Tempelhof: o aeroporto de Hitler que virou parque

Tempelhof

Berlim é uma cidade com vocação para transformação, mudou durante e depois da Segunda Guerra Mundial, durante a Guerra Fria e mudou mais ainda depois da queda do Muro de Berlim. Ruas, parques, edifícios e até o antigo aeroporto de Hitler, o Tempelhof, que hoje é o maior parque público de Berlim.

Berlin Tempelhof foi o primeiro aeroporto de Berlim, construído em 1923 pelo presidente Hidenburg após a Primeira Guerra Mundial, alguns anos antes da ascensão de Adolf Hitler e o Partido Nazista ao poder.

Nessa época, Tempelhof não passava de uma grande descampado com alguns galpões. Com a chegada de Hitler ao poder, o ditador encomendou o projeto de um novo Tempelhof para Albert Speer, o arquiteto chefe do regime Nazista.

Na visão de Hitler, Tempelhof deveria ser “a mãe de todos aeroportos” e ele chegou a ser um dos três mais importantes da europa, ao lado de Paris (Le Bourget) e Londres (Croydon).

A águia nazista continua lá

A águia nazista continua lá

Típica arquitetura nazista

Típica arquitetura nazista

E o prédio é mais uma daquelas construções típicas do regime nazista, com linhas retas e imponentes, com aspecto austero. A supremacia ariana que Hitler pregava, tinha que ficar nítida até nos edifícios que ele ergueu.

Outro detalhe que impressiona, é que lá nos anos 30, quando Tempelhof foi redesenhado, ele já tinha uma ligação de trem com a rede de trens de metrô de Berlim. Pelo aeroporto passava um ramal ferroviário com uma estação para passageiros e carga.

Na década de 30, Tempelhof já tinha ligação com trem e metrôs

Na década de 30, Tempelhof já tinha ligação com trem e metrôs

Durante a guerra o aeroporto serviu como base de mantenção dos aviões nazistas e no subterrâneo, uma fábrica de armas. Quando o exército soviético invadiu Berlim no fim da guerra, reza a lenda que essas oficinas foram inundadas para que a tecnologia nazista não caísse nas mãos dos aliados. Depois da guerra, essa parte de Berlim ficou com os americanos e o outro lado, como todo mundo sabe, com os soviéticos.

Pistas onde antes pousavam aviões, hoje são usadas para esportes

Pistas onde antes pousavam aviões, hoje são usadas para esportes

Eu conheci um historiador em Berlim, que me disse que essas oficinas continuam lá embaixo até hoje e que muitos segredos de guerra encontrados ali, pelos americanos, contribuíram para o desenvolvimento de novas armas e aviões americanos. Conhecimentos que foram expandidos até para o meio civil. Como por exemplo os motores a jato.

Herança militar americana

Herança militar americana

Depois da Guerra, Tempelhof se manteve em operação até 2008 quando foi fechado. O lugar ia ser transformado em um condomínio, mas os Berlinenses queria que o lugar fosse transformado em parque urbano e assim foi.

Hoje, Tempelhof Feld é o maior parque público de Berlim, um lugar gigantesco que é usado mais pelos moradores das redondezas. O parque não aparece nos roteiros e guias de Berlim, mas vale muito a pena a vista, seja pela história ou para conhecer um pouco do jeito de viver dos berlinenses nessa área pouco turística.

Para todo tipo de público

Para todo tipo de público

Hoje, as pistas de pouso são usadas por ciclistas, corredores, skatistas, ou para quem quer simplesmente relaxar e aproveitar um fim de tarde.

O prédio do aeroporto permanece fechado, mas visitas guiadas são organizadas e no pátio permanece preservado um Douglas C-54 Skymaster, versão militar do DC-4, além de um Nord 262A-21 esquecido em um dos cantos do aeroporto.


Vídeo

Eu achei esse vídeo bem bacana que faz um passeio por Tempelhof, por dentro e por fora. Bem bacana

 

Como chegar a Tempelhof

Para chegar até Tempelhof é bem simples, no entorno do aeroporto existem 3 estações do metrô e trem. As estações Platz der Luftbrücke, U Paradestr e a Tempelhof Berlin, todas da linha U6 do U-Bahn, o metrô de Berlim.

 

Estação Tempelhof

Estação Tempelhof

A estação Platz der Luftbrücke fica em frente a entrada principal do prédio, a U Paradestr fica na lateral e para quem vai visitar o parque, o ideal é desembarcar na Tempelhof Berlin, na saída da estação a gente já vê uma das entradas do parque do outro lado da rua.

Estação Tempelhof, linha U6

Estação Tempelhof, linha U6

Dica:
Nos domingos, algumas linhas do metrô de Berlim começam a fechar muito cedo, por volta das 15h. A linha U6 é uma delas, quando eu fui a Tempelhof, na ida foi tudo bem, mas na volta a linha estava fechada e eu tive que procurar alternativas para voltar para voltar ao hotel. Nas estações os guardas orientam qual melhor linha tomar para chegar a seu destino, já que são tantas linhas em Berlim que a gente fica confuso facilmente.

Leia também:
Roteiro do Terceiro Reich em Berlim
Todos os posts sobre Berlim
Todos os posts sobre a Alemanha


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram.


 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestPrint this page
mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em São Paulo, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar