Como visitar a Linha do Equador na cidade da metade do mundo

Linha do Equador

Várias pessoas me disseram que visitar a Cidade de la Mitad del Mundo, onde fica o monumento da Linha do Equador não valia a pena. É lá que fica marco que representa a divisão do nosso mundo ao meio e onde os visitantes fazem a clássica foto com um pé em cada hemisfério. Mas, estando no Equador, como não visitar um lugar tão significativo?

***

A história da Linha do Equador e do monumento da metade do mundo começa em 1736 quando o Equador, que na época fazia parte do Império Espanhol, recebeu um grupo de estudiosos franceses que tinham a missão de comprovar o formato da terra. E que aquele ponto na América do Sul, representaria a latitude 0°0’0″. Depois de muitos estudos ao longo de 8 anos, eles determinaram que ali sim era o meio do mundo.

A tradicional foto

A Linha do Equador é uma linha imaginária de 40 mil quilômetros que dá a volta ao redor do globo terrestre. Cruzando oceanos e 13 países, incluindo o Brasil.

Bacana não é? Só que anos depois com a chegada da tecnologia, computadores e GPS, descobriram que o meio do mundo não fica exatamente por onde passa a famosa linha amarela e o seu robusto monumento construído em 1979. Mas a 200 metros dali, onde fica o Museu Intiñán.

A cidade da metade do mundo

Por mais que ali não seja realmente a latitude 0°0’0″, é legal ter a sensação de estar em dois lugares ao mesmo tempo. A metade do corpo no hemisfério norte e a outra no hemisfério sul. A metade no verão e a outra parte do corpo no inverno, mesmo que seja “de mentirinha”.

A cidade da metade do mundo

Dica: Dentro do monumento da metade do mundo a gente pode carimbar o nosso passaporte com um carimbo especial atestando que nós estivemos na metade do mundo.


Como visitar o monumento da Linha do Equador


A Cidade de la Mitad del Mundo fica distante 13 quilômetros de Quito ou cerca de 25 quilômetros do centro histórico da cidade. A entrada custa 5 dólares.

Chegar lá é muito fácil e existem três maneiras: ônibus, táxi/Uber ou tour.

Ônibus

Pegue qualquer ônibus que passe pelo Corredor Centro Norte e que tenha a Estação Ofelia como ponto final. Depois basta pegar o ônibus com destino a Cidade de la Mitad del Mundo. O tempo total dessa viagem vai ser de aproximadamente 1h40m, dependendo claro, do trânsito e vai custar menos de 1 dólar.

Táxi

O preço do táxi vai variar de acordo com o ponto de origem, mas uma viagem do Centro Histórico até a Cidade de la Mitad del Mundo vai custar aproximadamente 20 dólares o trecho. A viagem vai durar uns 40 minutos, claro, dependendo do trânsito.

Tour

Eu peguei um tour que eu comprei pelo Get Your Guide e incluiu uma visita a cratera do Vulcão Pululahua e também já incluía a entrada na Cidade de la Mitad del Mundo. Pelo passeio eu paguei 30 dólares em um tour de 7 horas e vou deixar o link aqui embaixo.

Se você quiser visitar apenas o monumento e estiver em duas ou mais pessoas, vale pegar um Táxi ou Uber. O tour só foi interessante pela visita ao Vulcão Pululahua. Existe um tour que só vai até a Cidade e custa 19 dólares.

Vulcão Pululahua


Onde se hospedar em Quito


Aqui no blog tem um post super completo onde eu explico os melhores lugares para ficar em Quito, recomendo a leitura aqui. Ou você pode conferir a nossa lista de sugestões no Booking.com. Reservando um hotel pelo Booking, você ajuda o blog e não paga nada a mais por isso. Clique aqui.

Ou confira as promoções na caixa aqui embaixo:



Booking.com


Reserve um passeio em Quito



Mais posts sobre o Equador


Planejando a sua viagem

Dicas para planejar a sua viagem para o Equador
Chegando em Quito: visto, imigração e transporte até a cidade
Onde ficar em Quito, dicas de hospedagem
Efeitos da altitude no Equador: o que fazer para combater

O que fazer no Equador

O que fazer em Quito (roteiro de 4 ou 5 dias)
Vulcão Quilotoa, como visitar e o que fazer
Cotopaxi, a experiência no terceiro maior vulcão ativo do mundo
5 vulcões para visitar perto de Quito
Como visita a Linha do Equador e a cidade da metade do mundo


Sigam o Vou na Janela no Facebook e no Instagram


mm

Fabricio Moura

Meu nome é Fabricio, moro em Bangkok na Tailândia, sou designer e apaixonado pelo mundo. Descobri que viajar é se perder e se encontrar. Se conhecer melhor e se amar mais. Acumular histórias e experiências. Vamos?

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.