O que fazer em Berlim, Alemanha (roteiro de 3 ou 4 dias)

O que fazer em Berlim

Uma cidade fascinante, é assim que eu consigo descrever Berlim em uma frase curta. Uma cidade passou por guerras, foi dividida em duas e renasceu das cinzas, literalmente, para se tornar uma das mais vibrantes capitais européias do nosso tempo. O que fazer em Berlim? Essa cidade cosmopolita e uma das mais interessantes do mundo.

Eu já escrevi dois roteiros sobre Berlim, um focado na Berlim Oriental e outro sobre Berlim do Terceiro Reich da Segunda Guerra Mundial. Vou deixar os links aqui embaixo, além de outros importantes posts para facilitar a sua vida em Berlim.

Leia mais:
Roteiro em Berlim da Segunda Guerra Mundial
Roteiro em Berlim da Alemanha Oriental
Onde ficar em Berlim
Como usar o metrô de Berlim

Em Berlim a gente consegue caminhar pela história. Uma cidade com energia carregada de toneladas de história, é impossível passar por uma rua, uma estação de trem e não se deixar envolver. Mesmo 20 anos depois da queda do muro, ou 70 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, essa história continua muito viva.

O que fazer em Berlim

Berlim Dom


O que fazer em Berlim


  • Conhecer o Portão de Brandenburgo
  • Visitar as partes remanescentes do Muro de Berlim
  • Conhecer a East Side Gallery
  • Explorar os museus da Ilha dos Museus
  • Conhecer a Berlim Dom
  • Conhecer a Alexanderplatz e subir na Berliner Fernsehturm, a torre de TV de Berlim
  • Conhecer o Check Point Charlie
  • Visitar a antiga sede da Gestapo
  • Memorial do Holocauto
  • Passear pelo Tiergarten
  • Visitar o Memorial Soviético da Segunda Guerra Mundial
  • Tempelhof é o antigo aeroporto de Hitler que virou um dos maiores parques da Europa.
  • Conhecer o Reichstag, o prédio do Parlamento Alemão e subir na cúpula de vidro
  • Visitar o antigo campo de Concentração de Sachsenhausen
  • Fazer um passeio de barco pelo Rio Spree

Portão de Brandemburgo

O Portão de Brandemburgo é o principal cartão postal de Berlim, foi construído em 1791 como um símbolo de paz (olha o tamanho da ironia). O Portão foi testemunha de algumas das principais mudanças do mundo. Ele viu tropas Napoleônicas, viu desfiles nazistas, bombardeiros e a destruição de Berlim durante a Segunda Guerra Mundial.

Depois o portão viu o Muro de Berlim dividir a Alemanha e ele ficou esquecido do lado Oriental. Deteriorado, e abandonado, nunca foi de fato usado como um portão entre as duas Alemanhas.

Com o movimento de unificação, o Portão de Brandemburgo foi palco de manifestações e ao redor dele que as primeiras partes do muro foram derrubadas.

O que fazer em Berlim

Portão de Brandenburgo


Muro de Berlim

Falando em Muro, ele muro caiu em 1989, mas em boa parte da cidade, a gente consegue identificar facilmente por onde ele passava e atrás do Portão de Brandemburgo é um desses lugares.

O muro dividia a Alemanha em duas partes depois da Segunda Guerra, de um lado a Alemanha Ocidental, ou República Federal da Alemanha (em alemão, Bundesrepublik Deutschland) ou RFA. Do outro lado ficava a Alemanha Oriental, administrada pelos Soviéticos, ou República Democrática Alemã (em alemão, Deutsche Demokratische Republik ou DDR).

Hoje existem fragmentos do muro espalhados por Berlim, a mais famosa é a East Side Gallery e um dos lugares que eu mais gostei de visitar em Berlim. Um trecho de mais de mil metros do antigo muro, preservado e que reúne centenas de obras em cada um dos seus lados. É lá que estão grafites famosos como o “Beijo Comunista”.

Leia mais:
Tudo sobre a East Side Gallery 
Veja como visitar as partes remanescentes do Muro de Berlim

O que fazer em Berlim

Muro de Berlim

O que fazer em Berlim

O muro existia aqui

O que fazer em Berlim

Muro


Ilha dos Museus

A Ilha dos Museus é parada mais que obrigatória para qualquer amante da arte e história da humanidade. A Ilha dos Museus em Berlim (Museumsinsel), fica no Rio Spree, coladinha da Alexanderplatz. Na ilha ficam os mais importantes museus da cidade, o Bode Museum, Neues Museum, Alte Nationalgalerie, Altes Museum, Perganom Museum a Berlim Dom, a catedral de Berlim. Fora da ilha, mas atrás da Berlim Dom, fica o pequeno Museu da DDR, que mostra um pouco da vida na então Alemanha Oriental.

A Ilha dos Museus fica bem no coração da cidade, basicamente entre o Portão de Brandenburgo e a Alexanderplatz.

Leia mais sobre a Ilha dos Museus aqui

O que fazer em Berlim

Berlim Dom, na Ilha dos Museus


Alexanderplatz e torre de TV

Seguindo reto pela Under den Liden, uma das mais famosas e importantes avenidas de Berlim, a gente chega na Alexanderplatz, que foi o coração da Berlim Oriental. Hoje, a praça ainda fervilha, por ser um ponto de conexão de trens, metrô, trams e ônibus. Se antes a praça era o coração comunista, hoje é tomada por lojas de departamento como C&A e Primark.

Mas continua lá a imponente Berliner Fernsehturm, a torre de Tv construída pelos soviéticos inaugurada em 1969. A torre tem 368 metros de altura e pode ser vista a até 42 quilômetros de distância e a razão desse tamanho todo era exatamente esse, ser aquele ponto visível de fora da Alemanha Oriental, como uma forma de provocação para os americanos e britânicos. Dá para visitar a torre, lá em cima tem um restaurante e uma vista em 360 graus da cidade.

O que fazer em Berlim

Alexanderplatz e torre de TV


Check Point Charlie

O Check Point Charlie foi o principal ponto de passagem entre as duas Alemanhas durante a divisão do país. O ponto de verificação tem esse nome por causa da letra C (Charlie) do alfabeto fonético, os outros postos eram o A (Alpha) e B (Bravo). O posto era controlado pelos Estados Unidos e foi o mais movimentado de todos.

Com a queda do Muro de Berlim em 9 de novembro de 1989, o Check Point Charlie foi aberto para quem quisesse passar de um lado para o outro e totalmente removido em junho de 1990.

Hoje, no lugar em que existiu o Check Point Charlie, foi colocada uma réplica da primeira cabine, exatamente como era no cruzamento das Ruas Friedrichstrasse com a Zimmerstrasse e Mauerstrasse. Apesar da importância histórica, é um lugar totalmente turístico. A cabine original ainda existe, fica no Museu dos Aliados, também em Berlim. Alguns atores caracterizados como soldados soviéticos e americanos interagem com os turistas, tiram fotos e carimbam os passaportes com carimbos da época da Guerra Fria. Isso é bem bacana.

Leia mais sobre o Check Point Charlie aqui

O que fazer em Berlim

Check Point Charlie

O que fazer em Berlim

Checkpoint Charlie


Sede da Gestapo e Museu Topography of Terror

A sede da Gestapo, a polícia secreta de Hitler não existe mais, ficava ao lado do Ministério da Defesa e nesse local funciona hoje o Museu Topography of Terror. Da sede da Gestapo sobrou apenas as fundações e onde existiam algumas celas e salas secretas.

O que fazer em Berlim

Sede da Gestapo


Memorial do Holocausto

O Memorial do Holocausto em Berlim é formado por 2.711 blocos de concreto de diferentes tamanhos para representar os 6 milhões de judeus mortos pelos nazistas entre 1933 e 1945 durante o Terceiro Reich de Adolf Hitler.

Os blocos tem alturas diferentes, e variam de poucos centímetros a até mais de 2 metros de altura e formam um gigantesco labirinto que ocupa uma área enorme entre o Portão de Brandemburgo e a Potsdamer Platz. Além da diferente altura dos blocos, o piso é irregular, com subidas e descidas. A sensação de andar ali não é claustrofóbica, além de parecer que eu estava me afundando no meio de um cemitério, já que os blocos lembram jazigos. E talvez essa seja a sensação desejada mesmo.

Leia mais sobre o Memorial do Holocasto aqui

O que fazer em Berlim

Memorial do Holocausto


Tiergarten

O Tiergarten é um gigantesco parque que fica no coração de Berlim, ele começa atrás do Portão de Brandemburgo e vai até o Zoológico. São mais de cinco quilômetros de verde que são cortados por algumas das mais importantes avenidas da cidade e lugares históricos como o Siegessaule, o memorial soviético e o Reichstag.

O parque foi criado para ser uma área de caça dos reis da Prússia, mais tarde se tornou um dos playgrounds de Hitler. Durante a divisão do país ele ficava na parte Ocidental e era um imenso ponto de consumo de drogas pesadas e prostituição. Hoje é um parque lindo, vale muito alugar uma bicicleta e passear por ele nos meses mais quentes.

No parque fica também o Memorial Soviético. O lugar foi construído em 1945, logo após o fim da Guerra para lembrar os soldados do Exército Vermelho que perderam a vida na invasão a Berlim. No memorial ficam tanques e canhões originais usados operação. Mas a ironia é que logo após a construção, a cidade foi dividida e o memorial ficou no lado ocidental da cidade, uns 200 metros longe da Alemanha Oriental.

Leia mais sobre o Tiergarten aqui

O que fazer em Berlim: Tiergarten

Tiergarten


O que fazer em Berlim: Memorial soviético


Um dos tanques soviéticos que invadiram Berlim


Tempelhof

Tempelhof é o antigo aeroporto de Hitler que virou um dos maiores parques da Europa. E o prédio é mais uma daquelas construções típicas do regime nazista, com linhas retas e imponentes, com aspecto austero.

A supremacia ariana que Hitler tinha que ficar nítida até nos edifícios. Outro detalhe que impressiona, é que lá nos anos 30, quando Tempelhof foi redesenhado, ele já tinha uma ligação de trem com a rede de trens de metrô de Berlim. Pelo aeroporto passava um ramal ferroviário com uma estação para passageiros e carga.

Depois da Guerra, Tempelhof se manteve em operação até 2008 quando foi fechado. O lugar ia ser transformado em um condomínio, mas os Berlinenses queria que o lugar fosse transformado em parque urbano e assim foi.

Hoje, as pistas de pouso são usadas por ciclistas, corredores, skatistas, ou para quem quer simplesmente relaxar e aproveitar um fim de tarde.

A águia nazista continua lá


O que fazer em Berlim

Tempelhof

Leia mais sobre Tempelhof aqui


Reichstag

O Reichstag, o prédio do Parlamento Alemão, é um dos mais importantes e emblemáticos edifícios de Berlim. A cúpula do Reichstag foi destruída durante os bombardeios de Berlim durante a guerra. Anos depois ela foi reconstruída toda em vidro e aço e hoje é um dos pontos de visitação mais procurados de Berlim.

O que fazer em Berlim

Reichstag

Cúpula do Reichstag


A Chancelaria de Hitler

O suntuoso prédio de mármore vermelho onde funcionou a Chancelaria do Terceiro Reich não existe mais, foi bombardeado durante a guerra e seu antigo endereço nem é tão divulgado para evitar o culto de neonazistas. Mas o que pouca gente sabe é que todo aquele mármore foi usado na reconstrução da estação Mohrenstraße do metrô e também no memorial de guerra dos soviéticos que fica no Parque Tremptower era da Chancelaria de Hitler.

O uso do mármore vermelho na estação Mohrenstraße sempre gerou controvérsia, mas vamos entender que no pós-guerra, faltavam materiais de construção, tudo tinha que ser reaproveitado e o que muita gente também não sabe é que muito do aço de armamentos e construções nazistas, foram usados na reconstrução de Berlim.

Mármore da Chancelaria


Campo de Concentração de Sachsenhausen

Sachsenhausen foi um dos primeiros campos de concentração nazista, ele fica nos arredores de Berlim, na cidade de Oranienburg e funcionou de 1936 até 1945. O campo começou a ser usado para prisioneiros políticos, mas logo depois foram levados para lá judeus, ciganos, soviéticos, deficientes físicos e homossexuais. Hoje o campo é aberto a visitação.


Passeios de barco

Berlim é toda serpenteada pelo Rio Spree e ao longo dele são várias ilhas e canais menores. O passeio de barco em Berlim é bem turistão, mas é uma maneira muito bacana de ver o outro lado da cidade.

São pelo menos 3 roteiros diferentes, que variam de 1h a 1h30. Eu gosto do roteiro que percorre o centro da cidade, acho mais interessante. O melhor ponto para pegar o barco é no ancoradouro que fica na Ilha dos Museus, pertinho da Berlim Dom.

Mas fica ligado pois os barcos enchem rápido, o bacana é comprar o passeio pela internet para garantir. No fim desse post tem alguns passeios em Berlim que você pode comprar, o passeio de barco está entre eles.

Passeio de barco em Berlim


Mais Berlim


metrô de Berlim

Metrô de Berlim

Músicos na beira do Rio Spree


Trecho do muro na margem do Rio Spree


Trabants


Réplica da primeira cabine do Check Point Charlie


Tour nos Trabants


Artigos da Guerra Fria a venda


Um dos painéis do muro


Passear na margem do Rio Spree


O que eu achei de Berlim


É praticamente impossível você conhecer uma cidade intimamente em um curto período de tempo, as vezes, precisamos de anos e olhe lá. Mas tem lugares quem possuem uma energia tão forte que e em pouco tempo a gente já consegue criar uma conexão com o lugar.

Continue lendo


Dicas úteis de Berlim



Reserve um passeio em Berlim



Chegando em Berlim pelo Aeroporto Shonefeld
Como usar o metrô de Berlim
Qual é a melhor época para visitar Berlim
Quantos dias ficar em Berlim
Onde ficar em Berlim


O que fazer em Berlim (roteiro de 3 ou 4 dias)
A Ilha dos Museus em Berlim
Como visitar o Muro de Berlim
Como é a visita ao Check Point Charlie
Roteiro do Terceiro Reich e Segunda Guerra Mundial
Roteiro em Berlim Oriental
Muro de Berlim e a East Side Gallery
Tempelhof: o aeroporto de Hitler que virou parque
Tiergarten: uma ilha verde no coração de Berlim


Escolher uma boa localização para se hospedar é um ponto essencial para garantir uma boa experiência em qualquer cidade. Quer mais dicas de hospedagem? Confira a nossa nosso post com todas as dicas.

Algumas dicas:

Como eu chegaria a Berlim e também partiria por essa estação, eu me hospedei no Meininger Hotel Berlin Hauptbahnhof, do lado da estação e pertinho do Portão de Brandemburgo e do Reichstag. O quarto não muito grande, mas era super confortável, com um bom banheiro e um excelente café da manhã.

Nessa mesma região, tem outros bons hotéis que eu conheço e recomendo. E todos são muito bem localizados:

Meliá Berlin
Arte Luise Kunsthotel
Hotel Augustinenhof

Veja mais hotéis nessa região

Outros bairros bacanas e que tem hotéis mais baratos são Prenzauler Berg (veja a lista de hotéis aqui) e Charllottenburg (veja a lista de hotéis aqui). Prenzauler Berg tem muitos bares, restaurantes e fácil acesso ao metrô, assim como Charllottenburg.

Ambos não ficam longe das áreas turísticas e tem opções mais econômicas de hospedagem.

Veja mais opções de hospedagem em Berlim










Reservando um serviço com um dos parceiros do blog, você ajuda o Vou na Janela a produzir mais conteúdo e não paga nada a mais por isso. O Vou na Janela só recomenda empresas e serviços em que confia.


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

6 Comentários

  • Responder julho 2, 2020

    Lulu Freitas

    Como você disse é impossível conhecer Berlim em um curto período de tempo, mas você conseguiu colocar as principais atrações em seu roteiro. Ficou maravilhoso! Bateu uma vontade voltar a Berlim… mas quero fazer isso no verão, porque quando fui no inverno não foi fácil rsrs

    • mm
      Responder julho 3, 2020

      Fabricio Moura

      Morro de vontade de voltar a Berlim, quem sabe num futuro sem pandemia?

  • Responder julho 2, 2020

    Thaís Carneiro

    Berlim é apaixonante! Me parece uma cidade super plural e tenho bastante vontade de conhecê-la. Vou anotar as suas dicas.

    • mm
      Responder julho 3, 2020

      Fabricio Moura

      Acho que Berlim é uma cidade obrigatória, é meio como Paris e Londres. Vale muito a pena conhecer.

  • Responder julho 3, 2020

    Cintia Grininger

    Já estive na Alemanha duas vezes e não conheço Berlim, que parece mesmo uma cidade fascinante. Uma coisa que me impressiona na Alemanha em geral é como eles se reconstruíram depois da 2a Guerra, tanto fisicamente – reconstruindo prédios e criando parques e memoriais em lugares considerados “malditos” – como identidade nacional. Sabendo o que foi o nazismo é difícil conciliar com o que se vê da Alemanha atualmente.

    • mm
      Responder julho 3, 2020

      Fabricio Moura

      Como neto de judeus, a minha primeira vez na Alemanha foi um mix de sentimentos, sempre tinha aquele fantasma do nazismo na minha cabeça, mas era só um pré-conceito mesmo que chegando lá acabou. Fiquei fascinado por Berlim, amei cada canto, vi restos de guerra, do nazismo, do comunismo e me entendi com tudo aquilo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.