Um passeio pelo Arab Quarter, o bairro árabe de Singapura

bairro árabe de Singapura

Na minha segunda viagem a Singapura eu dediquei um tempo para conhecer alguns bairros típicos da cidade, especialmente o Arab Quarter, o bairro árabe de Singapura. Quem se encanta com os prédios modernos e estruturas futurista da cidade-estado, talvez nem imagine que Singapura tem um lado histórico e multicultural muito forte e presente.

Singapura já pertenceu a Malásia, mas a cidade-estado nasceu como um posto comercial da Companhia Britânica das Índias Orientais em 1819. E desde então começou a receber povos de diversas cantos do mundo e que ajudaram a moldar a sua a população.

São em sua grande maioria chineses, malaios, indianos, árabes e muitos europeus. E por conta disso, Singapura tem bairros que se tornaram redutos desses povos, especialmente indianos, chineses e árabes. E é aqui que entra o Arab Quarter, o bairro árabe de Singapura.

Mesquita do Sultão (Masjid Sultan) e a Bussorah Street

O bairro é pequeno, a área ocupada por ele foi reservado para a comunidade muçulmana em 1822. Nesta época, a cidade estava sendo desenhada por Sir Stamford Raffles, um militar britânico que foi o responsável pela fundação de Singapura. O bairro se desenvolveu no entorno da Mesquita do Sultão (Masjid Sultan) e ficou delimitado pela Arab Street e a Jalan Sultan, duas importantes ruas dessa parte da cidade.

North Bridge Road

A Mesquita foi originalmente construída em 1825, mas foi demolida e substituída pela construção atual em 1925, ela é um dos ícones da comunidade muçulmana em Singapura. A entrada só é permitida para muçulmanos, como na maior parte desses templos religiosos.

E a Mesquita do Sultão é o ponto de partida para o passeio pelo bairro árabe de Singapura. Logo em frente a mesquita fica a Bussorah Street, uma rua de pedestres rodeada por casarões coloniais super coloridos e que em nada lembram os prédios espelhados da Singapura moderna. As casas abrigam lojas, cafés, casas de chá e restaurantes charmosos com culinária turca, libanesa, marroquina e de diversos lugares do mundo árabe.

Bussorah Street

 

Detalhe de um dos casarões da Bussorah Street

 

Bussorah Street

As vizinhas Arab Street e Muscat Street ainda são importantes pontos comerciais do bairro e ótimos lugares para comprar peças típicas.

Mas a minha rua favorita é a Haji Lane, uma rua estreita salpicada de casas coloniais onde lojas descoladas, cafés, bares e restaurantes charmosos dividem espaço com murais coloridos e muita street art.

Haji Lane

 

Haji Lane

A gente consegue perder horas vagando pela rua, entrando de loja em loja, tomando um belo sorvete ou aproveitando um Teh Tarik, um chá típico que é feito de chá preto e leva leite condensado, meu Deus, é perfeito!

Uma das muitas lojinhas do bairro árabe de Singapura

 

Portal do bairro

 

Coisas que vale a pena comprar


Como visitar o bairro árabe de Singapura


Eu fiquei hospedado na Victoria Street e fui a pé até o bairro árabe, mas o fantástico metrô  de Singapura chega até lá. A estação mais próxima é a Bugis que é atendida pela linha verde (East West Line) e a linha azul (Downtown Line). É muito simples chegar de qualquer parte de Singapura.

Veja aqui como usar o metrô de Singapura


Vídeo



Reserve aqui seus passeios em Singapura



Confira o nosso post completo com dicas de onde ficar em Singapura clicando aqui ou siga as dicas abaixo.

Quando falamos de lugares para se hospedar em Singapura a primeira imagem que vem em mente é o espetacular Marina Bay Sands, um dos hotéis mais famosos e desejados do mundo. E a fama dele se deve ao luxo e a sua piscina, que é nada menos que a maior piscina de borda infinita no topo de um prédio em todo o mundo.

Nesta mesma região fica o The Fullerton Hotel Singapore, um hotel cinco estrelas incrível e que tem uma das melhores localizações de Singapura.

Do outro lado da Marina Bay fica o The Ritz-Carlton Millenia Singapore e além de todo o luxo de um Hilton, ele tem uma das melhores vistas de Singapura.

Se você não quiser gastar tanto no Hilton, coladinho nele fica o Marina Mandarin Singapore, que tem a vista igualmente boa

Chinatown, como o nome diz, é o bairro chinês de Singapura. Ele fica coladinho em Marina Bay e tem hotéis igualmente excelentes e mais baratos. Nessa região fica o excelente Orchid Hotel, um quatro estrelas super confortável, com uma piscina deliciosa.

Pertinho dele fica o Amara Singapore, eu já me hospedei no Amara de Bangkok e é maravilhoso. Um cinco estrelas com preço de 3 estrelas.

Para quem pretende ficar em hostel, as cápsulas são a melhor opção pois garantem mais conforto e privacidade que os hostels. A mais famosa delas é a MET A Space Pod, que tem filiais em Boat QuayChinatown e na Arab Street. Vale dizer que todas tem ótima localização, apesar de que eu acho a de Boat Quay melhor localizada. 

Em Chinatown tem um hotel cápsula bem famoso, o Galaxy Pod e o bacana é que ele tem cápsulas para casais a partir de R$ 190,00. Nada mal, heim?


Chegando em Singapura: visto, imigração e transporte
Como usar o metrô de Singapura
Regras e leis de Singapura, cuidado para não ser multado
Onde ficar em Singapura


O que fazer em Singapura
Gardens by the bay e as super árvores de Singapura
Bairro Árabe de Singapura
Little India, o bairro indiano de Singapura
Singapore Flyer, a roda gigante mais alta do mundo
Parque Marina Barrage


O seguro viagem é obrigatório para visitar Singapura, além de ser é altamente recomendável caso você tenha algum incidente e precise se auxílio médico ou apoio. Faça o seu seguro viagem aqui com desconto.










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.