O que fazer em Budapeste, Hungria (roteiro de 3 dias)

O que fazer em Budapeste

Uma cidade deslumbrante que me conquistou no primeiro minuto. Assim eu consigo resumir para vocês a minha relação com Budapeste, um dos lugares que mais me surpreendeu entre os países do leste europeu.

Depois desse parágrafo, você deve estar se perguntando sobre o que fazer em Budapeste, correto? Pois bem, eu vou matar a sua curiosidade, mas antes, vamos entender um pouco a capital húngara.

De um lado Buda e do outro Peste

Budapeste é cortada pelo Rio Danúbio, de um lado da margem fica Buda e do outro lado, Peste. E até 1871 eram realmente duas cidades, também fazia parte a pequena Obuda, que foi unificada a Budapeste, fazendo dela uma só cidade.

Todos os pontos de interesse em Budapeste ficam próximos, dá para fazer quase tudo a pé. Mas a cidade tem uma ótima rede de bondes (trams) e de metrô, só que a grande maioria das pessoas que visitam Budapeste nem usam o metrô. Para você ver como tudo é de fato bem próximo.

O que fazer em Budapeste: Vista do Castelo de Buda


O que fazer em Budapeste


Primeiro vamos falar de Buda e depois de Peste, para facilitar na hora de você preparar o seu roteiro.

Castelo de Buda

O Castelo de Buda é um excelente lugar para começar o seu roteiro em Budapeste, pois é de lá que a gente tem a melhor vista da cidade. O Castelo de Buda é um grande complexo onde funciona o Palácio Real, Museu de História e a Galeria Nacional.

Detalhe do Castelo de Buda

Quando eu estive lá, tanto o museu, quanto a galeria estavam fechados para visitação. Me disseram que ambos estavam fechados para uma reforma e reabririam no verão desse ano.

Independente disso, visitar o castelo e os seus vários pontos de observação é um programa imperdível. Para facilitar a vida dos visitantes, tem um funicular que faz a viagem da parte baixa até o castelo.

O que fazer em Budapeste: A vista do Castelo

Bastião dos Pescadores

Pertinho do castelo, ainda na parte alta da colina fica o Bastião dos Pescadores, uma construção com 7 torres que representam as 7 tribos que fundaram a Hungria. Lá é outro famoso ponto de observação de Budapeste, incluindo a melhor vista do Parlamento.

O Bastião dos Pescadores é um excelente lugar para um café ou para aproveitar o fim de tarde, o pôr do sol de lá é lindo.

Bastião dos Pescadores

O que fazer em Budapeste: Bastião dos Pescadores

Distrito do Castelo

No entorno do Bastião dos Pescadores fica o Distrito do Castelo, um bairro vizinho do Castelo de Buda. Além das ruas lindas, cheia de casas antigas e construções medievais, fica a Igreja de Matias e começou a ser construída em 1015.

O bairro tem também um parque, muitos bares e ótimos restaurantes. Eu me hospedei nesse bairro, vou falar mais embaixo sobre a hospedagem e a vista sensacional que eu tinha da janela do meu quarto.

Distrito do Castelo

Citadela

Ainda no lado Buda fica a Citadela, um complexo de defesa da cidade no alto do Monte Gellért, que defendia a cidade durante o Império Austro-Húngaro e também serviu como bunker durante a Segunda Guerra Mundial.

É lá que fica também a Estátua da Liberdade, outro ponto de observação muito famoso de Budapeste. Eu não consegui visitar a Cidadela, só a vi de longe pois só tinha 2 dias na cidade, mas todo mundo diz que vale a pena.

Ponte das Correntes

Para mim, essa é uma das pontes mais bonitas do mundo. Ela foi inaugurada em 1849 e tem esse nome pois as estruturas que a sustentam se parecem com correntes. A ponte, claro, liga Buda a Peste com 380 metros de extensão. Cruzar ela a pé é uma delícia, menos no inverno quando o frio é congelante.

O blog Cantinho de Ná tem um post super legal com 7 curiosidades sobre a ponte, leia aqui.

O que fazer em Budapeste: Ponte das Correntes

Ponte das Correntes

Sapatos no Danúbio

Saindo da Ponte das Correntes e caminhando na margem do Danúbio em direção ao Parlamento Húngaro fica o Memorial Sapatos no Danúbio.

É um memorial aos judeus que foram mortos ali durante a Segunda Guerra Mundial. São 60 pares de sapatos antigos masculinos, femininos e infantis, todos moldados em ferro. Entre 1944 e 1945, a organização fascista húngara Arrow Cross executou centenas de judeus. As vítimas tinham que se despir antes de tomar um tiro pelas costas e serem jogados no rio, por isso os sapatos. É de arrepiar.

Sapatos no Danúbio

Parlamento Húngaro

O prédio do Parlamento Húngaro é o principal cartão postal de Budapeste, é também o prédio mais alto da cidade. Em um lugar com tantas construções históricas, ele é até considerado “novo”. Foi construído em 1902, todo em estilo gótico e realmente impressiona.

Existe uma visita guiada, custa 17 euros e passa por apenas 5 áreas do prédio e dura aproximadamente 40 minutos. Honestamente, acho muito caro pelo que é oferecido e não vale a pena.

O que fazer em Budapeste: Parlamento Húngaro

Parlamento Húngaro

Um dos guardas imóveis do Parlamento Húngaro

Basílica de Santo Estêvão

Não muito distante do Parlamento fica a Basílica de Santo Estêvão, uma igreja linda e imensa. Ela fica no coração de Peste, em uma área cheia de calçadões com muitos restaurantes e cafés charmosos.

A Basílica é a maior da Hungria, tem capacidade de receber até 8.500 pessoas e começou a ser construída em 1851. Por dentro é uma das igrejas mais lindas que eu já vi, com o teto ricamente decorado e um altar que impressiona.

Para entrar não paga nada, mas para visitar o mirante que fica no domo é cobrado uma entrada de 5 euros.

O que fazer em Budapeste: Basílica de Santo Estêvão

Budapeste Eye

Como o nome sugere, é a versão húngara da London Eye, a famosa roda-gigante britânica instalada na margem do Rio Tâmisa. Mas a Budapeste Eye é uma versão bemmmm menor viu, mas não deixa de ser interessante.

Eu fiz o passeio a noite, a vista foi bem bonita e uma curiosidade é que estava tocando Gustavo Lima no sistema de som da roda-gigante. Eu ria sozinho e as pessoas provavelmente acharam que eu era louco.

A entrada custa o equivalente a 5 euros e o passeio dura 10 minutos, mas na real acho que durou bem menos do que isso.

O que fazer em Budapeste: a roda gigante

A Praça dos Heróis e Parque da Cidade

Essa praça é o ponto mais distante para visitar em Budapeste, eu fui até lá a pé, não parecia ser longe e deu uns 40 minutos de caminhada desde a Basílica de Santo Estêvão. Foi bacana para conhecer mais da região menos turística de Budapeste, mas na volta eu peguei o metrô (estação Hősök Tere, linha M1).

A Praça dos Heróis é cheia de simbolismos que resgatam a formação da Hungria, e nas suas laterais ficam o Museu de Belas Artes e o Palácio da Arte. A praça também é a porta de entrada para o Parque da Cidade, o Városliget.

Uma imensa área verde, com lagos, trilhas e também o Museu da Agricultura. Eu não entrei, mas o prédio que lembra um castelo é muito bonito.

A Praça dos Heróis

Museu da Agricultura

Banho turco

Dentro do Parque da Cidade fica um famoso banho turco de Budapeste, chamado Szechényi. As águas termais tem temperatura entre 30ºC e 40ºC. É super procurado pelos húngaros e também pelos visitantes.

O lugar é imenso e tem piscinas, banheiras e jacuzzis. Se você quiser entrar na água, é bom levar a roupa de banho, chinelos e toalhas.

Andar pela cidade

Budapeste tem um enorme magnetismo, é muito gostoso andar pelas ruas sem pressa. Admirar o vai e vem dos bondes e das pessoas. O húngaro é um povo muito cordial e educado, ao atravessar uma rua basta colocar o pé no asfalto para todos os carros pararem imediatamente.

Andar pela cidade

O que fazer em Budapeste: A noite tudo fica ainda mais bonito

Ô lugar pra ter estátuas de bronze nas ruas

Lado residencial de Buda

Os bondinhos de Budapeste

Imagem de capa: Shutterstock


Sugestão de roteiro


Dia 1: Buda – Castelo de Buda, Bastião dos Pescadores, Distrito do Castelo e Citadela.

Dia 2: Peste – Ponte das Correntes, Sapatos do Danúbio, Parlamento Húngaro, Basílica de Santo Estevão e Budapeste Eye.

Dia 3: Peste – Praça dos Heróis e Parque da Cidade, Banho Turco e andar pela cidade.


Planejando a sua viagem


calendario

Quando ir

A Hungria é bem fria no outono e inverno e faz um calorzinho gostoso na primavera e verão. Claro, os melhores meses são os mais quentes, mas dá para visitar em qualquer época do ano.

 

carro

Como chegar

Não existem voos diretos do Brasil para a Hungria, mas chegar até lá é fácil fazendo conexão em qualquer grande cidade Europa que receba voos do Brasil ou até mesmo pelos países do Oriente Médio.

 

icon1

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar na Hungria, o país faz parte da União Européia e sendo um país Schengen, o visto de entrada vale para a visitar o país e os países membros por 90 dias.

 

icon2

Quanto custa

Budapeste não é uma cidade cara, a boa notícia é que tem opções para todos os bolsos e isso foi algo que me surpreendeu muito. Dá para se divertir muito sem gastar rios de dinheiro.

 

icon3

Como se locomover

A melhor forma de andar por Budapeste é a pé, mas se você precisar, o transporte público é eficiente e eles tem um bom metrô e rede de bondes. Você também pode comprar o Budapest Card, um cartão que permite usar o transporte público e entrar em algumas atrações. O blog Turistando.In tem um post que explica bem como ele funciona (clique aqui)


Onde se hospedar em Budapeste


Eu me hospedei em Buda, no Distrito do Castelo, em frente a Igreja de Matias no Hotel Burg. Ele tem um excelente custo-benefício, com um bom café da manhã e a vista da janela do quarto era simplesmente perfeita.

A vista da janela do quarto

O hotel fica na parte alta das colinas do Castelo de Buda, subir e descer todos os dias pode ser um pouco cansativo. Para mim não foi um problema pois ficar em um lugar tão privilegiado, no meio de um ponto turístico foi ótimo. Quanto ao barulho, o hotel tem bom isolamento acústico e essa região também não é barulhenta.

Eu marquei no mapa abaixo as duas melhores regiões para se hospedar em Buda e em Peste.

Onde ficar em Budapeste

Mas a melhor região para se hospedar em Budapeste é em Peste. Eu separei alguns hotéis aqui abaixo e que você pode confiar:

Veja aqui mais hotéis, hostels e apartamentos nesta região



Booking.com


Compre aqui seus passeios em Budapeste



Resolva aqui a sua viagem


Reserve a sua hospedagem pelo Booking.com

Faça aqui o seu seguro viagem internacional

Compre aqui os ingressos para os seus passeios

Consultoria de viagens e roteiros personalizados

Ebooks e guias para download


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


 

mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

3 Comentários

  • Responder maio 31, 2018

    Cynara Vianna

    Budapeste é uma cidade encantadora e as diferenças entre Buda e Peste chamam a atenção de todo viajante. Eu procuro saber o máximo possível sobre os principais pontos turísticos de uma cidade antes de visita-la porque assim aproveito mais cada lugar. Muito obrigada pela indicação.

  • Responder junho 4, 2018

    Maria Eunice Régis Lemos Carcereri

    Ótimo blog. Muito bem apresentada esta linda Budapeste.
    Informações bem detalhadas e ilustradas.
    Valeu Fabrício!
    Parabéns.
    Obrigada!

    • mm
      Responder junho 5, 2018

      Fabricio Moura

      Oi Maria, obrigado pela mensagem. Que bom que gostou =)

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.