nesse post, vou reunir o que eu mais gostei, o que vale realmente a pena e o que pode ser uma armadilha para turistas.


O que fazer em Havana


Havana Velha (Habana Vieja)

É a parte mais antiga e interessante da cidade. É onde todos os turistas vão, onde ficam os melhores bares, restaurantes, museus, vários fortes da época colonial e onde a gente consegue sentir a melhor atmosfera da cidade.

Havana velha

Havana velha

Muitos casarões antigos parecem ter sido reformados recentemente, entenda, existe uma diferença entre restaurado e reformado. Mas ainda passa uma imagem de lugar abandonado, mesmo que nem tanto como em outras regiões da cidade.

As cores são vibrantes e muitos lugares bem charmosos. Eu cheguei pela primeira vez em Havana Velha num fim de tarde e a luz do sol deixava tudo ainda mais bonito.

Boa parte com o que fazer em Havana fica nessa região, como a maioria dos lugares que eu vou sugerir logo abaixo.

havana28

Uma delícia caminhar por essas ruas

Talvez a imagem que melhor represente Havana Velha

Talvez a imagem que melhor represente Havana Velha


Plaza de Armas

É quase um lugar de passagem para quem chega vindo pela avenida da beira mar, o Malecón e eu falo melhor dele mais abaixo. A praça foi a primeira da cidade, construída no século XVI e está bem conservada.

Um lugar super bem conservado em Havana

Um lugar super bem conservado em Havana

Na Plaza de Armas acontece uma feira de antiguidades nos finais de semana e tem de tudo, desde os onipresentes artigos que exploram a imagem de Chê Guevara, livros de Ernest Hemingway, selos, moedas, câmeras antigas e todo tipo de quinquilharia.

Feirinha de domingo

Feirinha de domingo

Prédios lindos

Prédios lindos


Castillo de la Real Fuerza

Ele fica em uma das extremidades da Plaza de Armas, é um forte construído em 1582 para proteger a entrada da Baía de Havana de ataques de piratas. Hoje o forte funciona como um museu.

Ele não é dos maiores, mas é muito bonito e bem preservado. Dos museus de Havana que eu visitei, era o mais bem cuidado, mas o acervo é muito fraco.

O que fazer em Havana: Castillo de la Real Fuerza

O que fazer em Havana: Castillo de la Real Fuerza

Do alto dele a gente tem uma vista bacana da entrada da Baía, do Malecón e de outros prédios históricos.

A entrada custa 3 CUCs (3 dólares) e certamente os funcionários vão cobrar uma “propina” para deixar você subir em uma das torres que tem uma ótima vista. Honestamente, é bonito mas não vale tanto assim.


Calle Obispo

É a rua mais famosa de Habana Vieja, ela começa na Plaza de Armas e vai até o Museu Nacional de Bellas Artes. É a rua com os casarões em melhor estado e está sempre apinhada de gente.

Calle Obispo

Calle Obispo

Na Calle Obispo ficam duas farmácias antigas, a Taquechel e a Johnson, da época em que as medicações eram manipuladas e nas prateleiras ficam os enormes potes de porcelana super decorados e com os nomes dos medicamentos ou elementos químicos.

Farmácia das antigas

Farmácia das antigas

Na Calle Obispo fica também o Café Paris e o bar La Floridita, onde Hemingway tomava seus Daiquirís.

Vale dizer também que é na Calle Obispo que fica o único ponto de Wi-fi que eu encontrei em Havana e não é aberto, 1 hora de conexão custa o equivalente a 2 dólares (1,50 comprado nas lojas oficiais da Etecsa – Empresa de Telecomunicaciones de Cuba) e a qualidade é aquilo né, pior que internet discada.


Plaza de la Catedral

Um praça belíssima, rodeada de edifícios barrocos e dominado pela linda Catedral de San Cristóbal de la Habana. Do lado oposto a ela fica o Museu Barroco, mas eu não visitei, não achei que fosse tão interessante assim.

No redor da praça ficam as típicas senhoras cubanas, com seus badulaques e roupas típicas da santería “lendo” a sorte dos visitantes.

Pertinho da Plaza de la Catedral fica também a Bodeguita del Medio, falo mais desse lugar incrível abaixo.

Plaza de la Catedral

Plaza de la Catedral


Capitólio Nacional

Qualquer semelhança com o Capitólio de Washington nos Estados Unidos não é mera coincidência. Ele foi construído em 1926, época em que a influência americana na ilha era total e que Cuba era realmente um quintal do país vizinho.

O prédio imponente chama atenção, mesmo com tantos tapumes e andaimes de uma reforma quase eterna.

Hoje ele é a sede da Biblioteca Nacional e Academia Cubana de Ciências, mas nem adianta tentar visitar, ele está fechado já faz alguns anos.

HAVANA5

Capitólio Cubano


Gran Teatro de La Habana

Do lado do Capitólio fica o Gran Teatro de La Habana, para mim, é o prédio mais bonito de Havana. Ele é a sede do Balé Nacional de Cuba e acontecem espetáculos periodicamente.

Não sei se dá para visitar durante o dia, mas mesmo de fora a construção impressiona, vale ficar ali admirando a beleza do prédio super conservado.

Pra mim, o prédio mais bonito de Havana

Pra mim, o prédio mais bonito de Havana


Paseo del Prado

O Paseo del Prado é um calçadão arborizado que fica no meio da Avenida Paseo de Martí, que começa no Capitólio e vai até o Malecón.

São 7 quadras de um lugar super agradável onde acontece uma feira de artes nos finais de semana e um bom lugar para apreciar a arquitetura e o modo de vida dos cubanos.

No calorão que fazia no dia em que eu visitei o lugar, o calçadão arborizado foi um verdadeiro oásis no meio de Havana.

Paseo del Prado

Paseo del Prado


Museu de La Revolución

Isso pode te chocar, mas o Museu de La Revolución, aquele que supostamente deveria contar a história da Revolução Cubana, o ponta pé inicial da ideologia dos caras, foi uma decepção.

O museu fica em um belíssimo prédio art-deco, o que não deixa de ser uma grande ironia. Mas o que decepciona é o acervo pobre, falta de curadoria e exposição mal montada.

havana8

Lindo o prédio do museu

Não existe uma ordem cronológica contando como foi a revolução, é uma sala desconexa da outra e misturada com material da época em que Cuba era colônia da Espanha e até uma sala falando da Bolívia (oi?).

O desapontamento só não foi maior pois o prédio é lindo. Era o antigo palácio presidencial, onde em 1957 houve uma tentativa frustrada de assassinar o então presidente Fulgêncio Baptista. Mas pagar 8 CUCs (8 dólares) para isso é puxado.

Leia mais:
Como é a visita ao Museu da Revolução Cubana

A cúpula absurdamente linda

A cúpula absurdamente linda

Um dos painéis que ilustram o museu

Um dos painéis que ilustram o museu


Memorial Granma

Atrás do Museu de La Revolución fica o Memorial Granma, é lá que está o imenso iate que levou Fidel Castro, Che Guevara e mais 80 combatentes do México para Cuba em 1956 para dar início a fase decisiva da Revolução Cubana.

O acervo do memorial é bem interessante

O acervo do memorial é bem interessante

O barco fica dentro de uma gigantesca caixa de vidro, só dá para ver por fora. No entorno dele fica um acervo bem interessante com carros e aviões militares e destroços de uma aeronave B52 da Força Aérea Americana e de um U2 (o avião, não a banda, hahaha), ambos abatidos em Cuba. É tipo um grande troféu para os caras.

O acesso é por dentro do Museu de La Revolución.

Inclusive conta com dois aviões

Inclusive conta com dois aviões


Malecón

É um calçadão a beira-mar que vai de Habana Vieja até foz do Rio Almendares. É um lugar onde os cubanos se encontram para passear, namorar e até pescar. No comecinho dele fica o Castillo de San Salvador de la Punta, mais uma fortificação daquelas que defendiam a entrada da Baía de Havana.

Malecón

Malecón

Malecón na entrada da Baía de Havana

Malecón na entrada da Baía de Havana

 


Forte de La Cabaña

Do outro lado da entrada da Baía de Havana fica Forte de La Cabaña. A imensa fortificação é a maior do tipo no continente americano, foi concluída em 1774 também para proteger a entrada da Baía.

Forte e a melhor vista da cidade

Forte e a melhor vista da cidade

Além de ser um lugar lindo, é de lá que a gente tem a melhor vista de Havana e de vários pontos diferentes.

O lugar é tão grande que a gente gasta facilmente umas 3 horas andando por todo complexo. No forte também funciona um museu, mas nem perca seu tempo, é fraco e pouco interessante.

A entrada custa 6 CUCs (6 dólares) e a única maneira de chegar até lá é de carro, o acesso é por um túnel por baixo do canal de entrada da Baía de Havana.

Leia mais:
Fortaleza de San Carlos de La Cabaña e a melhor vista de Havana


Plaza de La Revolución

O principal cartão postal de Havana e um dos símbolos da Revolução Cubana e do regime socialista, é lá que fica o emblemática imagem de Ernesto Chê Guevara. A praça não tem árvores, é só uma maciço de concreto rodeada de prédios governamentais de um lado e do Memorial dedicado a José Martí, criador do Partido Revolucionário Cubano, do outro lado.

O memorial tem uma estátua de mármore de José Martí e uma torre de 130 metros de altura. Lá em cima fica um mirante, mas estava fechado quando eu estive lá.

Principal cartão postal de Havana

Principal cartão postal de Havana


Para comer e beber em Havana


La bodeguita del medio

Definitivamente é o meu lugar favorito em Havana, o bar que ficou famoso pode ter sido frequentado por Ernest Hemingway, Fidel Castro e até Nat King Cole. Os caras servem o melhor Mojito de Cuba por 5 CUCs (5 dólares)

O bar mais famoso de Havana

O bar mais famoso de Havana

O bar é todo autêntico, tem as paredes todas cobertas por assinatura dos frequentadores e todo mundo faz questão de deixar seu nome lá.

A comida também é maravilhosa, vale pedir a Ropa Vieja (uma carne desfiada cozinhada por horas) com batata frita e Morros Cristianos, um prato de arroz com feijão que até eu que não curto feijão comi e adorei.

A dica na Bodeguita é entrar pelo corredor lateral e subir para o segundo andar, onde é bem menos tumultuado que na rua e o atendimento é impecável, algo muito raro em Cuba.

Leia mais:
La Bodeguita del Medio e El Floridida: a Havana de Hemingway

As paredes cobertas por assinaturas, a marca do La Bodeguita

As paredes cobertas por assinaturas, a marca do La Bodeguita

Mojitos em série

Mojitos em série


El Floridita

Outro bar que ficou famoso em Havana por ser onde Hemingway tomava seus Daiquirís. Diferente do La Bodeguita del Medio, o Floridita tem decoração mais clássica, uma estátua de bronze em tamanho natural de Hamingway e claro, serve o melhor Daiquirí que você vai tomar na vida por 6 CUCs (6 dólares). O bar fica no fim da Calle Obispo.

Leia mais:
La Bodeguita del Medio e El Floridida: a Havana de Hemingway

O cliente mais ilustre

O cliente mais ilustre

O lugar é mega movimentado mas super vale a pena

O lugar é mega movimentado mas super vale a pena


Cafe Paris

O Café Paris fica na Calle Obispo, perto da Plaza de Armas e tem um ambiente bem agradável. Mas o atendimento é péssimo, tem que ter paciência. Eu fui lá mas acabei não ficando pois queria comer Ropa Vieja e não tinha. Como assim os caras deixa acabar o prato mais famosos de Cuba?

Café Paris

Café Paris


La Moneda Cubana

Este bar e restaurante funciona num prédio histórico de Habana Vieja, tem um roof top onde funciona o restaurante. O preço é bem salgado, bem acima da média da cidade, mas a vista e a comida maravilhosa compensam.

Comida sensacional

Comida sensacional


Vídeo


Confira o nosso vídeo com o que fazer em Havana.

 


Quantos dias ficar em Havana


Eu li relato de pessoas que ficaram 6 dias em Havana, mas honestamente, em 3 dias é mais que o suficiente para ver tudo e fazer esse roteiro acima. Se você pretende ficar mais tempo em Cuba, não pode deixar de ir para Varadero e visitar os Cayos (ilhas), as praias são incríveis e a água super cristalina. O mar mais bonito que eu já vi.

 

Mais sobre Cuba

Que moeda levar para Cuba
15 coisas que você precisa saber antes de visitar Cuba
Visitar Cuba é caminhar por seus dois mundos paralelos
Como conseguir o visto para Cuba
Como é passar pela imigração em Cuba


Planejando a sua viagem


calendarioQuando ir
Em qualquer época do ano. Os verões são quentes e o inverno não chega a fazer frio. A não ser por alguma frente fria mais forte. As chuvas são bem comuns, mas passageiras.

 

Que moeda levar
Cuba tem duas moedas oficiais, o CUC para os turistas e que tem cotação semelhante ao dólar e o CUP, o peso cubano. Aqui no blog tem um post super completo sobre que moeda levar para Cuba (clique aqui).

 

carroComo chegar
Não existem voos diretos do Brasil para Cuba. As formas mais rápidas são via Cidade do Panamá com a Copa Airlines ou via Bogotá com a Avianca. Já existem voos vindos de Miami e Nova York nos Estados Unidos. 

 

Visto
Brasileiros precisam de visto para entrar em Cuba. Conseguir o visto não é difícil, mas existem algumas pequenas regras para conseguir, além de uma pequena tarifa. Leia o post completo (clique aqui)

 

Como é passar pela imigração
A imigração em Havana foi be complicada, mas foi algo que aconteceu comigo, talvez tenha sido um caso isolado, vale ler o meu relato (clique aqui)

 

Onde ficar
Escolher uma boa hospedagem em Havana é fundamental, pois o que mais interessa está concentrando em uma pequena área e o taxi lá é caro. Aqui no blog tem um post com todas as dicas de onde se hospedar e onde não se hospedar em Havana (clique aqui).

 

Como se locomover
Dentro da cidade a melhor forma é de taxi, já que o transporte público só é usado pelos cubanos e são ônibus caindo aos pedaços. Um taxi para uma distância aproximada de 5km custa mais ou menos 10 CUCs (10 dólares).


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

3 Comentários

  • Responder abril 3, 2017

    Buenas Dicas

    Fala Fabrício, beleza? Estou aqui lendo seus posts sobre Havana pra ver se me decido de vez. Li um post seu bem sincero seu sobre o Marrocos, então acho que vai me responder bem. São perguntas meio estranhas, haha, mas essenciais pra eu me decidir.

    1. Em Havana, vou me sentir numa espécie de Copacabana com carros antigos?

    2. Dá pra pegar uma praia de verdade, nadar, comprar camarão no quiosque, tipo nordeste brasileiro?

    3. É verdade que o país é seguro? Tipo, se sentiu aquele clima de golpes no ar, gente seguindo pedindo dinheiro, coisas assim.

    4. Dá pra fazer turismo gastronômico em Cuba? Gosto muito de comer comidas típicas, mas mesmo nos programas de culinária não vi nada muito interessantes sobre bares, restaurantes e dicas de onde comer.

    5. Como estou na dúvida entre Cuba e Lisboa, queria saber, de você que já esteve nos 2 lugares, se em Cuba eu vou me sentir mais no Brasil. Estou afim de um lugar totalmente diferente daqui. Curto lugares mais ou menos exóticos, mas sem perrengue.

    Bom, é isso. Vou continuar lendo mais sobre Cuba aqui. Abraço.

    • mm
      Responder abril 4, 2017

      Fabricio Moura

      Opa, tudo bem? Deixa tentar te ajudar

      1. Depende! Se você se refere a multidão de turistas, sim. Se você se refere a atmosfera como um todo, não. Havana é tão única que fica difícil comparar com alguns lugares. Talvez um pouco de Salvador, ou um pouco de São Luís.

      2. Em Havana, não. Pra pegar uma praia tem que sair de Havana. Aí eu recomendo Varadero, umas 2h30 de carro desde Havana.

      3. Eu me senti seguro, mas os taxistas não são confiáveis. Eles cobram de acordo a sua cara, lá não tem taxímetro.

      4. Sim e a comida é maravilhosa! Vale comer nos Paladares, é barato e autêntico.

      5. Em nenhum dos dois lugares eu me sinto no Brasil, talvez um pouco em Portugal por conta do idioma, mas são experiências completamente diferentes.

  • Responder abril 5, 2017

    Buenas Dicas

    Obrigado pelas dicas! Talvez opte por Cuba mesmo, inclusive porque combina mais com a temática do blog do que Portugal… Talvez em agosto. Agora é pesquisar preços e a melhor época.

    Abraço.

Deixe uma resposta